Procura uma especialização na área de Psicologia?

psicologia-lato-sensu-faculdade-santa-casaPsicólogo em busca de uma especialização como forma de se manter atualizado com o mercado e dar novo impulso à carreira? A Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo pode te ajudar!

Até o dia 13/2, estão abertas as inscrições para 5 diferentes cursos de Pós-graduação na área de Psicologia. Todas as especializações contam com docentes que possuem ampla experiência e com o trabalho de experientes coordenadores que asseguram a atualização constante dos cursos.

Conheça, na relação a seguir, todos os cursos que já estão recebendo inscrições no Portal FCMSCSP. Entre as novidades, está o curso de Pós-graduação em Psicologia em Saúde Mental.

  • Psicologia em Saúde Mental (novo curso)

O novo curso de Pós-graduação em Psicologia em Saúde Mental tem como objetivos desenvolver competências e habilidades específicas relacionadas à atuação do psicólogo no contexto da saúde mental, integrando a prática à reflexão sobre a mesma. Inscrições abertas até dia 13 de fevereiro. Para mais informações, acesse o Portal FCMSCSP.

  • Psicologia Hospitalar 

O objetivo do curso de Pós-Graduação em Psicologia Hospitalar é fornecer conhecimentos específicos relacionados à atuação do psicólogo no contexto hospitalar, articulando a prática à reflexão sobre a mesma, desenvolvendo uma visão integrada e crítica a respeito do trabalho, além da ampliação do saber teórico e do contato com as diversas possibilidades de atuação neste campo (assistência, ensino e pesquisa). As inscrições podem ser feitas até o dia 13 de fevereiro, pelo Portal FCMSCSP.

  • Psicologia na Rede Básica de Atenção à Saúde

O objetivo do curso de Pós-Graduação em Psicologia na Rede Básica de Atenção à Saúde é desenvolver a prática do psicólogo na atenção primária à saúde, por meio da atuação em Unidades Básicas de Saúde (UBS) e habilitar o profissional para trabalhar em equipes multiprofissionais em interface com equipes da Estratégia de Saúde da Família (ESF) e Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF). A carga horária é de 530 horas e o curso tem duração de 13 meses. Inscreva-se no Portal FCMSCSP!

  • Reabilitação Neuropsicológica

O Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Reabilitação Neuropsicológica propõe promover a capacitação de habilidades específicas relacionadas ao desempenho do neuropsicólogo na área da Reabilitação Neuropsicológica em seus diversos contextos. As inscrições vão até 13/2 e podem ser feitas diretamente, no Portal FCMSCSP.

  • Neuropsicologia

O Curso de Pós-Graduação em Neuropsicologia se propõe a capacitar Psicólogos para atuar na área de Neuropsicologia em seus diversos contextos, através da aquisição de sólido conhecimento teórico-prático. Inscrições podem ser feitas até o dia 13/2, no Portal FCMSCSP.

Cursos de Pós-graduação da FCMSCSP: inscrições abertas

peca-facebook-cursos-novosSe você busca uma especialização como forma de se manter atualizado com o mercado e ainda pretende dar um novo impulso à sua carreira, a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo vai ajudá-lo a alcançar seus objetivos. Em 2017, terão início novas turmas em diversas áreas de conhecimento nos cursos de Pós-graduação lato sensu oferecidos pela FCMSCSP. As inscrições já estão abertas e os programas têm duração de 10, 12, 13, 15, 17, 18 ou 21 meses, de acordo com o curso escolhido.

Todas as especializações contam com docentes que possuem ampla experiência nas áreas de atuação envolvidas e também com o trabalho de experientes coordenadores que asseguram programas de pós-graduação sempre atuais.  Conheça, na relação a seguir, todos os cursos que já estão recebendo inscrições no Portal FCMSCSP. Entre as novidades, estão os cursos de Pós-graduação em Psicologia em Saúde Mental e Psicopatologia e Saúde Pública.

Clique sobre o nome do curso para conferir mais detalhes.

Síndrome do pânico: conheça os sintomas

Ana-Paula-Sabatini-fcmscsp

Ana Paula Sabatini, professora do curso de Pós-graduação em Neuropsicologia da FCMSCSP

Chamada de Transtorno de Pânico na linguagem psiquiátrica, a Síndrome do Pânico faz parte do grupo dos Transtornos de Ansiedade e classifica-se por ataques de pânico recorrentes e inesperados. Por ataque de pânico, entende-se um sentimento repentino de medo ou desconforto intenso frequentemente associado à sensação de desastre iminente, cujo pico ocorre em minutos e é acompanhado por sintomas físicos, entre eles: taquicardia, sudoreses, tremor, falta de ar, náusea, dor torácica, tontura e parestesias, entre outros. Para caracterizar a Síndrome do Pânico, os ataques devem ser recorrentes.

