Dia Mundial do Coração

28 de setembro – Dia Mundial do #Coração ❤️

 Sexta-feira, dia 28/9, a Faculdade e o Hospital da Santa Casa se uniram para uma atividade de prevenção e orientação em favor da comunidade.

Desde cedo, estiveram com as portas abertas para todos os interessados em fazer exames importantes para verificar a saúde geral e do coração.

Nossos estudantes de Medicina e Enfermagem, orientados por professores, fizeram a medição da pressão arterial e averiguaram os índices de colesterol, triglicérides e Hemoglobina Glicada. Todos saíram com os resultados anotados e, se necessário, foram orientados a procurar uma Unidade Básica de Saúde.

Além disso, profissionais realizaram palestras sobre fatores de risco, a importância dos exercícios físicos, alimentação e qualidade de vida.

 

Anúncios

Programa Saúde na Escola: interfaces entre saúde e educação

1º  Seminário de Promoção da Saúde da Criança e do AdolescenteNo próximo dia 13 de outubro, segunda-feira, das 7h às 13h, o curso de Graduação em Enfermagem da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo realizará o 1º Seminário de Promoção da Saúde da Criança e do Adolescente, com o tema “Programa Saúde na Escola: interfaces entre saúde e educação”. O evento, dirigido a estudantes e profissionais da área da saúde e educação, acontece na Rua Martinico Prado, 85, Vila Buarque, São Paulo (SP). As inscrições são gratuitas e podem ser feitas até o dia 9/10 , preenchendo o formulário abaixo:

Confira a programação: clique aqui.

Fonoaudiologia: estudo descreve impactos do fumo passivo

A pesquisa  “Emissões Otoacústicas em escolares expostos ao fumo”, realizada pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, foi destaque na Revista Saúde é Vital (Editora Abril), publicada em janeiro de 2014. Reproduzimos a reportagem, assinada por Gabriela Queiroz, com a entrevista da Dra. Alessandra Spada Durante, professora do curso de Graduação em Fonoaudiologia da Faculdade Santa Casa de São Paulo.

Reportagem da Revista Saúde é Vital,_pág, 66, publicada em 1º/1/2014

Curso de Morfologia para Residentes de Otorrinolaringologia

A Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, por intermédio de seu Departamento de Morfologia, acaba de anunciar o lançamento da segunda edição do Curso de Morfologia para Residentes de Otorrinolaringologia. A novidade, no ano em que a Faculdade Santa Casa de São Paulo completa 50 anos, é que o programa também será aberto para residentes de outras instituições e para médicos otorrinolaringologistas, interessados em participar do curso.

Um dia por mês, com início em março e término em junho

Ao todo, o curso terá 20 horas-aula e será oferecido em quatro encontros presenciais. Dessa forma, os residentes em Otorrinolaringologia e médicos otorrinolaringologistas poderão planejar, com antecedência, a participação no programa, sem prejuízo às demais atividades de sua rotina diária.

Curso de Morfologia

Com a coordenação da Dra. Bianca Maria Liquidato e Dra. Mirna Duarte Barros, professoras da Faculdade Santa Casa de São Paulo, o Curso de Morfologia para Residentes de Otorrinolaringologia prevê aulas expositivas e aulas práticas com peças anatômicas dissecadas e pranchas com fotomicroscopias de histologia, embriologia e neuroanatomia. “É uma forma de promovermos a revisão e a atualização para os residentes de Otorrinolaringologia sobre os temas de Morfologia relacionados a essa especialidade”, explica a Dra. Bianca M. Liquidato.

O corpo docente do programa é formado por professores doutores da Faculdade Santa Casa de São Paulo. “Este curso, desenvolvido a partir da ampla experiência e vivência de nossos professores na área de Morfologia, é reconhecido pela qualidade que caracteriza outros programas oferecidos pela Instituição. Será uma experiência enriquecedora receber residentes de outras instituições, que estejam em seu 1º ano de residência, e médicos otorrinolaringologistas nesta 2ª edição do Curso de Morfologia, pois queremos compartilhar com todos o que há de melhor em nosso conhecimento e vivência prática”, conclui Dra. Mirna Barros.

