Prof. Dr. Adriano Namo Cury assume coordenadoria de Graduação da FCMSCSP

Adriano-Namo-Cury-Faculdade-Santa-Casa

Prof. Dr. Adriano Namo Cury, vice-diretor do curso de Graduação em Medicina da FCMSCSP

Novos professores passaram a integrar as coordenadorias de Cultura, Extensão, Graduação, Pós-graduação, Pesquisa, Comissão Própria de Avaliação (CPA), Comissão Científica e Núcleo de Relações Internacionais (NRI) da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Dentre os professores, está o Prof. Dr. Adriano Namo Cury, vice-diretor do curso de Graduação em Medicina da FCMSCSP, que agora assume a coordenadoria dos cursos de Graduação da Instituição.

A coordenadoria tem como objetivo planejar e estruturar cursos da graduação, que envolvem desde projetos pedagógicos até a matriz curricular, além de auxiliar nos planos de ensino dos diversos cursos: “O papel do coordenador de Graduação é participar na elaboração de relatórios das atividades da graduação e o dia a dia de tudo que envolve o corpo docente e discente de todos os cursos”, explica o Dr. Adriano.

De acordo com o professor, essa coordenadoria também é um elo entre a diretoria e todos cursos da graduação. Dessa maneira, todos os temas sensíveis ao ensino e graduação são tratados e desenvolvidos de maneira dinâmica. “O coordenador não é um centralizador. Ao contrário, recebe problemas e ideias e cria o fluxo institucional adequado para resolução de problemas ou encaminhamento de propostas. Mas o grande ganho, a meu ver, é a integração entre todos os cursos da FCMSCSP. Algo que precisamos dedicar mais tempo e atenção porque, desta forma, a Faculdade crescerá em qualidade e apontará um futuro ainda melhor. É uma honra assumir este papel”, finaliza.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 111, em 23/5/2017. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.  

Anúncios

Medicina: chegou a hora de escolher a residência médica

Dr.-José-Eduardo

Dr. José Eduardo Lutaif Dolci

Nesta edição, o Dr. José Eduardo Lutaif Dolci, diretor do Curso de Graduação em Medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, esclarece algumas das principais dúvidas sobre a residência médica. Confira!

Conectar: Qual o papel do exame do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp)?
Dr. Dolci: Trata-se de uma prova obrigatória para todo egresso de Medicina do estado de São Paulo, temos hoje no estado mais de 50 escolas de Medicina. Então, todo o aluno formado em qualquer escola precisa prestar essa prova. Ao realizar essa avaliação, o futuro médico não é impedido de exercer a Medicina se ele não passar. Entretanto, ele é obrigado a fazer a prova, do contrário, ele não teria um registro no Conselho Regional de Medicina (CRM). O objetivo dessa prova é avaliar as escolas que oferecem a Graduação em Medicina, como o aluno está sendo formado nas escolas. O Cremesp envia para as escolas o resultado das provas, notificando o desempenho dos alunos nas diversas áreas da Medicina, apresentando um panorama do ensino.

Conectar: E se o residente vier de outro estado ou for de outro estado precisa fazer o exame?
Dr. Dolci: Mesmo que seja de outro Estado, é necessário prestar a prova do Cremesp, para ter o registro no CRM. A avaliação acontece sempre no final de outubro. A pessoa que não faz a prova recebe um registro provisório, mas precisa justificar o porquê não a realizou e, no ano seguinte, precisa fazer.

Conectar: E se egresso de Medicina não tem o CRM ele pode fazer a residência?
Dr. Dolci: Todas as residências oficiais no estado de São Paulo estão exigindo o registro no CRM. Esta foi uma proposta implantada há 10 anos, não era obrigatória, mas tornou-se há três anos. A Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo sempre mandou um número muito grande de alunos para o exame e sempre foi muito bem nas provas.

Conectar: Como é a preparação para o exame de residência?
Dr. Dolci: Existem cursinhos preparatórios, porém a vivência e a experiência no internato são muito mais importantes. A prova é um teste e o aluno precisa saber a teoria e a prática, por isso toda prova de residência precisa ter teste teórico e prático para mensurar como foi o internato deste futuro médico. Na Faculdade Santa Casa de São Paulo insistimos para que os alunos aproveitem o 5º e 6º anos, os plantões voluntários e os plantões obrigatórios para atividades complementares, pois isso tem um peso e faz uma diferença muito grande.

