Princípios Metodológicos e Aplicabilidade Clínica do NGS

flavia-piazzonNo dia 1º de setembro, sexta-feira, das 9h às 10h30, será realizada a aula de encerramento da disciplina de Medicina Molecular, coordenada pelo Prof. Dr. Carlos Longui, do Departamento de Ciências Fisiológicas da FCMSCSP. A aula que tem como tema “Princípios Metodológicos e Aplicabilidade Clínica do NGS”, contará com a presença da Dra. Flavia Piazzon, doutora pela Universidade de São Paulo (USP) e Geneticista da Mendelics Análise Genômica.

O encontro acontece nos auditórios Prof. Dr. Paulo Ayrosa e Prof. Dr. Emilio Athié, rua Dr. Cesário Motta Jr., 112, Vila Buarque, São Paulo (SP) e é destinado aos alunos e professores do curso de Graduação em Medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

10 filmes que todo profissional da saúde deveria assistir

É fato que o dia a dia dos profissionais e estudantes da área da saúde é muito corrido. Para os universitários, a rotina é repleta de provas, trabalhos e as diversas obrigações acadêmicas. Já para os profissionais de saúde, os plantões, consultas e atendimentos são as atividades que consomem as horas do dia. Mas, e que tal aproveitar a dia de folga ou o final de semana para se entreter assistindo um filme que propõem reflexão sobre a profissão?

Pensando nisso, nós preparamos uma lista com 10 filmes que todos os profissionais da saúde deveriam assistir. Venha conferir!

  1. Um Estranho no Ninho (1975)

Ambientado em uma clínica psiquiátrica, o filme conta a história de Randall McMurphy, interpretado pelo legendário Jack Nicholson, um indivíduo de espírito livre que termina lá fugindo da prisão e lidera os pacientes em uma rebelião contra a equipe opressiva, chefiada pela enfermeira Ratched. O clássico do cinema aborda como a saúde mental era tratada até poucas décadas atrás: com base em medicações sedativas, castigos e rígidas regras padronizadas de tratamento. O personagem de Nicholson é internado e revoluciona a clínica psiquiátrica com sua irreverência e indisciplina melhorando até mesmo o estado de saúde dos outros internos.

  1. Tempo de Despertar (1990)

Em 1969, em Nova Iorque, o médico neurologista Malcolm Sayer, interpretado por Robin Williams, trabalha em um hospital psiquiátrico. Lá, encontram-se vários pacientes que, aparentemente, estão catatônicos. Sayer sente que eles estão só “adormecidos” e que, se forem medicados da maneira certa, poderão ser despertados. Pesquisando sobre o assunto, ele chega à conclusão de que os pacientes sofrem de encefalite letárgica, e que a droga L-DOPA, usada em pacientes com o mal de Parkinson, poderia ser o medicamento ideal para tratá-los. Sayer é autorizado pelo diretor do hospital a submeter apenas um paciente ao novo tratamento; ele escolhe Leonard Lowe (Robert De Niro), que estava “adormecido” há décadas. O filme nos mostra a importância da assistência humana dos profissionais de saúde com seus pacientes e de que forma essa humanidade pode mudar a todos, inclusive quem a pratica.

  1. Um Golpe do Destino (1991)

Cirurgião de sucesso, Jack Mckee é completamente desconectado emocionalmente de sua família e das pessoas que opera. Ao desenvolver um tumor maligno, ele começa a ver a vida da perspectiva de um paciente. Jack conhece uma mulher fatalmente doente, mas extremamente corajosa e percebe a necessidade de mostrar compaixão em sua profissão. Neste filme, é despertada a reflexão sobre a importância da relação entre médico e paciente.

  1. O Óleo de Lorenzo (1992)

Um drama real na vida de um pai e uma mãe que lutam para salvar a vida de seu filho. Augusto e Michaela Odone são pegos pelo destino: Lorenzo de cinco anos de idade é diagnosticado com uma rara e incurável doença, mas a persistência da família e sua fé os leva para a cura, salvando seu filho e mudando a história da medicina.

  1. Patch Adams – O Amor é Contagioso (1998)

Patch Adams descobre que o humor e o carinho podem fazer maravilhas e ajudar a curar pessoas hospitalizadas, mas suas ideias entram em conflito com os defensores da medicina tradicional. Este é outro grande clássico da área médica que possui o ator Robin Williams como personagem principal.

