Enfermagem: você conhece os procedimentos para a residência?

Dra.-Maria-do-Carmo-Querido-Avelar

Dra. Maria do Carmo Querido Avelar

Nesta edição, a Dra. Maria do Carmo Querido Avelar, diretora do curso de Graduação em Enfermagem da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, relata quais são os processos que um enfermeiro pode passar ao se formar na área.

Conectar: Como funciona a residência para enfermeiros?
Dra. Maria do Carmo: A residência de Enfermagem é uma modalidade de ensino de Pós-graduação lato sensu destinada a enfermeiros, caracterizada pelo desenvolvimento das competências técnico-científicas e ética dos profissionais em um processo de educação/ensino em serviço. A residência, desenvolvida em regime de dedicação exclusiva, é realizada sob a supervisão docente – assistencial, em um programa de cooperação intersetorial que fornece o preparo qualificado dos profissionais para sua inserção no mercado de trabalho, particularmente em áreas prioritárias do Sistema Único de Saúde (SUS). Os Programas de Residência em Enfermagem encontram-se inseridos em Área Profissional da Saúde e orientam-se pelos princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde, a partir das necessidades identificadas e realidades locais e regionais, advindo daí suas especificidades. A residência em enfermagem deve contemplar um programa de integração ensino-serviço-comunidade, desenvolvido por intermédio de parcerias com gestores, trabalhadores e usuários dos serviços de saúde.

Conectar: Como é o procedimento para adquirir o registro no Conselho Regional de Enfermagem em São Paulo?
Dra. Maria do Carmo: O registro de especialista, na modalidade de residência em Enfermagem é concedido aos enfermeiros, inscritos no COREN, egressos dos Programas de Residência em Enfermagem e que atendam aos padrões mínimos estabelecidos pelo Conselho Federal de Enfermagem.

Conectar: Como a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo prepara o aluno para o mercado de trabalho?
Dra. Maria do Carmo: O curso de Graduação em Enfermagem como processo formativo escolar desenvolve suas atividades atendendo às medidas dos órgãos governamentais; as mudanças de ordem econômico-sociais e de saúde e as preocupações com as questões emergentes de saúde, com o intuito de fornecer mecanismos vinculados à capacidade de dar respostas aos problemas concretos da população. Na formação para o exercício profissional existe um processo de preparo de aluno para a aquisição contínua de competências voltadas à qualificação clínico – epidemiológica, ético-política e social, na área assistencial, administrativa e educativa.

Conectar: E se um enfermeiro opta por não fazer uma especialização, ele está preparado para atuar na área?
Dra. Maria do Carmo: O enfermeiro, egresso do curso de Graduação, tem como perfil profissional a formação generalista, humanista, crítica e reflexiva, com base pluralista nos domínios gerais da atenção à saúde, estando, portanto, apto para o mercado de trabalho. A especialização não é uma exigência para a prática do profissional, entretanto, acredita-se constituir um processo de elevação da qualidade do seu desempenho no trabalho, pautado pela proposta da educação continuada.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 78, em 24/11/2015. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

 

Anúncios

Participe do 8º Encontro de Enfermagem em Reabilitação Física da FCMSCSP

reabilitacao_fisica_peca_facebookCom o objetivo de informar, atualizar e fomentar a discussão – com enfermeiros, graduandos e profissionais da área de saúde –, quanto à atenção à pessoa com Encefalopatia Crônica Não-Evolutiva, a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo recebe o 8º Encontro de Enfermagem em Reabilitação Física – “Aspectos físicos e psicológicos da Encefalopatia Crônica Não Evolutiva / Paralisia Cerebral (ECNE / PC)”.
Com inscrições gratuitas, o evento que ocorre no dia 25 de novembro, quarta-feira, das 14h às 17h, na sala 28 da FCMSCSP, localizada à rua Doutor Cesário Mota Júnior, 61, 8º andar, Vila Buarque, São Paulo (SP).