De acordo com Ana Paula Sabatini, psicóloga (CRP 06/61783) e professora do curso de Pós-graduação em Neuropsicologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, esses ataques são classificados como inesperados, pois não estão associados a nenhum fator ou ambiente estressor, apesar de poderem ocorrer também em situações específicas. “É importante ressaltar que tais ataques geram preocupação sobre suas consequências e/ou a pessoa tende a mudar sua rotina para evitar os ataques. Relatos de pacientes evidenciam que as crises geram um aumento tão intenso da pressão arterial, que podem dar a sensação de um infarto e sensação iminente de morte, embora o risco real seja mínimo”, explica.

Os primeiros sintomas, segundo a psicóloga, costumam aparecer na adolescência ou idade adulta, sendo mais comum entre 20 e 24 anos e em mulheres (proporção de duas mulheres para cada homem). Além disso, o transtorno acomete pessoas com perfil mais controlador e perfeccionista, que geralmente são muito produtivas e com necessidade constante de serem reconhecidas e aprovadas pelos outros. “Emocionalmente, são pessoas mais frágeis que também apresentam certa dependência em relação ao outro. As crises, embora geralmente não sejam desencadeadas por um motivo identificável, também podem aparecer em situações em que a pessoa perceba um desafio com o qual não consegue lidar”, esclarece.

O tratamento para o Transtorno de Pânico, que de acordo com a professora pode estar associado a outras patologias, como o Transtorno Depressivo e o Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC), é realizado com o uso de medicamentos e terapia.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 91, em 28/6/2016. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Comece o ano com mais conhecimento

POSSe você busca uma especialização como forma de se manter atualizado com o mercado e ainda pretende dar um novo impulso à sua carreira, a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo vai ajudá-lo a alcançar seus objetivos. Em 2016, terão início novas turmas em diversas áreas de conhecimento nos cursos de Pós-graduação lato sensu oferecidos pela FCMSCSP. As inscrições já estão abertas e os programas têm duração de 10, 12, 13, 15, 17, 18 ou 21 meses, de acordo com o curso escolhido.

Todas as especializações contam com docentes que possuem ampla experiência nas áreas de atuação envolvidas e também com o trabalho de experientes coordenadores que asseguram programas de pós-graduação sempre atuais. Conheça, na relação a seguir, todos os cursos que já estão recebendo inscrições no Portal FCMSCSP.

Clique sobre o nome do curso para conferir mais detalhes.

Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo abre inscrições para mais de 20 cursos de pós-graduação

A partir deste dia 1º de dezembro, terça-feira, a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo está com inscrições abertas para o processo seletivo 2016 para 24 cursos de pós-graduação.  Conheça a lista:

Fonoaudiologia: ​qual ​área a seguir dentro da ​ carreira?

Dra. Ana Luiza Navas, diretora do curso de Graduação em Fonoaudiologia da Faculdade Santa Casa de São Paulo

Dra. Ana Luiza Navas, diretora do curso de Graduação em Fonoaudiologia da Faculdade Santa Casa de São Paulo

Para esclarecer os pontos mais comuns sobre a carreira de Fonoaudiologia, confira esta entrevista com a Dra. Ana Luiza Navas, diretora do ​curso de Graduação em Fonoaudiologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.​

Conectar: Quais são as áreas de especialização em Fonoaudiologia?
Dra. Ana Luiza: As áreas reconhecidas pelo Conselho Federal de Fonoaudiologia são Voz, Linguagem, Audição, Saúde Coletiva, Motricidade Orofacial – tudo que tem a ver com a parte motora da fala; Disfagia, Fonoaudiologia Educacional, Fonoaudiologia do Trabalho, Gerontologia, Neuropsicologia e Fonoaudiologia Neurofuncional.

Conectar: Como ​podemos definir o mercado ​d​e trabalho para um ​fonoaudiólogo?
Dra. Ana Luiza: O mercado de trabalho da Fonoaudiologia é muito amplo, porque as áreas são muito diversas. Temos grande contingente trabalhando na área da saúde, no serviço público ou em clínicas particulares​,  mas existe o fonoaudiólogo que trabalha  ​no ambiente corporativo  ou  ​no setor educacional, dando consultoria tanto em escolas públicas ​quanto  nas p​articulares.

Conectar:
Quanto à área educacional, ​esse trabalho  ​seria aquele desenvolvido com crianças?
Dra. Ana Luiza: Existe sempre a imagem que o ​fonoaudiólogo só trabalha com crianças que possuem alguma dificuldade, porém ess​e profissional já vem trabalhan​do​, ​por exemplo, ​na área de Educação, na formação e capacitação de professores para o desenvolvimento de audição, linguagem e fala. ​Nesse caso, o  fonoaudiólogo atende professores prestando assessoria para o aprimoramento da comunicação expressão des​se​s​  profissiona​is, bem como pode fazer parte da equipe educacional visando a melhoria do processo de aprendizagem das crianças.

