Dra. Patricia Fucs, professora da FCMSCSP, fala um pouco sobre sua experiência como presidente da SBOT

Dra. Patrícia Fucs, professora titular de Ortopedia da FCMSCSP

Na semana da celebração do dia da Mulher, Dra. Patrícia Fucs conta como é ser a primeira presidente mulher da Sociedade Brasileira de Ortopedia (SBOT).

Ao longo dos últimos séculos, várias mulheres em nossa sociedade estão se destacando como as ‘primeiras’ em suas áreas. Apesar dos avanços no mercado de trabalho e na luta por direitos iguais, o público feminino continua a abrir portas e, mesmo no século XXI, ainda temos a ‘primeira mulher a realizar algumas atividades.

Esse título parece não incomodar a Profª Dra. Patrícia Fucs, docente da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e primeira mulher a presidir a Sociedade Brasileira de Ortopedia (SBOT). Além do título de presidente, que foi concedido em 2017, Patrícia Fucs foi a primeira mulher a ocupar um cargo de diretoria na SBOT (2010) e na Société Internationale de Chirurgie Orthopédique et de Traumatologie (SICOT). Outra conquista que marcou a carreira da Dra. Fucs foi o título de primeira professora titular de Ortopedia, conquistado em 2015 na FCMSCSP.

Para a Professora, a titulação na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo foi um marco. A Dra. Patrícia fez questão de ressaltar a importância do Pavilhão Fernandinho e da FCMSCSP em sua carreira, dando destaque a função de professora onde exerce grandes responsabilidades: ensinar, influenciar e direcionar graduandos, pós-graduandos e residentes.

Com tantos títulos, o que a professora fala sobre ser mulher em um meio tão masculino? Para ela, o principal desafio está em superar paradigmas por meio da capacidade profissional: ‘No exercício da função no SICOT, percebi que a adaptação foi mais difícil para o lado masculino da diretoria do que para mim. O respeito dos colegas é uma conquista que leva tempo em um mundo tão masculino como o da Ortopedia’ afirma a médica.

Além dos desafios profissionais, o exercício do papel de mulher como um todo é um ponto que Patrícia ressalta: de acordo com a professora, ‘nós, mulheres, temos papéis a desempenhar além da profissão, família para cuidar, casa, carreira acadêmica entre outras responsabilidades que não são de exclusividade feminina, porém, ainda acabam ficando em sua maior parte com as mulheres’. Para ela, apesar do desafio ser grande, as mulheres de hoje são capazes de fazer tudo isso, sempre de maneira clara e organizada, usando suas mãos fortes e coração gentil.

Por fim, a presidente da Sociedade Brasileira de Ortopedia deixa um conselho para as jovens médicas que estão ingressando na ortopedia ou em outras especialidades: Sejam fortes em suas vontades, estude muito para sempre ser a melhor. Seja uma boa médica e não somente uma boa ortopedista, tenha educação e gentileza com seus pacientes e familiares, além de alimentar relações saudáveis e prósperas com seus/suas colegas de profissão e, lembre-se sempre, use a razão nas decisões e faça a ortopedia sempre com seu coração.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 124, em 9/3/2018. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br. 

Anúncios

Síndrome do Túnel do Carpo em gestantes

Young pregnant woman holds her hands on her swollen belly. LoveCaracterizada por dormência e formigamento na mão e no braço causados por um nervo no punho, a Síndrome do Túnel do Carpo é comum em 35% das gestantes. Essa é a segunda neuropatia mais comum entre as grávidas, perdendo somente para a dor lombar.

Para falar sobre o assunto, o Dr. Antonio Carlos da Costa, professor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e chefe do Grupo de Cirurgia da Mão e Microcirurgia do Departamento de Ortopedia e Traumatologia da Irmandade de Misericórdia da Santa Casa de São Paulo concedeu uma entrevista ao Portal Clickbebê.

Clique aqui e confira a matéria na íntegra.

Qual é o colchão ideal para você?

robert-meves-faculdade-santa-casaO momento de escolher um colchão pode vir com muitas dúvidas. Mola ou espuma? Qual é a melhor densidade de acordo com peso e altura? Para quem tem problemas na coluna, há alguma recomendação?

Em entrevista à Folha de S. Paulo, o Dr. Robert Meves, ortopedista e professor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo explica como escolher o colchão ideal para você.

Clique aqui e confira a entrevista completa.