  1. Quase Deuses (2004)

Vivien Thomas, um negro na década de 30, é contratado como faxineiro mas acaba ajudando o Dr. Alfred Blalock em uma investigação médica. O problema é que o racismo não permite a entrada de Thomas na universidade, mas como ele é indispensável para o êxito do projeto, sua entrada é permitida contanto que somente Blalock receba as honras. Este filme, baseado em fatos reais, mostra a pesquisa e como foi a primeira cirurgia de coração do mundo.

  1. Mar Adentro (2004)

Rámon sofreu um acidente que o deixou paralisado e preso a uma cama por boa parte de sua vida. Cansado, ele luta pelo direito de dar fim à sua existência e entra em conflito com a sociedade, a Igreja e sua família. Filme traz uma reflexão importante a todos os profissionais da saúde: a eutanásia.

  1. O Escafandro e a Borboleta (2007)

Aos 43 anos de idade, o editor-chefe da revista Elle, Jean-Dominique Bauby, tem um derrame devastador que o deixa paralisado e dependente, algo frustrante para um homem conhecido por aproveitar demasiadamente a vida. A única coisa capaz de mover é o olho esquerdo. Então ele aprende a se comunicar piscando e escreve um livro de memórias. O filme nos apresenta mais sobre a neurofisiologia e sobre a Síndrome do Encarceramento, rara doença chamada em que os movimentos do corpo inteiro são paralisados, mas as faculdades mentais se mantêm intactas.

  1. Mãos Talentosas – A história de Ben Carson (2009)

 O Dr. Ben Carson, neurocirurgião de fama mundial, tem origem humilde e protestante em Detroit. Ele torna-se diretor do Centro de Neurologia Pediátrica do Hospital Universitário Johns Hopkins, em Baltimore, nos Estados Unidos, aos 33 anos. Uma inspiradora história de superação da pobreza e busca pela perfeição na carreira médica.

  1. O Físico (2013)

Ainda criança, Rob vê sua mãe morrer em decorrência da doença do lado. O garoto cresce sob os cuidados de Bader, conhecido como “barbeiro-cirurgião”, que promete curar doenças. Ao crescer, Rob acumula todos os conhecimentos de Bader sobre cuidar de pessoas doentes, mas ele sonha em saber mais. Rob descobre então, que na Pérsia há um médico famoso, responsável por administrar um hospital. Para aprender com ele, Rob faz uma longa viagem rumo à Ásia, a fim de aprender a exercer a Medicina, em pleno século XI.

Gostou das nossas dicas? Agora é só preparar a pipoca e aproveitar!

 

Alunos e professores da FCMSCSP realizam mutirão diagnóstico de Transtorno do Espectro Autista em Limeira (SP)

mutirao-autismo-faculdade-santa-casa

No dia 20 de maio, sábado, foi realizado um mutirão diagnóstico de Transtorno do Espectro Autista (TEA) em Limeira, interior de São Paulo (SP). O projeto foi organizado pela Prof.ª Rosane Lowenthal, do Departamento de Psiquiatria da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de Sâo Paulo e pela IFMSA – Santa Casa, em parceria com a Secretaria de Saúde de Limeira.

O mutirão envolveu membros da equipe multiprofissional da Unidade de Referência em Autismo da Irmandade de Misericórdia da Santa Casa de São Paulo, residentes em Psiquiatria, alunos dos cursos de Graduação em Medicina, Enfermagem e Fonoaudiologia da FCMSCSP, além das professoras Dra. Noemi Takiuchi e Dra. Byanka Cagnacci do curso de Graduação em Fonoaudiologia da FCMSCSP e da Prof.ª Dra. Rosane Lowenthal, coordenadora do evento.

Foram avaliadas 30 crianças, entre 3 e 7 anos, da lista de espera da cidade para investigação diagnóstica com suspeita de autismo. O processo de avaliação contou com anamnese, avaliação clínica multiprofissional, aplicação de escalas diagnósticas para autismo e triagem auditiva. Profissionais da Rede de Atenção Psicossocial de Limeira também participaram como observadores, para capacitação em avaliação e diagnóstico em TEA.