Conectar: E com as crianças, como é a atuação?
Dra. Ana Luiza: Os profissionais da ​Fonoaudiologia podem prestar orientações para o desenvolvimento de todos os alunos, e não somente ​àqueles que possuem alguma dificuldade. Eles atuam no ensino regular, com ​estudantes que não têm nenhuma dificuldade de alfabetização, para melhorar a habilidade de comunicação dessas crianças. Mas há também na Educação Especial, área inclusão, profissionais que auxiliam no processo de aprendizagem e comunicação de crianças com transtornos como a síndrome de Down, dislexia, déficit de atenção, ou com deficiências como a auditiva, prestando orientações e acompanhamentos específicos.

Conectar: Quais outros setores ​em que  o fonoaudiólogo pode atuar?
Dra. Ana Luiza: O ​fonoaudiólogo pode trabalhar com empresários, para melhorar a expressividade e comunicação oral; em veículos de comunicação com jornalistas, radialistas; e com outras várias instituições e pessoas que precisam fazer o aprimoramento da comunicação, não somente com cantor e ator, mas, por exemplo, com pessoas que precisam dar entrevistas frequentemente: técnicos de futebol, políticos e outros.

Conectar: Ao se formar,o fonoaudiólogo precisa de um registro para trabalhar?
Dra. Ana Luiza: Sim. Quando o aluno se forma, após a colação de grau, ele precisa solicitar um registro profissional no Conselho Regional de Fonoaudiologia de sua região; no caso de São Paulo, ​trata-se da 2ª Região.

Conectar: E quanto aos egressos que optem por seguir diretamente para o mercado de trabalho?
Dra. Ana Luiza: A grande maioria dos alunos que se formam tem plena condição de ingressar diretamente no mercado de trabalho sem precisar fazer especialização. E há empresas que ​já os ​contratam​ ao término do curso, pois ​reconhecem a ​formação​ de qualidade oferecida pela​ Faculdade ​Santa Casa​ de São Paulo. Há algumas áreas ​em ​que a especialização ou aprimoramento são necessárias e recomendadas, principalmente ​quando ​os egressos ​irão prestar concurso público que tem essa exigência em seu edital.

Conectar: Há um número grande de fonoaudiólogos que seguem para a área acadêmica?
Dra. Ana Luiza: ​Muitos d​os alunos ​da FCMSCSP ​têm procurado complementar sua formação em programas de pós-graduação, como mestrado e doutorado, tanto ​aqui ​quanto em outras instituições​. ​A Faculdade ​de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo ​oferece o Mestrado ​Profissional em Saúde da​ Comunicação Humana, dedicado principalmente ao ex-aluno que já teve uma experiência de mercado de trabalho e sentiu a necessidade de melhorar a sua prática profissional, fundamentar​-se​ melhor em termos científicos, desenvolver estratégias terapêuticas, manuais e guias de orientação.

Conectar: Para finalizar, como a FCMSCSP auxilia os alunos no término da Graduação?

Dra. Ana Luiza: A formação teórica e, principalmente, a prática deste ensino, bem como a carga horária e diversidade dos estágios supervisionados, que envolvem tanto a Clínica Escola de Fonoaudiologia, vários setores do hospital ​da ​ISCMSP, as Unidades Básicas de Saúde (UBS), Creches e Escolas faz com que os alunos saiam ​muito bem​ preparados. Além disso, ao longo do 4º ano, há uma tutoria, na qual professores orientam os alunos em encontros mensais sobre o que é pós-graduação, especialização, aprimoramento, gestão entre outros temas para que eles estejam ainda mais preparados para planejar suas carreiras.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 77, em 4/11/2015. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Pós-graduação na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

Pós 2015 FCMSCSPEstão abertas até o dia 23/2 as inscrições para os cursos de pós-graduação (especialização lato sensu) da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. O valor das inscrições feitas até esta terça-feira, dia 10/2, é de 50 reais. Após essa data, 75 reais.

Clique no nome dos cursos para conferir mais detalhes:

Área Específica da Psicologia da Saúde – NOVO
Enfermagem em Centro Cirúrgico, Recuperação Anestésica e Centro de Material e Esterilização – NOVO
Enfermagem em Centro Diagnóstico
Enfermagem em Nefrologia
Enfermagem na Assistência ao Adulto em UTI
Enfermagem Obstétrica
Enfermagem Pediátrica e UTI Pediátrica – NOVO
Enfermagem Psiquiátrica e Saúde Mental
Engenharia Clínica
Fisioterapia nas Afecções da Coluna Vertebral
Imaginologia Humana
Neurociência Aplicada à Educação – NOVO
Neuropsicologia
Perícias Médicas
Pesquisa Clínica
Psicologia na Rede Básica de Atenção à Saúde
Ressonância Magnética
Tecnologia no Diagnóstico por Imagem: TC e Medicina Nuclear – NOVO
Tecnologia no Diagnóstico por Imagem: TC e Radioterapia
 – NOVO
Tecnologia no Diagnóstico por Imagem: TC e Ressonância Magnética