Quando chega o momento de se decidir pela especialização em Medicina

Dr. José Eduardo Lutaif Dolci

Dr. José Eduardo Lutaif Dolci

Após seis anos de dedicação, chega a hora do jovem médico pensar em sua especialização. Segundo dados do Conselho Federal de Medicina, o país possui cerca de 400 mil médicos, sendo que, de acordo com estudo de 2012 do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp), há no estado de São Paulo 106.418 médicos em atividade, dos quais 55,96% têm uma especialidade médica ou até mais. Ainda de acordo com o órgão, pediatria, ginecologia e obstetrícia, cirurgia geral, anestesiologia, clínica médica, ortopedia e traumatologia, cardiologia, oftalmologia, radiologia e diagnóstico por imagem e medicina do trabalho são as dez primeiras especialidades mais preenchidas no estado.

Nesta matéria, o Dr. José Eduardo Lutaif Dolci, diretor do curso de Graduação em Medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, esclarece como a FCMSCSP tem se preocupado com a qualidade de ensino na formação de seus alunos, inclusive para que conheçam os caminhos necessários no caso de optarem por uma especialização na área. Acompanhe.

Conectar – Como tem sido a experiência da FCMSCSP na orientação a seus alunos a respeito da especialização a seguir?
Dr. Dolci – Na verdade, não fazemos nenhum direcionamento do aluno para a escolha de especialidade, principalmente porque nossa Escola sempre se orgulha por formar médicos generalistas – e muito bem formados. Desde o primeiro ano, os alunos têm amplo contato com os pacientes do Hospital Central e Unidades Básicas de Saúde (UBS), reforçando o conceito de formar o médico com ampla visão biopsicossocial. Os alunos começam a ter uma visão das especialidades entre o 3º e o 4º ano, visão esta mais teórica, mas é no internato que terão uma vivência das especialidades. Temos ainda o eletivo no 6º ano, que é um período de seis semanas no final do ano, no qual o aluno escolhe uma das especialidades – inclusive a clínica médica – em que passará por esse período para conhecer melhor a área e ajudá-lo a decidir qual aquela que deverá seguir em sua carreira de médico.

Conectar – De que forma as atividades extracurriculares da Faculdade, como o Programa Expedições Científicas e Assistenciais (PECA), contribuem no apoio à decisão dos alunos em suas especialidades?
Dr. Dolci – As atividades extracurriculares, em especial o PECA e as ligas acadêmicas, ajudam os alunos no desbravamento das especialidades, porque eles têm a oportunidade de ver, na prática, o papel do médico na sua área de atuação e, principalmente, a repercussão de sua atuação na sociedade.

Conectar – Existem áreas de especialização que merecem atenção do futuro médico, impulsionadas por progressos tecnológicos ou fatores comportamentais da população? Quais seriam?
Dr. Dolci – Existem várias especialidades que, com certeza, já despertam o interesse do jovem médico por suas novas tecnologias e novos conhecimentos. Podemos salientar o conhecimento de biologia molecular e de genética que, sem dúvida, trarão avanços para o diagnóstico e, principalmente, novas terapêuticas. Nos avanços tecnológicos, as mudanças e os novos equipamentos chegam praticamente todos os dias. O tratamento que hoje se faz para uma doença urológica ou otorrinolaringológica é totalmente diferente do que se fazia quando me formei, há 37 anos. Com a chegada do desenvolvimento das fibras óticas, as videocirurgias são muito menos invasivas com menor morbidade para os pacientes e menor tempo de internação. É claro que toda esta tecnologia influencia a decisão dos jovens na sua escolha.

Conectar – O curso de Graduação em Medicina da FCMSCSP é um dos mais tradicionais do país e, regularmente, recebe reconhecimentos por sua qualidade. Como a Faculdade tem se preocupado em manter o curso o mais atualizado possível, facilitando, assim, a formação de excelência de seus alunos?
Dr. Dolci – O curso de Graduação em Medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo é considerado um dos melhores do país, com reconhecimento dos órgãos institucionais e dos seus pares, principalmente. Por isso mesmo, temos a obrigação de manter o nosso nível de excelência – e a direção tanto do curso quanto da FCMSCSP tem se preocupado com isso. Recentemente promovemos uma reestruturação da matriz curricular com a introdução de novas disciplinas, necessárias frente aos novos conhecimentos, favorecendo uma maior integração das cadeiras básicas com a fisiologia e a fisiopatologia, ou seja, a saúde e a doença. Há, ainda, uma constante preocupação em estimular os alunos para iniciarem pesquisas por meio das ligas e de pós-graduação.

