FCMSCSP está com inscrições abertas para especializações na área de Fisioterapia

Para você, fisioterapeuta, que está à procura de uma especialização como forma de aprimoramento profissional, esta é a sua oportunidade. Na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo você pode dar continuidade aos seus estudos com os cursos de Pós-graduação na área de Fisioterapia. Todas as especializações contam com docentes que possuem ampla experiência e com o trabalho de coordenadores preparados que asseguram a atualização constante dos cursos.  Conheça, na relação a seguir, quatro cursos que já estão recebendo inscrições no Portal FCMSCSP.

  • Fisioterapia Cardiorrespiratória e Metabólica

Com duração de 13 meses, o curso de Pós-Graduação em Fisioterapia tem como objetivo capacitar o profissional na especialidade em todas as dimensões: prevenção, tratamento e reabilitação. Inscrições abertas até dia 15 de agosto. Para mais informações, acesse o Portal FCMSCSP.

  • Fisioterapia Hospitalar

A Pós-graduação em Fisioterapia Hospitalar conta com carga horária de 1652 horas e tem duração de 13 meses, incluindo a entrega da monografia. O objetivo do programa é capacitar o profissional a desenvolver a prática clínica com conhecimento científico, promover conhecimento teórico para uma abordagem fisioterápica prática e concisa, evidenciando a necessidade da atuação fisioterápica preventiva nos programas de reabilitação cardiorrespiratória e metabólica, visando o retorno dos pacientes ao convívio sociocultural a que pertencem. As inscrições podem ser feitas até o dia 15 de agosto, pelo Portal FCMSCSP.

  • Fisioterapia nas Afecções da Coluna Vertebral

Com duração de 13 meses e aulas aos sábados, das 8h às 16h40, o curso de Pós-Graduação em Fisioterapia nas Afecções da Coluna Vertebral tem como objetivo oferecer instrumentalização a seus alunos por meio de conhecimentos para avaliação criteriosa e entendimento do processo patológico, a fim de que possa propor a forma mais eficaz de intervenção fisioterapêutica. Este programa de especialização lato sensu também proporciona aos seus alunos a perspectiva de ensino e de pesquisa na área. As inscrições vão até 15/8 e podem ser feitas diretamente, no Portal FCMSCSP.

  • Fisioterapia na Saúde da Mulher e do Homem

O curso de Pós-graduação em Fisioterapia na Saúde da Mulher e do Homem tem como foco promover o bem-estar, prevenção, tratamento e reabilitação do paciente, a fisioterapia possui campo de atuação amplo e concorrido, embora as áreas mais conhecidas da carreira ainda sejam as traumato-ortopédica, neurológica, esportiva e, atualmente, a área de estética. Sempre atenta à evolução da área da saúde, em que cada vez mais os fisioterapeutas são requisitados para atuar nas áreas de ginecologia, obstetrícia e urologia. Inscrições podem ser feitas até o dia 15/8, no Portal FCMSCSP.

  • Fisioterapia no Envelhecimento Ativo

O curso de Pós-Graduação em Fisioterapia no Envelhecimento Ativo tem por objetivo capacitar o profissional a desenvolver a prática clínica no processo de envelhecimento com conhecimento científico, promover conhecimento teórico para uma abordagem fisioterápica prática e concisa, evidenciando a necessidade da atuação fisioterápica preventiva nos programas de reabilitação do indivíduo que está no processo de envelhecimento, visando a permanência, melhora e/ou retorno destes ao convívio sociocultural a que pertencem. Inscreva-se até o dia 15/8, na página do curso de Pós-graduação em Fisioterapia no Envelhecimento Ativo.

  • Fisiologia do Exercício Aplicada à Clínica Médica

O curso de Pós-graduação em Fisiologia do Exercício Aplicada à Clínica Médica tem como objetivo promover conhecimento teórico-prático do treinamento físico, evidenciando a importância do mesmo na clínica médica e cirúrgica como terapêutica de prevenção e reabilitação. Inscreva-se até o dia 15/8 no Portal FCMSCSP.

Anúncios

Oitenta por cento dos brasileiros vão apresentar dor lombar durante suas vidas

Prof.ª Dra. Vera Lúcia dos Santos AlvesPelo menos 80% dos brasileiros apresentarão, em algum momento de suas vidas, um quadro de dor lombar, é o que afirma a Prof.ª Dra. Vera Lúcia dos Santos Alves, coordenadora do curso de pós-graduação em Fisioterapia nas Afecções da Coluna Vertebral da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Porém, de acordo com a especialista, apenas 15% das lombalgias (dor na parte baixa da coluna) e lombociatalgias (dor que se inicia na região da coluna e desce posteriormente pelas pernas) possuem uma causa específica.

“Inúmeras circunstâncias contribuem para o desencadeamento e cronificação das dores lombares, como: aspectos psicossociais, insatisfação profissional, obesidade, tabagismo, grau de escolaridade, realização de trabalhos pesados, sedentarismo, síndromes depressivas, fatores genéticos, hábitos posturais e até alterações climáticas”, afirma a fisioterapeuta.

Segundo a Dra. Vera, a dor nas costas associada a dores nas pernas pode ser sinal de hérnia de disco que, em casos mais graves, resulta em perdas significativas na força e sensibilidade do membro afetado.

Caso a dor lombar não seja proveniente de uma grave complicação, a recuperação é rápida, mesmo em casos de hérnia de disco. A especialista explica que manter-se ativo é uma das melhores ações para o tratamento.

“Estudos têm demonstrado que pessoas com dores lombares recuperam-se mais rapidamente quando permanecem ativas. Por orientação médica, as atividades fisioterápicas, acupuntura e medicações analgésicas são indicadas”, diz a professora.

Para prevenir o problema, a Dra. Vera recomenda realizar atividades físicas regularmente, pois melhoram o condicionamento cardiovascular e fortalecem os músculos do quadril e tronco.

“Os músculos abdominais são importantes no apoio à região lombar. Pesquisas apontam que o abdômen tem a capacidade de se contrair antes que qualquer outro músculo do corpo se contraia durante a execução de movimentos, como abrir o braço e levantar a perna. Isso é resultado da necessidade corporal em manter a coluna estável com suas vértebras devidamente encaixadas”, explica.

A especialista ressalta também que é importante evitar atividades que envolvam flexão ou torção repetitiva e de alto impacto, pois aumentam o estresse sobre a coluna. “Ao determinar o tratamento fisioterápico, diversos fatores devem ser considerados visto que são várias as causas responsáveis pelo surgimento da dor e, para cada caso, há um tipo de conduta a ser adotada”, finaliza.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 24, em 20/8/2013. Assine nossa newsletter http://www.fcmsantacasasp.edu.br.