Conectar: A maioria dos alunos chega no 6º ano sabendo em qual área seguirá?
Dr. Dolci: Isso sempre foi um dilema, muitas vezes, eles chegam ao 6º ano e não sabem o que fazer, e na medida em que vão passando nas especialidades eles vão se apaixonando.É hilário, por exemplo, passam na Dermatologia e decidem, na sequência passam na Oftalmologia e acham que é aquilo. Por isso, o eletivo ajuda, pois são  sete semanas dentro de uma especialidade ou área.

Conectar: Como funciona a residência?
Dr. Dolci: Cada hospital, principalmente os universitários, costuma ter todas  residências em todas as  especialidades. A residência é regulamentada Conselho Nacional de Residência Médica do Ministério da Educação (MEC). Por exemplo, a residência em otorrinolaringologia inscrita no MEC tem que cumprir um programa, com um número de professores, carga horária, apresentando quais são os direitos e as obrigações dos residentes, o conteúdo teórico e pratico a ser cumprido (cirurgia, procedimentos, entre outras). Tem prova para passar de ano na residência. Na especialidade de otorrinolaringologia tem prova todo mês, além da nota de conceito mensal. No final do ano, o médico possui 24 notas e, para passar, a média dele tem de ser sete.

Conectar: O residente é remunerado?
Dr. Dolci: Ele recebe uma bolsa cujo recurso vem do MEC ou da Secretaria da Saúde do Estado, cerca de 60% dos residentes na Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo recebem bolsas do MEC ou da Secretaria da Saúde e o restante é pago pela Santa Casa.

Conectar: E quem não passa como residente há outra escolha?
Dr. Dolci: Há o curso de especialização, que também é registrado e reconhecido pelo MEC. Para isso, ele presta outra prova. Passando, ele tem a mesma formação do residente, mas não recebe por isso.

Conectar: E para os que não desejam fazer residência?
Dr. Dolci: Não precisa fazer, mas a partir de 2018, com as novas Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN), todos os médicos deverão fazer residência. Hoje, quem não faz pode exercer a medicina como clinico ou ainda pode seguir na medicina da família, que é muito necessária à população brasileira.

Conectar: E quanto à obrigatoriedade, como será? Com esse novo formato, quanto tempo levará a residência?
Dr. Dolci: A proposta da nova Diretriz Curricular para os Cursos de Medicina é a residência para 100% dos formandos em medicina a partir de 2018. Todo médico que se formar deverá ficar um ano em uma Unidade Básica de Saúde (UBS). Sobre o tempo de residência, depende da especialização, se optar, por otorrinolaringologia, por exemplo, ele segue um ano na UBS e mais três em residência na área de otorrinolaringologia. No caso de uma especialidade como cirurgia vascular, por exemplo, deverá fazer um ano na UBS, mais dois de cirurgia geral e só depois disto poderá fazer a área específica, que é a vascular, por mais dois ou três anos.

Conectar: O que a Faculdade faz para auxiliar o futuro médico?
Dr. Dolci: Na FCMSCSP, nós preparamos o aluno de Graduação de maneira global. Desde o primeiro ano, nos preocupamos com a humanização, o aluno é inserido em um hospital desde o primeiro dia de aula. Desde  o início ele tem aulas de propedêutica, de cuidados de enfermagem , de psicologia  e contato com os pacientes. Levamos  isso muito a   sério  procuramos não perder este referencial desde 1963, ano da abertura da nossa escola. É o nosso  diferencial. Tenho a convicção de que ao terminar o curso, o aluno passa do status de estudante para médico e de jovem para homem ou mulher maduros, pois procuramos dar uma série de exemplos para que ele se transforme em um bom médico e entenda o sentido da profissão que escolheu.

No próximo boletim:

Dra. Ana Luiza Navas, diretora do curso de Graduação em ‪‎Fonoaudiologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, falará sobre as possibilidades para a carreira de um fonoaudiólogo. Acompanhe!