Saiba mais sobre o curso de Graduação em Medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 69, em 14/7/2015. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

2º Encontro de Atenção à síndrome de Down

A Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo realiza nos próximos dias 19 e 20 de março de 2015, quinta e sexta-feira, das 17h às 20h,  a segunda edição do Encontro de Atenção à síndrome de Down. A coordenação é da Dra. Sandra Cristina Fonseca Pires, professora do curso de Graduação em Fonoaudiologia da FCMSCSP.

loganNa programação deste evento, serão abordados temas como:

  • “A Vida com Logan”
  • Atenção da Enfermagem
  • Avaliação cardiológica
  • Educação e inclusão
  • Fonoaudiologia: praxia
  • Nutrição funcional
  • Ortopedia
  • Pediatria e multidisciplinaridade
  • Psicologia e família

Local do evento: Auditório Dr. Christiano Altenfelder, na Rua Dr. Cesário Motta Jr., 112, 4º andar (Novo Prédio da FCMSCSP), Vila Buarque, São Paulo (SP).

Confira a programação e se inscreva neste link.

Dia de Atenção ao Trauma chega à sua 10ª edição

No dia 6 de novembro aconteceu a 10ª edição do Dia de Atenção ao Trauma – Dia T, evento realizado anualmente pelo Avisa (Núcleo de Acidentes e Violência da Santa Casa de São Paulo). O evento contou com a presença de profissionais da área da saúde, alunos da FCMSCSP e de outras Instituições. Foram 18 cursos, com 3 convidados internacionais, 90 convidados nacionais e mais de 1600 participantes. O encontro fez parte da Semana do Trauma, iniciativa inédita com objetivo de englobar todos os aspectos relacionados à temática do evento, apresentando perspectivas das diferentes profissões e especialidades que atendem as vítimas de trauma.

De acordo com Renato Pescarolo Zan, professor do departamento de Medicina Social da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e presidente do Avisa, o Dia de Atenção ao Trauma pautou a implantação do Sistema de Trauma, o atendimento à Catástrofes e Múltiplas Vítimas, o Ensino ao traumatizado no país, as formas de atuação, além de abordar o problema no contexto mundial.

“Essa temática é de interesse para todos os profissionais que, de alguma forma, atuam na emergência e no pronto atendimento. Em 2010, aconteceram, no Brasil, 145 mil mortes decorrentes de trauma. Foram 390 ocorrências por dia e 16 por hora. Para cada morte, há 4 sequelados e dezenas de internações. No evento, focamos a qualidade do atendimento, reforçando que o melhor tratamento é a prevenção”, diz.

Segundo o professor, as apresentações contaram com profissionais de áreas como: cirurgia, ortopedia, terapia intensiva, neurocirurgia, pediatria, geriatria, e de especialistas em acidentes do trabalho e traumas da face. São consideradas traumas lesões internas decorrentes da troca de energia entre o meio externo e o corpo. As causas mais frequentes são os acidentes de tráfego, quedas e a violência interpessoal, apresentando características próprias, acometendo vários órgãos, o trauma está presente em todas as idades e diferentes níveis de gravidade.

Em 2013, ao lado da data memorável dos 50 anos da fundação da FCMSCSP, acrescenta-se mais uma década de atividades do Avisa. O núcleo conta com o apoio da FCMSCSP e da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e realiza reuniões, publicações, congressos e parcerias com instituições privadas e públicas.

“A nossa missão está embasada em congregar os profissionais e serviços de saúde da Santa Casa de São Paulo e instituições afins, promover e manter a disseminação de ações de prevenção, diagnósticos, terapêutica, reabilitação e de reinserção social das vítimas. Além disso, queremos desenvolver a adoção de comportamentos e de ambientes seguros e saudáveis com mobilização da sociedade e da mídia, monitorar a ocorrência de acidentes e violências e apoiar as atividades científicas”, finaliza.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 30, em 13/11/2013. Assine nossa newsletter http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Semana de Atenção ao Trauma: participe e atualize-se

A  Semana de Atenção ao Trauma da Santa Casa de São Paulo, um dos eventos da programação comemorativa dos 50 anos da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, será realizada entre os dias 2 e 10 de novembro de 2013. Para consultar a programação e fazer a sua inscrição, consulte o site do evento, clicando aqui.

Semana de Atenção ao Trauma 02a10112013 Faculdade Santa Casa de SP em breve