Alunos do curso de Graduação em Medicina da FCMSCSP apresentam trabalhos em congressos internacionais

Igor-e-Luca-Medicina-Faculdade-Santa-CasaNo início de 2017, estudantes do curso de Graduação em Medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo participaram do “Pesquisadores do Futuro”, programa coordenado pelo Núcleo de Relações Internacionais (NRI) da FCMSCSP.

Dentre os participantes, estão os alunos Igor Prado Generoso, do 2º ano, e Luca Fasciolo Maschião, do 3º ano, que passaram três meses na University of California, em São Francisco (EUA). Na oportunidade, os estudantes desenvolveram dois projetos, sob a orientação da Dra. Maria Amélia Veras, professora adjunta do Departamento de Saúde Coletiva da FCMSCSP.

Igor abordou o tema “Prevalência de sífilis e HIV entre homens que fazem sexo com homens de São Paulo”, comparando dados de 2011 com 2016: “Quase não existem dados nacionais sobre sífilis entre esse público; com a comparação de dados de 2011, pudemos observar como essas doenças estão se comportando nessa população, se há um aumento ou queda nas infecções”, afirma o aluno.

Luca, por sua vez, tratou do tema “Uso de hormônio e acesso a esse serviço entre mulheres trans de São Paulo”. O projeto tem como objetivo caracterizar os fatores associados com o uso de hormônios sem prescrição por mulheres transexuais e travestis no estado de São Paulo. “Sabemos que a hormonoterapia é uma das maiores demandas dessa população, que, por diversos mecanismos, não tem acesso a serviços de saúde capacitados. Isso frequentemente leva ao uso sem prescrição ou supervisão médica, o que pode acarretar em diversas complicações de saúde”, conta o estudante.

Segundo os estudantes, o envolvimento no Núcleo de Pesquisa em Direitos Humanos e Saúde LGBT (NUDHES), coordenado pela Dra. Prof.ª Maria Amélia Veras, foi a principal motivação para desenvolverem essas pesquisas.

“Pelo grupo, tive oportunidade de entrar em contato com a realidade das mulheres transexuais e travestis, observando a precariedade de sua condição social, mas também admirando sua resiliência e orgulho por suas identidades, lutando num mundo que as discrimina e as marginaliza sistematicamente. A pesquisa foi o caminho que encontrei para contribuir com essa luta”, comenta Luca.

“No grupo, quando estudamos doenças, nossas pesquisas são sempre voltadas para aspectos sociais, vulnerabilidades e prevenção. No momento que iniciei a pesquisa, muito se falava de sífilis na população geral, portanto achei que seria interessante trazer essa discussão para a população de homens que fazem sexo com homens também”, afirma Igor.

Reconhecimento
Entre os dias 23 e 26 de julho, Luca apresentará seu trabalho na 9ª IAS Conference on HIV Science (IAS 2017), a maior conferência científica de Aids, HIV e temas relacionados, que acontecerá em Paris. Igor, por sua vez, terá seu trabalho apresentado na World STI and HIV Conference, conferência internacional organizada pela ISSTDR (International Society for Sexually Transmitted Diseases Research), que ocorre de dois em dois anos em diversos países. Neste ano, a conferência será realizada no Rio de Janeiro e acontecerá juntamente com o congresso da Sociedade Brasileira de Aids.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 110, em 9/5/2017. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br. 

Para compreender eletrocardiograma

pedro-veronese-fcmscsp

Dr. Pedro Veronese, Ex-Santa e médico assistente na ISCMSP

Formado pela 37ª Turma do curso de Graduação em Medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, o Dr. Pedro Veronese, que sempre teve interesse pelo tema de eletrocardiograma, se tornou referência para alunos e residentes na discussão do método. Decidiu, então, criar, na própria Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, um curso que abordasse as práticas da área, intitulado “Descomplicando ECG”. O Ex-Santa especializou-se em cardiologia, arritmia clínica e eletrofisiologia no Instituto do Coração, da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, onde hoje faz doutorado, e atua há 10 anos como médico assistente do Serviço de Emergência do Hospital Central da ISCMSP. “Sempre fui cobrado para estruturar um curso de eletrocardiograma. Da união do meu amor pelo tema com a cobrança dos alunos e residentes, nasceu esse curso”, afirma o Dr. Pedro Veronese.