Confira a programação:

Data Horário Tema Carga horária
20/3, quarta-feira (MANHÃ)
  • 9h às 11h
  • 11h às 12h
  • Aula teórica: Embriologia da face e arcos faríngeos
  • Aula prática: Pranchas de Embriologia
3h
17/4, quarta-feira (MANHÃ / TARDE)
  • 9h às 12h
  • 13h às 17h
  • Aula teórica: Anatomia e Histologiados Sistemas Respiratório e Digestório
  • Aula prática: Peças anatômicas, pranchas e lâminas
7h
8/5, quarta-feira (MANHÃ / TARDE)
  • 9h às 12h
  • 13h às 17h
  • Aula teórica: Anatomia Topográfica da Região Parotídea e Pescoço
  • Aula prática: Peças anatômicas
7h
5/6, quarta-feira (MANHÃ)
  • 9h às 11h
  • 11h às 12h
  • Aula teórica: Morfologia da orelha, via auditiva e via vestibular
  • Aula prática: Peças anatômicas e pranchas de Neuroanatomia
3h

 Corpo docente

Professores doutores da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (em ordem alfabética): Antonio Cardoso Pinto, Bianca Maria Liquidato, Celina S. B. Pereira, Daniella Franco Curcio, Ieda Millas, Maria de Fátima P. Carvalho e Mirna D. Barros.

 Público-alvo

  • Residentes de Otorrinolaringologia da Santa Casa de São Paulo e também de outras instituições
  • Médicos Otorrinolaringologistas

Vagas limitadas

Inscrições até 15/3/2013 pelo site www.fcmsantacasasp.edu.br.

Investimento

Valor integral: R$ 772,00

Associados da ABORL-CCF (Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial) contam com desconto de 30% sobre o valor integral. Total: R$ 540,00

Obs.: o pagamento poderá ser realizado em duas parcelas de igual valor, sendo a 1ª com vencimento até 15/3/2013 e a 2ª até 30/4/2013.

Novo Mestrado Acadêmico e Doutorado em Saúde Coletiva na Faculdade Santa Casa de SP

Saúde Coletiva  nos níveis Mestrado Acadêmico Doutorado é o novo programa de pós-graduação stricto sensu da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, que recebeu recomendação da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) . O curso terá a coordenação da Profª Dra. Maria Amelia Veras.

O programa busca desenvolver a capacidade do aluno para formular e conduzir pesquisas no campo da Saúde Coletiva visando contribuir para a produção de conhecimentos academicamente sólidos e socialmente relevantes na área, que possam ser aplicados à Política Nacional de Saúde, resultando em melhoria das condições de saúde da população.

Para o Mestrado, serão oferecidas 3 disciplinas obrigatórias (Fundamentos Teórico-Conceituais da Saúde Coletiva, Métodos de Investigação em Saúde Coletiva e Seminários de Pesquisa Orientada) e diversas optativas associadas a cada uma das linhas de pesquisa. Já para o Doutorado, a definição das disciplinas será feita pelo aluno com seu orientador, não havendo, a princípio, a definição de disciplinas obrigatórias, exceto os Seminários de Pesquisa Orientada e Oficina de Redação de Artigos Científicos.

Estas são as linhas de pesquisa:

  • Condições de vida, trabalho e ambiente na metrópole
  • Distribuição de doenças e agravos à saúde e seus determinantes
  • Recursos humanos para a saúde
  • Política de saúde e gestão de programas e serviços de saúde

Em breve, o edital de abertura para inscrições estará disponível no site www.fcmsantacasasp.edu.br. Cadastre-se para receber mais informações sobre as inscrições pelo e-mail comunicacao.marketing@fcmsantacasasp.edu.br.

Dr. Franken ressalta importância do exame de saúde

Confira abaixo reportagem publicada no jornal O Estado de S. Paulo, em 10/1/2013, com a participação do Dr. Roberto Franken, cardiologista e professor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

Lei livra academia de exames médicos

Nova regra promulgada pela Câmara determina avaliação só para frequentador que não esteja dentro da faixa etária de 15 a 69 anos

10 de janeiro de 2013 | 2h 03
DIEGO ZANCHETTA, JULIANA DEODORO, RODRIGO BURGARELLI – O Estado de S.Paulo

Uma nova lei promulgada ontem pelo presidente da Câmara Municipal, José Américo (PT), livra as academias de São Paulo de realizarem exames médicos semestrais e na admissão de cada um dos seus alunos. A obrigação havia sido estabelecida por uma lei municipal sancionada em fevereiro do ano passado pelo prefeito Gilberto Kassab (PSD). A justificativa é que a regra estava causando “ônus de ordem econômica e burocrática” às academias e seus frequentadores.