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 76, em 21/10/2015. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Pesquisa de alunos da FCMSCSP fica em 1º lugar no 31º Congresso Brasileiro de Cirurgia

31º Congresso Brasileiro de Cirurgia.Significativa nas instituições de ensino superior, a pesquisa científica auxilia o aluno a ter uma visão mais ampla daquilo que se propõe a estudar e investigar. Com dedicação, esse estudo pode vir a dar mais visibilidade ao pesquisador junto ao mundo acadêmico. Na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, isso não é diferente, diversos grupos de estudos são formados, utilizando-se de diferentes abordagens e linhas de investigação, sob a coordenação dos professores da FCMSCSP.  Os grupos e suas respectivas pesquisas são incluídas na base do Diretório de grupos de Pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Para os alunos, do curso de Graduação em Medicina da FCMSCSP, Joyce Francisco, do 6º ano, Camilla Bilac Oliari e Juliano Mangini Dias Malpaga, ambos do 5º ano, a dedicação à pesquisa já apresenta seus primeiros resultados com o trabalho Indicadores de lesões intra-abdominais em vítimas de trauma fechado admitidas sem dor abdominal ou alterações no exame físico do abdômen, que foi premiado com o 1º lugar no 31º Congresso Brasileiro de Cirurgia. “A delegação da FCMSCSP foi a maior no evento; levamos 16 alunos que já faziam parte de grupos de estudos da Faculdade, dos quais o Prof. Dr. José Gustavo Parreira, outros professores e eu fomos os responsáveis pela coordenação. Sempre os estimulamos a inscreverem seus trabalhos e a Faculdade ajudou, neste caso, custeando a inscrição deles no Congresso e liberando os alunos de suas atividades”, explica o Dr. Tércio de Campos,professor adjunto do departamento de Cirurgia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

O evento que ocorreu, entre os dias 2 e 5 de agosto, em Curitiba (PR), reuniu estudantes e profissionais da área cirúrgica de todo o país.  “Foram cerca de 2 mil trabalhos inscritos com temas livres, deste total 42 foram apresentados e 4 eram da FCMSCSP, sendo dois na área de trauma e dois focados no serviço de emergência”, acrescenta o Dr. José Gustavo Parreira, professor assistente do departamento de cirurgia da FCMSCSP e coordenador do trabalho vencedor.

Os dois professores ressaltam que a conquista trouxe entusiasmo para os alunos, pois a chance é muito pequena em um evento deste porte, acaba sendo muito concorrido, e isso é um grande estímulo para os próximos passos, completam.

Vale ressaltar que os autores da pesquisa receberam um certificado de melhor trabalho do Congresso, foram representados pela aluna Joyce Francisco que apresentou o trabalho no Congresso. Além do prêmio, três trabalhos de alunos do curso de Graduação em Medicina da FCMSCSP receberam menção honrosa no evento: Análise das Lesões intra-abdominais “ocultas” em vítimas de Trauma Fechado; Avaliação prospectiva da falência e função orgânica de 168 pacientes com pancreatite aguda em um único centro universitário; Alcoolização por ecoendoscopia de hemangioma gigante intra-abdominal: nova técnica de tratamento.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 72, em 25/8/2015. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Portas Abertas: oportunidade de conhecer o tradicional curso de Medicina da FCMSCSP

No dia 25/8, terça-feira, a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo recebeu mais uma edição do Portas Abertas. Na ocasião, vestibulandos e estudantes tiveram a  oportunidade de visitar complexo hospitalar e as instalações da Faculdade e de conhecer mais sobre o tradicional curso de Graduação em Medicina da Instituição, por meio de palestras com professores como a Dra. Ligia Andrade da Silva Telles Mathias  e o diretor do curso, Dr. José Eduardo Lutaif Dolci. Realização: Departamento Científico Manoel de Abreu (DCMA).

portas-abertas-2º-semestre-fcmscsp (1)

Da esquerda para a direita: diretor do curso de graduação em Medicina, Dr. José Eduardo Lutaif Dolci, Dra. Ligia Andrade da Silva Telles Mathias e membros do Departamento Científico Manoel de Abreu (DCMA)

 
portas-abertas-2º-semestre-fcmscsp (2)portas-abertas-2º-semestre-fcmscspportas-abertas-2º-semestre-fcmscsp (3)portas-abertas-2º-semestre-fcmscsp (4)

