Disciplina de Genética e Evolução Humana oferece ao enfermeiro noções básicas sobre a área

Decio Altimari, professor da FCMSCSPA relação entre o enfermeiro e o paciente é uma questão fundamental no tratamento de um doente. É necessário que o profissional trate de maneira humanizada os indivíduos que necessitam de cuidados ou, até mesmo, de atendimento assistencial, oferecendo atenção e confiança.

De acordo com o Dr. Decio Altimari, professor da disciplina Genética e Evolução Humana do curso de Enfermagem da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, o enfermeiro tem um papel muito importante frente ao doente, visto que ele fica mais tempo com o paciente do que o próprio médico.

“Ele cria uma relação mais humanizada e próxima e, inúmeras vezes, é questionado sobre doenças e tratamentos. Cabe ao enfermeiro saber lidar com essas situações e ter noções básicas de determinadas áreas para auxiliar de maneira correta o paciente”, afirma.

Dessa forma, uma das disciplinas do curso de Enfermagem da Faculdade Santa Casa de São Paulo é Genética e Evolução Humana, que busca oferecer ao enfermeiro noções da área para que, então, o profissional possa interagir com o paciente no caminho para o diagnóstico e o tratamento de sua doença.

Segundo o Dr. Altimari, o enfermeiro deve conhecer os mecanismos e ferramentas que a genética oferece. Durante as aulas, são apresentados conceitos fundamentais como: o que são anomalias, más formações congênitas, sua causas, entre outros.

“Se um casal vai até um hospital porque são pais de uma criança com algum problema congênito, quem dará o diagnóstico será o médico. Porém, de modo geral, as conversas com o enfermeiro envolvem perguntas como: por que aquilo aconteceu e quais serão os cuidados. Dessa forma, o conhecimento do profissional de enfermagem deve ser sólido para corresponder às necessidades dos pacientes, em relação a diversos questionamentos”, declara.

Outro aspecto destacado pelo professor é a linguagem próxima ao universo dos pacientes utilizada pelos enfermeiros, fator que contribui na troca de informações. “Já encontrei muitos ex-alunos que me disseram que as informações recebidas nesta disciplina foram úteis no cotidiano profissional. Mas isso não se restringe a essa área, o curso inteiro oferece todo o suporte necessário para que o enfermeiro seja um excelente profissional. Inclusive, muitos de nossos formados ocupam postos de comando e desempenham importantes atividades em grandes hospitais”, finaliza.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 35, em 25/2/2014. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.