A nova lei é uma das principais reivindicações dos donos de academia, que reclamavam de ter de aumentar o preço das mensalidades para arcar com os custos dos exames. A partir de agora, só precisarão fazer exame médico nas academias os frequentadores que não estejam dentro da faixa etária de 15 a 69 anos.

Já quem se enquadra nessa idade vai ter apenas de responder a um questionário de prontidão para atividade física. Esse documento vai trazer perguntas como “você sentiu dor no peito quando realizava atividade física?” ou “toma algum medicamento para pressão arterial?”.

Se houver alguma resposta positiva, o usuário terá de assinar um termo de compromisso se responsabilizando, caso decida fazer academia sem se consultar com um médico. A lei se originou de um projeto apresentado pelo então vereador Antonio Donato (PT), hoje secretário de Governo e homem-forte da gestão Fernando Haddad (PT).

Na justificativa apresentada para o projeto, ele afirmou que a lei aprovada ano passado acabava com o incentivo às atividades físicas e estimulava a prática de exercícios por conta própria – o que pode trazer mais riscos à saúde do que em uma academia, por exemplo.

Donato afirmou também que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) classifica a atividade praticada em academias como de baixo risco. “A exigência de exames médicos desestimula a prática de atividades físicas justamente no local mais seguro e adequado para isso, já que as academias são legalmente responsáveis pela qualidade e segurança dos serviços e equipamentos oferecidos e são obrigadas a manter profissionais de educação física em suas dependências, os quais avaliam e monitoram os usuários”, escreveu.

Tramitação. A proposta não chegou a ser votada em plenário pelos 55 vereadores. O regimento interno da Câmara permite que um projeto que exija maioria simples para a sua aprovação vire lei passando apenas pelas comissões temáticas. Nesse caso, ele só teria de passar por plenário caso ao menos um décimo dos vereadores apresentasse recurso contra a sua aprovação direta pelas comissões.

Américo afirmou que a liderança do governo Kassab chegou a apresentar pedido para que a proposta passasse por plenário. Mas, no fim do ano passado, o recurso foi retirado e o projeto aprovado, passando apenas pelas comissões de Constituição e Justiça, Atividade Econômica, Saúde, Promoção Social e Trabalho e Finanças e Orçamento. Ela foi sancionada pelo presidente da Câmara porque expirou o prazo legal para que o prefeito a sancionasse.

“Fiz o que a lei determina, que é promulgar um projeto que o prefeito deixou de sancionar. Faria isso com o projeto de qualquer outro vereador”, argumentou ontem o presidente, José Américo. Ele, porém, elogiou a modificação sugerida por Donato nas regras dos exames médicos. “Sou totalmente favorável ao projeto desde o início de suas discussões (em maio de 2012)”, acrescentou o petista.

Obrigatoriedade era ignorada em muitos estabelecimentos

Professora conta que em sua academia exame nunca foi cobrado; tema causa discussão em vários lugares do mundo

10 de janeiro de 2013 | 2h 03 – O Estado de S.Paulo

A gerente financeira Márcia Pereira, de 40 anos, descobriu há nove anos que era hipertensa. Um ano depois da descoberta, começou a malhar, já sob orientação médica, mesmo sem a obrigatoriedade do exame. “Se tivesse começado a malhar sem saber que era hipertensa, poderia ter tido um enfarte. Acho o exame super importante”, diz.

Ela conta que muita gente da academia que frequenta reclamava da regra. O local aceita dois tipos de exame: o feito com médico particular ou com o médico da academia, que cobra taxa de R$ 40 para realizá-lo. “As pessoas não têm tempo e acaba sendo um problema a mais.”

