Estimulação cranial profunda em epilepsia do lobo temporal

Dra. Luciene Covolan (Unifesp)

Dra. Luciene Covolan (Unifesp)

Na segunda-feira, dia 15/9, das 12h às 13h30, o Departamento de Ciências Fisiológicas da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo receberá a Dra. Luciene Covolan, professora do Departamento de Fisiologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), que irá proferir o tema “Estimulação cranial profunda em epilepsia do lobo temporal”.

O encontro será realizado no auditório do Instituto de Pesquisa da Santa Casa, na rua Marquês de Itu, 381, na Vila Buarque, em São Paulo (SP). Inscrições gratuitas, no local.

Palestra: Inibidores de proteases naturais

Inibidores de ProteasesO Departamento de Ciências Fisiológicas da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo realizará no próximo dia 18/9/2013, quarta-feira, das 12 às 13h, o seminário “Inibidores de proteases naturais: propriedades e potencialidades para a terapêutica”. A palestra será proferida pela Prof.ª Dra. Yamile Gonzalez (Universidade de Havana/Unifesp) e acontecerá na Rua Dr. Cesário Motta Jr., 112, Vila Buarque, São Paulo (SP), na Sala 5 do Complexo Zeferino Veloso.

Disciplina de endocrinologia é vasta e requer sólido conhecimento dos alunos de Medicina

Dra. Nilza ScalissiO campo de atuação do endocrinologista é bastante amplo, uma vez que os hormônios regulam quase todas as funções orgânicas do nosso corpo. De acordo com a Profª Dra. Nilza Scalissi, chefe da disciplina de endocrinologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, a área engloba praticamente todas as frentes da clínica médica, pois as doenças que envolvem as glândulas endócrinas podem levar à disfunção do organismo.

“Um exemplo importante é o hipotireoidismo em crianças, que compromete o desenvolvimento do cérebro e pode resultar em sequelas pelo resto da vida. Na fase adulta, a doença tem potencial para causar a morte, pois interfere na capacidade do corpo de manter a temperatura, principalmente, em idosos”, diz a acadêmica.

A Dra. Nilza explica que muitas pessoas acreditam que a endocrinologia trata somente da obesidade. A especialista destaca que esta é apenas uma das patologias da área, porém uma das mais frequentes.

Segundo a professora, no curso de Medicina, a disciplina requer do estudante uma sólida base de conhecimento adquirida desde o primeiro ano da graduação. “Sem esse embasamento, ele não conseguirá acompanhar a matéria que é apresentada no quarto ano. O aluno deve conhecer embriologia, anatomia e fisiologia. Em endocrinologia, terá contato especificamente com as patologias e a farmacologia”, conclui.