Pneumonia: como identificá-la?

igor-polonio-fcmscsp

Dr. Igor Bastos Polonio, professor da disciplina de Pneumologia da FCMSCSP

Caracterizada pela inflamação dos pulmões, a pneumonia é uma doença que pode ser causada por vírus ou bactéria e que, em alguns casos, pode ser fatal para crianças menores de dois anos e idosos acima dos 60 anos, já que esses possuem imunidade mais baixa dos que as demais pessoas.

No dia 11 de setembro, durante um evento em homenagem às vítimas dos ataques terroristas às Torres Gêmeas, a candidata à presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton, que tem 68 anos, precisou deixar o local às pressas após sentir uma indisposição. Logo, veio o diagnóstico de pneumonia. Mas a pergunta é: de que forma é possível identificar essa doença? Como diferenciá-la de uma simples gripe ou resfriado?

A transmissão da pneumonia acontece por meio do contato interpessoal, como gotículas de saliva no ar, contato das mãos ou pela entrada acidental de bactérias no pulmão vindas da boca. De acordo com o Dr. Igor Bastos Polonio, professor da disciplina de Pneumologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, os principais sintomas da pneumonia incluem tosse com expectoração esverdeada ou amarelada, que pode ter sangue, febre alta, falta de ar e dor ao respirar.

Além disso, a doença possui um grupo de risco, como afirma o médico: “Geralmente os mais atingidos são crianças abaixo de dois anos de idade, idosos acima de 60 anos, indivíduos com imunossupressão, ou seja, que possuem diabetes, HIV ou câncer, moradores de rua e pessoas com doenças respiratórias e cardíacas crônicas. Isso acontece porque o mecanismo de defesa dessas pessoas é mais comprometido.”

Ainda segundo o Dr. Igor, o diagnóstico da pneumonia não é fácil de ser obtido e, por essa razão, o tratamento é empírico, baseado em antibióticos que combatem as bactérias mais frequentemente causadoras da doença. “A pneumonia viral, do ponto de vista clínico e radiológico, é semelhante à bacteriana, e os métodos diagnósticos são invasivos. Desta forma, somente em pacientes nos quais os germes envolvidos podem ser diferentes dos usuais – casos graves, de pacientes imunossuprimidos e internados em UTI – é que se justificam métodos invasivos para realizar o diagnóstico, pois nestes casos, muitas vezes, os germes são hospitalares ou diferentes dos germes que causam pneumonia em uma pessoa normal”, explica.

Como forma de prevenção, o Ministério da Saúde recomenda a vacinação contra a gripe, que é um agente que pode causar a pneumonia, além da vacinação contra a pneumonia pneumocócica, que pode evitar as formas mais graves da doença. Essa prevenção deve ser feita, principalmente, pelos indivíduos que se enquadram no perfil de um dos grupos de risco.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 97, em 20/9/2016. Assine nossa newsletter:http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Anúncios

Gripes e pneumonias também podem surgir nos dias mais quentes do ano

Doenças respiratórias no verãoNo verão, acredita-se que é menor a probabilidade de se contrair gripes, resfriados e pneumonia, doenças consideradas típicas do inverno, o que não é verdade. As enfermidades pneumocócicas ameaçam a saúde em qualquer época do ano.

Na reportagem “Saiba como prevenir problemas respiratórios no verão“, publicada pelo jornal Zero Hora (RS) em 6/1/2014, o Dr. Mauro Gomes, professor de Pneumologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo,  um dos entrevistados, explica que a maioria dos casos de pneumonia é causada por bactérias, mas também pode ser ocasionada por vírus, como aqueles que provocam a gripe.

Confira a íntegra da matéria, neste link.

Curso de Reciclagem Pediátrica da Santa Casa de São Paulo

Nos dias 31/8 e 1º/9, sexta e sábado, será realizado o 29º Curso de Reciclagem Pediátrica da Santa Casa de São Paulo. O encontro reunirá renomados especialistas da área, incluindo professores da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, e acontecerá no Hotel Renaissance, em São Paulo. Vagas limitadas, com condições especiais para médicos sócios da SPSP (Sociedade de Pediatria de São Paulo), residentes e acadêmicos.

Para mais informações e detalhes sobre as inscrições, acesse sobre o Programa Científico: clique aqui

Organização:
Departamento de Pediatria e Puericultura da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo