8 de agosto – Dia Nacional do Combate ao Colesterol

Dr. Osmar MonteCom a finalidade de alertar a população brasileira em relação aos cuidados com a saúde, o dia 8 de agosto é marcado como o Dia Nacional do Combate ao Colesterol. “Quando está alto, ele se deposita nas paredes das artérias, acarretando a formação das placas de aterosclerose”, afirma o Dr. Osmar Monte, endocrinologista e vice-diretor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

O consumo exagerado de alimentos com alto teor de colesterol, como os de origem animal – carnes, leite, queijos, manteiga e iogurtes -, tende a elevar a taxa de gordura no sangue, o que pode ocasionar problemas cardiovasculares. Segundo o endocrinologista, em quantidades normais, o colesterol é saudável. “A melhor forma de prevenir é estabelecer uma alimentação balanceada com pouco teor de gordura animal, dar preferência para legumes, verduras e frutas. Além disso, praticar atividades físicas regularmente”, enfatiza o Dr. Monte.

Exames

Para pessoas com histórico familiar de doença cardiovascular precoce, ou seja, pai com infarto antes dos 55 anos ou mãe antes dos 65 anos, é recomendado medir o colesterol já a partir dos dois anos da criança. Se o quadro estiver normal, deve ser repetido a cada cinco anos.

Caso não tenha esse histórico familiar, o ideal é iniciar os exames a partir dos 30 anos e, se o resultado for normal, repetir a cada cinco anos.

Existem dois tipos de colesterol: o HDL, que é saudável e reduz o risco de acúmulo de gordura nas artérias, e o LDL, o colesterol ruim, que deposita gordura nas artérias e dificulta o fluxo sanguíneo.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 23, em 6/8/2013. Assine nossa newsletter http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Anúncios

Rápido diagnóstico e pronto atendimento em cardiologia são fatores fundamentais para a formação do aluno em Medicina

Dr. Roberto Alexandre FrankenAs doenças cardiovasculares são responsáveis, em média, por 29,4% das mortes registradas anualmente no país, segundo dados do Ministério da Saúde. De acordo com o Dr. Roberto Alexandre Franken, professor titular do departamento de Clínica Médica da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, problemas cardíacos são a principal causa de óbitos no mundo e ocasionam grande número de internações.

“É importante que os estudantes de Medicina conheçam de maneira profunda o universo da cardiologia. Se não forem tratadas adequada e rapidamente, as doenças cardiovasculares podem levar à morte. Dessa forma, é importante que o aluno, que será um profissional de saúde, esteja preparado para realizar o diagnóstico e o pronto atendimento”, afirma o professor.

O Dr. Franken ressalta que entre as principais doenças do coração estão a coronariana, que se manifesta clinicamente como angina de peito ou infarto, e a insuficiência cardíaca. “Elas podem resultar de complicações causadas pela hipertensão arterial e alterações das taxas de colesterol e diabetes”, diz. O especialista alerta, ainda, para a possibilidade da existência de um componente hereditário ligado aos problemas cardiovasculares, porém as principais causas das doenças cardíacas são os hábitos e fatores secundários. “Pessoas perfeccionistas e que exigem muito de si, têm mais chances de desenvolver alguma disfunção cardíaca”, enfatiza.

O professor explica que durante o curso de Medicina, a especialidade cardiologia aborda o funcionamento do coração e da circulação, as patologias e os métodos de diagnósticos. “Além disso, são discutidos processos terapêuticos, clínicos, cirúrgicos e intervencionistas, em aulas teóricas, de simulação ou práticas realizadas nos laboratórios. O curso é bem extenso. É uma área bastante abrangente e requer dedicação dos estudantes”, conclui.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 15, em 16/4/2013. Assine nossa newsletter:http://www.fcmsantacasasp.edu.br.