Síndrome Pré-Menstrual afeta mais da metade das mulheres brasileiras

 Dr. Roberto Adelino de Almeida Prado, professor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

Dr. Roberto Adelino de Almeida Prado, professor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

Ao contrário do que se pensa, a síndrome Pré-Menstrual está além da TPM. Isso porque o segundo termo (TPM) compreende as alterações do organismo feminino unicamente como “tensão” ou “estresse”, que acontece nos dias que antecedem o ciclo menstrual. Segundo o Ministério da Saúde, cerca de 70% das mulheres brasileiras sofrem com sintomas durante esse período.

“A síndrome Pré-Menstrual é um conjunto de alterações físicas e emocionais que acontecem na mulher nos 14 dias que antecedem a menstruação. São sintomas recorrentes e que interferem na rotina de atividades desenvolvidas por ela”, explica o Dr. Roberto Adelino de Almeida Prado, professor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

Os sintomas são provocados pela fase de ovulação do corpo feminino, que geram uma interferência no sistema nervoso central. “Mesmo com todo o avanço da medicina, ainda não se sabe exatamente o que provoca essa síndrome. O que se tem conhecimento é que há uma alteração na atuação da serotonina, responsável pela conexão entre os neurônios no organismo, e uma ligação dela com os hormônios femininos”, comenta o professor.

Sensibilidade nas mamas, sensação de inchaço, retenção de líquido, dores abdominais, irritabilidade, dificuldade de concentração, baixa autoestima e depressão são os principais sintomas sentidos nessa fase. “É importante observar se essas alterações acontecem todo mês com a mulher. Se ela percebe em algumas situações apenas, não se caracteriza como síndrome pré-menstrual. Além disso, a disfunção pode ser sentida em diversos níveis. A partir da constatação da intensidade desses sintomas, é que iniciamos o tratamento”, afirma o Dr. Roberto.

Além do acompanhamento profissional e tratamento medicamentoso, o professor dá algumas dicas para prevenir a alteração e suavizar os sintomas:

– Realizar atividades físicas regularmente;
– Evitar doces; balas, chocolate e refrigerantes;
– Manter uma alimentação balanceada e incluir principalmente vegetais e frutas nas refeições;
– Não consumir bebidas alcoólicas ou fumar;
– Diminuir o consumo de sal, e;
– Tomar bastante água.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 62, em 7/4/2015. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.