Professor da Faculdade Santa Casa de São Paulo apresenta orientações para mulheres com dificuldades em engravidar

Dr. Newton Eduardo BussoAtualmente, muitas mulheres optam por adiar a maternidade em função de projetos pessoais como carreira, viagens, estudos, entre outros. “Contudo, é importante que fiquem atentas à idade para não terem complicações no futuro. Uma das soluções, para aquelas que desejam postergar a gravidez, é congelar os óvulos, lembrando que, quanto mais cedo decidirem por essa estratégia, melhor será a qualidade destes óvulos”, afirma o Dr. Newton Eduardo Busso, professor assistente de Ginecologia e Obstetrícia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

Outra dica importante dada pelo médico está relacionada aos cuidados com a saúde, pois também interferem no processo da gravidez. “É fundamental que, desde cedo, a mulher tenha uma dieta equilibrada, mantenha o peso dentro da normalidade, não fume e não abuse do álcool”, declara o Dr. Busso.

O professor ainda destaca que, caso a mulher não consiga engravidar dentro de um ano, deve buscar as causas dessa dificuldade. “É recomendado obter o diagnóstico precocemente, assim, quanto mais cedo o tratamento for iniciado, melhor. Afinal, um dos fatores que mais impactam na infertilidade feminina está relacionado à anatomia, como o funcionamento das trompas que, por algum motivo, pode estar comprometido por um processo infeccioso, como no caso da endometriose, ou por uma cicatriz cirúrgica”, explica o especialista.

A segunda causa mais frequente, segundo o Dr. Busso, é quando a mulher não ovula, como no caso da síndrome de ovário policístico. Já quando a trompa está totalmente obstruída e sem chances de reconstrução, a solução é a fertilização in vitro.

Infertilidade nos homens

Entre as causas masculinas de infertilidade a mais comum é a varicocele, caracterizada por uma dilatação das veias dos testículos que compromete a posição dos espermatozoides. “Alguns homens podem apresentar a produção do que chamamos de sêmen ruim”, enfatiza o médico. Diferentemente da mulher, que precisa avaliar uma série de possíveis problemas, no homem é mais fácil, pois basta fazer um espermograma para verificar se há ou não alguma alteração.

Também existem as causas de natureza infecciosa. “Por exemplo, a mais conhecida é a caxumba, que pode levar a infecção dos testículos e prejudicar a fertilidade do homem”, finaliza.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 48, em 26/8/2014. Assine nossa newsletter:
http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Anúncios