O curso é voltado para alunos do 1º ao 6º ano do curso de Graduação em Medicina da FCMSCSP, para residentes de clínica médica e outros profissionais, como enfermeiros e fisioterapeutas, e aborda as práticas do eletrocardiograma desde os conceitos mais básicos até o nível avançado. “Serão 12 aulas com 2 horas de duração cada, que serão ministradas em seis sábados pela manhã (2 aulas por sábado), com duração de quase 2 meses”, explica o professor.

O curso terá início no próximo dia 10 de dezembro e, além das aulas presenciais, os alunos poderão rever as aulas no formato online, com acesso aos principais tópicos de cada aula e exercícios para fixação do conhecimento, que será disponibilizado no site oficial do curso. Ao final do programa, os alunos que cumprirem todos os requisitos ganharão um certificado: “Pela primeira vez na minha vida, estou montando um projeto meu, com a parceria da Dra. Michelle Ugolini, chefe de plantão do Pronto-Socorro Central da ISCMSP”, conta.

Retribuição
Bolsista na FCMSCSP durante os seis anos da graduação, o Dr. Pedro Veronese irá retribuir o investimento da Instituição em seus estudos oferecendo algumas bolsas integrais do curso Descomplicando ECG para alunos que já sejam bolsistas da Faculdade. “Nós iremos fazer uma consulta a esses estudantes sobre o interesse pelo curso e entre os interessados, realizaremos um sorteio. A ideia é oferecer sempre algumas bolsas integrais em todas as edições do curso”, explica o ex-Santa.

Os demais interessados podem se inscrever para o programa a partir de 1º/12 diretamente no site do curso “Descomplicando ECG”, mantido pelo Dr. Veronese.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 101, em 22/11/2016. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Ambulatório Social: mais de 300 atendimentos à população

No sábado, dia 5/11, alunos da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo foram às ruas para mais uma edição do Ambulatório Social, uma iniciativa idealizada pelo Projeto de Integração dos Primeiro-Anistas (PIPA) da FCMSCSP, com a organização do Centro Acadêmico Manoel de Abreu (CAMA). Na prática, o objetivo da ação é oferecer atendimento médico gratuito à população de São Paulo por meio de um mutirão da saúde. A iniciativa contou com a presença de cerca de 60 pessoas, entre professores e estudantes dos cursos de Graduação em Medicina e de Graduação em Fonoaudiologia da FCMSCSP, na Praça da República, em São Paulo (SP).

No total, foram registrados 320 atendimentos ambulatoriais e orientações de saúde e bem-estar. Com a supervisão de médicos, fonoaudiólogos e professores da Instituição, os alunos realizaram exames clínicos na população e prestaram informações sobre suas condições de saúde e orientações sobre doenças como HIV, diabetes e hipertensão.

Confira alguns registros deste encontro:

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Aterosclerose: principal causa de mortalidade no mundo

renato-jorge-alves-fcmscsp

Dr. Renato Jorge Alves, professor da disciplina de Cardiologia da FCMSCSP

Caracterizada pela obstrução das grandes e médias artérias, a aterosclerose é uma doença silenciosa que, de repente, pode dar sinais agressivos como o infarto, o AVC ou até mesmo a morte súbita. Em comemoração ao Dia Mundial do Coração, celebrado em 29 de setembro, o Boletim Conectar conta mais sobre a patologia, que é a principal causa de mortalidade no mundo.

De acordo com o Dr. Renato Jorge Alves, professor da disciplina de Cardiologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e coordenador do Ambulatório de Lípides da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, entre as causas da aterosclerose estão o aumento do colesterol, hipertensão arterial, diabetes, tabagismo, idade avançada e obesidade. “O estresse, sedentarismo, consumo de alimentos industrializados que contêm sal, açúcar e gordura saturada em excesso também são fatores relacionados à aterosclerose indiretamente”, explica o professor.

Os sintomas da aterosclerose também podem se manifestar como dores no peito, falta de ar, cansaço aos esforços, dor nas pernas aos grandes e moderados esforços. “É aconselhável a realização de exames de prevenção cardiovascular, tais como eletrocardiograma e exames laboratoriais. Nesse quesito, é recomendado que o exame de colesterol total e frações seja realizado aos 10 anos de idade”, finaliza o Dr. Renato.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 97, em 20/9/2016. Assine nossa newsletter:http://www.fcmsantacasasp.edu.br.