Pesquisadores do Futuro: imersão em busca da expansão de conhecimentos

Stéfany Franhan Barbosa de Souza

Stéfany Franhan Barbosa de Souza

Embarcar para um país desconhecido, vivenciar uma cultura diferente e aperfeiçoar o idioma são os motivos que instigam os que desejam fazer um intercâmbio. Para a aluna Stéfany Franhan Barbosa de Souza, do 4º ano de Graduação em Medicina da FCMSCSP, não foi diferente. A futura médica se candidatou a uma vaga no Pesquisadores do Futuro 2014/2015, programa coordenado pelo Núcleo de Relações Internacionais (NRI), e conseguiu colocar em prática essa nova vivência no Institut de Prestacions D’Assistència al Personal (Pamem); Parc Sanitari pere Virgili de Barcelona e Consorci Sanitari del Maresme, ambos em Barcelona, na Espanha. Confira um bate-papo com a aluna que conta como o Programa contribui para o seu crescimento pessoal e profissional.

Conectar: O que a motivou a pleitear a bolsa?
Stéfany: Foi a possibilidade de conhecer outras instituições de saúde, descobrir como trabalham e como lidam com os problemas de saúde em seus países; como planejam e como implantaram um sistema público de qualidade em que a atenção primária é fundamental na atenção dos usuários.

Conectar: Pode nos contar, brevemente, como foi essa experiência e o que ela lhe acrescentou?
Stéfany: A experiência superou minhas expectativas. Encontrei um modelo de saúde muito organizado que consegue atender de forma, no mínimo, satisfatória aos seus usuários. Ainda tive a oportunidade de estar em contato com outras culturas e aperfeiçoar um terceiro idioma (espanhol) e começar a entender um quarto (catalão). Encontrei pessoas muito amáveis e que fizeram de nosso aprendizado um prazer.

Conectar: Qual foi o maior desafio que enfrentou durante o tempo do Programa? Como você lidou com ele?
Stéfany: O idioma falado em Barcelona é o catalão. Apesar de a população também falar o espanhol, muitos dos atendimentos eram feitos na língua mais confortável para o paciente. Mas, apesar disso, em poucos dias, foi possível compreender o que era dito de forma satisfatória. Praticamente todos os médicos explicavam o que havia sido dito quando eu não era capaz de compreender.

Conectar: Como você definiria o Programa Pesquisadores do Futuro?
Stéfany: É uma ótima oportunidade para o aluno aprender novos temas, lidar com desafios e ganhar independência de forma muito produtiva.

Conectar: O que você recomendaria a seus colegas que venham a passar por essa experiência?
Stéfany: Recomendo que estejam preparados para lidar com situações difíceis, a pedirem ajuda sempre que sentir dificuldade. As pessoas que trabalharão com eles sabem das possíveis dificuldades que podem surgir. Ainda, que conheçam muito bem a instituição para a qual está indo; que programem a viagem com antecedência e busquem o máximo de informações a respeito da cidade em que estará. Isso facilitará muito a locomoção e a organização, principalmente nos primeiros dias. Aproveitem as oportunidades que aparecerão.

No próximo boletim

Conheça a experiência da aluna do 3º ano de Medicina, Mayara Gomes Rangel, que teve a oportunidade de estudar na Arizona State University, nos EUA.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 70, em 28/7/2015. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.