A fertilização in vitro (FIV) pode ser uma alternativa para casais com dificuldades de engravidar

page2_img_newton

Dr. Newton Eduardo Busso, coordenador da especialização em Infertilidade Conjugal e Reprodução Humana Assistida da FCMSCSP

Desejo de muitos casais, homens e mulheres podem encontrar dificuldades para conceber um filho. De acordo a organização Mundial de Saúde, a infertilidade é determinada quando não há concepção após um ano de tentativas sem a utilização de métodos contraceptivos, afetando de 8 a 15% dos casais em idade reprodutiva.

Nesses casos, a fertilização in vitro (FIV) pode ser uma das opções para o casal. O Dr. Newton Eduardo Busso, professor e coordenador do curso de Pós-graduação em Infertilidade Conjugal e Reprodução Humana Assistida da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, comenta o procedimento em entrevista ao Boletim Conectar.

Conectar: Como funciona a fertilização in vitro (FIV)?
Dr. Newton: A fertilização in vitro é procedimento que visa unir óvulos e espermatozoides para formar embriões e transferi-los ao útero, para possibilitar a gestação em pessoas que não conseguem naturalmente.

Conectar: Quais exames devem ser feitos antes da FIV?
Dr. Newton: São necessários exames clínicos e laboratoriais para rastrear doenças infecto-contagiosas, além de espermograma para confirmar a existência de espermatozoides na ejaculação.

Conectar: A FIV pode ser feita na menopausa?
Dr. Newton: Pode ser feita na menopausa desde que seja com a doação de óvulos, pois a menopausa acontece pelo esgotamento da reserva ovariana.

Conectar: Quais são os efeitos colaterais do procedimento?
Dr. Newton: Os riscos são inerentes à utilização de drogas para estimular a ovulação e ligados ao procedimento de punção ovariana para a obtenção de óvulos.

Conectar: Quais são as chances de gravidez, após a realização da FIV?
Dr. Newton: As chances de gestação estão atreladas principalmente à idade da mulher e ao diagnóstico da causa de infertilidade, na média podemos chegar a 35% de gravidez por ciclo de tratamento.

Conectar: Quanto tempo pode durar o tratamento?
Dr. Newton: O tratamento dura um ciclo menstrual desde o ínicio até o diagnóstico da eventual gravidez.

Conectar: O procedimento pode ser realizado por mulheres de qualquer idade?
Dr. Newton: Não há limite estabelecido para o tratamento, mas é importante realizar a avaliação clínica e laboratorial da mulher antes do tratamento.

Conectar: Quais os riscos essa técnica pode trazer?
Dr. Newton: Os maiores riscos estão ligados à Síndrome de Hiperestímulo Ovariano e os riscos de gemelaridade.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 106, em 14/3/2017. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.