Medicina FCMSCSP: Estão abertas as inscrições para a Fuvest

vestibular-graduacao-Medicina-2016-FCMSCSPForam abertas, nesta sexta-feira, dia 21 de agosto, as inscrições para o vestibular do curso de Graduação em Medicina da  Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. O processo seletivo é realizado pela Fundação Universitária para o Vestibular (Fuvest 2016), para os candidatos que desejam concorrer a uma das 120 vagas oferecidas pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

Os interessados devem se cadastrar no site www.fuvest.com.br e efetuar, até 10 de setembro, o pagamento da taxa de inscrição no valor de R$ 145,00. Feito isso o candidato receberá um número de inscrição que permitirá consultar no site o local onde realizará as provas que acontecem:

1ª fase: Dia 29 de novembro de 2015, domingo, com início às 13h00. Prova com duração de 5 horas que apresenta 90 questões, com cinco alternativas cada, sobre português, história, geografia, matemática, física, química, biologia e inglês;

2ª fase: Três provas discursivas com 4 horas de duração cada:

Dia 10 de janeiro de 2016, domingo, com início às 13h00. Prova com dez questões de Português e Redação;

Dia 11 de janeiro de 2016, segunda-feira, com início às 13h00. Prova com 16 questões sobre história, geografia, matemática, física, química, biologia, inglês.

Dia 12 de janeiro de 2016, terça-feira, com início às 13h00. Prova com 12 questões sobre disciplinas que vão de acordo com a carreira escolhida.

O período de inscrição se encerra em 9 de setembro, quarta-feira, e a primeira lista de aprovados será divulgada em 2 de fevereiro de 2016 no site www.fuvest.br.

Esclareça as suas dúvidas de como ingressar no curso de medicina da FCMSCSP.

Alunos da FCMSCSP conquistam o prêmio de 1º lugar no 31º Congresso Brasileiro de Cirurgia

alunos-de-Medicina-da-FCMSCSP

Alunos do 2º ao 6º ano do curso de Graduação em Medicina da FCMSCSP durante o 31º Congresso Brasileiro de Cirurgia

Entre os dias 2 e 5 de agosto, alunos do 2º ao 6º ano do curso de Graduação em Medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, sob a coordenação do Prof. Dr. Tércio de Campos e Dr. José Gustavo Parreira, professores da FCMSCSP, estiveram presentes no 31º Congresso Brasileiro de Cirurgia.

Nesta edição, o evento ocorreu em Curitiba (PR), reunindo estudantes e profissionais da área cirúrgica de todo o país que apresentaram cerca de 2 mil trabalhos temas cirúrgicos. “A delegação da FCMSCSP foi a maior no evento; levamos 16 alunos que já faziam parte de grupos de estudos da Faculdade, nos quais o Prof. José Gustavo, outros professores e eu fomos os responsáveis pela coordenação. Sempre os estimulamos a inscrever seus trabalhos e a Faculdade ajudou, neste caso, por exemplo, custeando a inscrição deles no Congresso e liberando os alunos de suas atividades”, explica o Dr. Campos.

No entanto, não foi só em número que a FCMSCSP marcou presença. Os alunos Joyce Francisco, do 6º ano, Camilla Bilac Oliari e Juliano Mangini Dias Malpaga, ambos do 5º ano, conquistaram o prêmio de 1º lugar no Congresso pelo trabalho Indicadores de lesões intra-abdominais em vítimas de trauma fechado admitidas sem dor abdominal ou alterações no exame físico do abdômen. “Fomos orientados pelo Prof. José Gustavo Parreira. Fui a responsável por representar o grupo e apresentar o trabalho no Congresso. Nós achávamos que tínhamos chance de ganhar, mas não esperávamos”, conta Joyce Francisco. O Prof. Tércio de Campos completa: “Além dos autores receberem um certificado de melhor trabalho do Congresso, aumenta-se a chance de publicação para esse trabalho.  É importante ressaltar ainda que mais três trabalhos de alunos de Graduação em Medicina da FCMSCSP receberam menção honrosa”, conclui.