Pós-graduação em Fisioterapia nas Afecções da Coluna Vertebral

Pós em Fisioterapia nas Afecções da Coluna Vertebral - Faculdade Santa Casa de SPCom duração de 13 meses e aulas aos sábados, das 8h às 16h40, o curso de Pós-Graduação em Fisioterapia nas Afecções da Coluna Vertebral tem como objetivo oferecer instrumentalização a seus alunos por meio de conhecimentos para avaliação criteriosa e entendimento do processo patológico, a fim de que possa propor a forma mais eficaz de intervenção fisioterapêutica. Este programa de especialização lato sensu também proporciona aos seus alunos a perspectiva de ensino e de pesquisa na área.

PÚBLICO-ALVO

Graduados em Fisioterapia, interessados na área ou os que já atuem em serviços especializados no tratamento das afecções da coluna vertebral. Inscrições abertas. Para mais informações, clique aqui.

Oitenta por cento dos brasileiros vão apresentar dor lombar durante suas vidas

Prof.ª Dra. Vera Lúcia dos Santos AlvesPelo menos 80% dos brasileiros apresentarão, em algum momento de suas vidas, um quadro de dor lombar, é o que afirma a Prof.ª Dra. Vera Lúcia dos Santos Alves, coordenadora do curso de pós-graduação em Fisioterapia nas Afecções da Coluna Vertebral da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Porém, de acordo com a especialista, apenas 15% das lombalgias (dor na parte baixa da coluna) e lombociatalgias (dor que se inicia na região da coluna e desce posteriormente pelas pernas) possuem uma causa específica.

“Inúmeras circunstâncias contribuem para o desencadeamento e cronificação das dores lombares, como: aspectos psicossociais, insatisfação profissional, obesidade, tabagismo, grau de escolaridade, realização de trabalhos pesados, sedentarismo, síndromes depressivas, fatores genéticos, hábitos posturais e até alterações climáticas”, afirma a fisioterapeuta.

Segundo a Dra. Vera, a dor nas costas associada a dores nas pernas pode ser sinal de hérnia de disco que, em casos mais graves, resulta em perdas significativas na força e sensibilidade do membro afetado.

Caso a dor lombar não seja proveniente de uma grave complicação, a recuperação é rápida, mesmo em casos de hérnia de disco. A especialista explica que manter-se ativo é uma das melhores ações para o tratamento.

“Estudos têm demonstrado que pessoas com dores lombares recuperam-se mais rapidamente quando permanecem ativas. Por orientação médica, as atividades fisioterápicas, acupuntura e medicações analgésicas são indicadas”, diz a professora.

Para prevenir o problema, a Dra. Vera recomenda realizar atividades físicas regularmente, pois melhoram o condicionamento cardiovascular e fortalecem os músculos do quadril e tronco.

“Os músculos abdominais são importantes no apoio à região lombar. Pesquisas apontam que o abdômen tem a capacidade de se contrair antes que qualquer outro músculo do corpo se contraia durante a execução de movimentos, como abrir o braço e levantar a perna. Isso é resultado da necessidade corporal em manter a coluna estável com suas vértebras devidamente encaixadas”, explica.

A especialista ressalta também que é importante evitar atividades que envolvam flexão ou torção repetitiva e de alto impacto, pois aumentam o estresse sobre a coluna. “Ao determinar o tratamento fisioterápico, diversos fatores devem ser considerados visto que são várias as causas responsáveis pelo surgimento da dor e, para cada caso, há um tipo de conduta a ser adotada”, finaliza.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 24, em 20/8/2013. Assine nossa newsletter http://www.fcmsantacasasp.edu.br.