É o caso do engenheiro civil Rodrigo Maciel, de 33 anos. No ano passado ele quase teve que ficar parado por um tempo porque a catraca da sua academia não libera a entrada de quem está devendo o exame. “O plano de saúde não marca uma consulta de um dia para o outro, leva pelo menos 15 dias”, afirma. Ao saber que o exame não seria mais obrigatório, o engenheiro ficou satisfeito. “Acho que cada um deve se preocupar com a própria saúde. O exame dava trabalho e era apenas um transtorno.”

Mesmo com a lei, nem todas as academias cumpriam a regra. Na academia da professora Milena de Oliveira, de 24 anos, o exame nunca foi cobrado. “Na prática, essa mudança não vai nem me afetar”, diz.

A obrigatoriedade do exame médico antes da prática de exercícios físicos é uma polêmica em diversos lugares do mundo, diz o cardiologista e professor da Faculdade Santa Casa Roberto Franken. Para ele, obrigar todos os usuários a fazer o exame é algo complexo e de difícil operacionalidade, mas o cardiologista reitera que o exame é importante e que as pessoas devem se preocupar com a própria saúde.

“Se a lei não obriga a pessoa a fazer o exame, ela deve individualmente se cuidar”, afirma Franken. Ele lembra que quem tem histórico de hipertensão na família e já está com a idade avançada deve redobrar a atenção. “Homens acima de 45 anos e mulheres de 50 em diante devem se cuidar. / D. Z., J. D. e R. B.

———————————————————————————————————————
Links: http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,lei-livra-academia-de-exames-medicos-,982451,0.htm
http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,obrigatoriedade-era-ignorada-em-muitos-estabelecimentos-,982448,0.htm
 

Professor da Faculdade Santa Casa de São Paulo apresenta palestra sobre “A Saúde do Futuro”, no TEDxMauá

Para compartilhar sua experiência em implementar soluções na área da saúde, o Dr. Irineu Massaia, professor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, foi um dos participantes do TEDxMauá, evento realizado no dia 27 de outubro, no Instituto Mauá de Tecnologia, em São Caetano do Sul (SP). Durante a palestra “A Saúde do Futuro”, o especialista apresentou um projeto inovador que visa a criação de um hospital exclusivo para idosos, ideia alinhada ao aumento da expectativa de vida da população brasileira.

O TEDx é uma das ações do TED (Tecnologia, Entretenimento e Design), instituição sem fins lucrativos dedicada a “Ideias Que Merecem Ser Espalhadas”. O programa é idealizado para dar às comunidades, organizações e indivíduos a oportunidade de estimular localmente o diálogo e experiências em diversas áreas. O TED surgiu em 1984 como uma conferência anual na Califórnia (EUA) e já teve palestrantes como Bill Clinton, Bill Gates, Bono Vox e Michelle Obama.

Durante a palestra, o Dr. Massaia relatou que o mundo envelheceu e a taxa de mortalidade caiu com o avanço da Medicina. De acordo com o especialista, atualmente, 10% da população do Brasil é composta por idosos. Em 2050, esse número será de 30%.

O médico explica que nos prontos-socorros é comum a queixa na demora do atendimento aos idosos e que a preferência a esta faixa etária não tem sido percebida. A equipe médica é treinada para atender com prioridade os casos mais graves, não necessariamente os idosos, o que tem gerado reclamações. Outra dificuldade identificada diz respeito ao ambiente, considerado barulhento e sem uma estrutura específica para receber este público no complexo hospitalar.

Para modificar este cenário, o professor defende a implantação de um treinamento profissional específico para atendimento aos idosos, com destaque à percepção das necessidades características dessa faixa etária. Além disso, ele aponta a importância de mudanças arquitetônicas para facilitar a mobilidade durante os procedimentos a serem realizados no hospital, a comunicação visual das placas de orientação e avisos, e no conforto em geral dos idosos. Para o Dr. Massaia, o médico deve fazer a avaliação das funções orgânicas, deficiências, humor e locomoção e, dessa forma, antecipar os riscos para que o indivíduo seja atendido com eficiência, fatores que possibilitam a recuperação mais rápida do paciente.

Clique aqui e assista a palestra do Dr. Irineu Massaia no TEDxMauá.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 8, em 12/12/2012. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.