 Inscreva-se e veja a programação do 8º Encontro de Enfermagem em Reabilitação Física

Participe do 5º Encontro de Enfermagem em Nefrologia da FCMSCSP

Encontro-de-Nefrologia-FCMSCSP-2015No dia 17 de outubro, sábado, das 8h às 12h40, a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo receberá o 5º Encontro de Enfermagem em Nefrologia. Realizado pelo Departamento de Fundamentos do Processo de Cuidar em Enfermagem e pelo Grupo de Estudos e Pesquisa de Enfermagem em Nefrologia (GEPEN), ambos da FCMSCSP, e coordenado pelas professoras Graziela Ramos Barbosa de Souza e Acácia Maria Lima de Oliveira, do curso de Graduação em Enfermagem da FCMSCSP, o evento abordará temas como: Assistência de Enfermagem ao Paciente com Lesão Renal Aguda; Linha de cuidado à pessoa com Doença Renal Crônica; e outros.
Com vagas limitadas e inscrições gratuitas, o encontro, destinado aos enfermeiros e estudantes de Enfermagem, 
acontecerá no Auditório Emilio Athié. Inscreva-se até o dia 16 de outubro e veja a programação do 5º Encontro de Enfermagem em Nefrologia.

Inscrições abertas para o 8º seminário Prof.ª Dra. Hideko Takeuchi Forcella – Comunicação no Âmbito da Enfermagem

Seminário-Dra-Hideko-Takeuchi-Forcella

No dia 23 de setembro, quarta-feira, das 7h às 13h, a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo recebe, no anfiteatro Prof. Dr. Emilio Athié, o 8º seminário Prof.ª Dra. Hideko Takeuchi Forcella – Comunicação no Âmbito da Enfermagem.
Destinado a alunos, docentes e enfermeiros, o evento gratuito está com inscrições abertas até o dia 22 de setembro, terça-feira. “Essa é uma forma de prestarmos uma  homenagem para a Dra. Hideko Takeuchi que sempre trabalhou com comunicação e também uma maneira de levar reflexão quanto à comunicação dentro da Enfermagem. De forma que todos percebam que a comunicação é um instrumento imprescindível que funciona em várias áreas”, afirma a Dra. Acácia Maria Lima de Oliveira Devezas, professora do curso de Graduação em Enfermagem e uma das organizadoras do evento.
Inscreva-se e veja a programação do 8º Seminário Prof.ª Dra. Hideko Takeuchi Forcella – Comunicação no Âmbito da Enfermagem.

7º Encontro de Ética em Enfermagem da FCMSCSP

No dia 29 de agosto, sábado, o curso de Graduação em Enfermagem da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo em parceria com o Grupo de Pesquisa “Ética e Humanização na Saúde” promoveu a 7ª edição do Encontro de Ética em Enfermagem, no Anfiteatro Prof. Dr. Emilio Athié. Discutindo o tema “Sigilo Profissional”, o evento reuniu  estudantes e profissionais da área de saúde.

encontro-ética-e-enfermagem-fcmscsp

Da esquerda para a direita: Enfermeira Rosângela de Mello, palestrante; Prof.ª ​Dra Maria Angela Reppetto, professora do curso de Graduação em Enfermagem da FCMSCSP; Dra. Maria do Carmo Q. Avelar, diretora do curso de Graduação em Enfermagem da FCMSCSP; Prof.ª Mestra Renata Pereira Condes; e Dr. Sérgio D. Pittelli, palestrante.

encontro-ética-e-enfermagem-fcmscsp(3) encontro-ética-e-enfermagem-fcmscsp (2)

“Enfermagem se faz pelo amor: na FCMSCSP, foi amor à primeira vista”

Bruno Rosa Bezerra

Bruno Rosa Bezerra

Bruno Rosa Bezerra formou-se em Enfermagem pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, em 2011. No ano seguinte, iniciou o Mestrado pelo programa de Ciências da Saúde da Instituição. Também é pós graduado em Pesquisa Clínica e em Informática em Saúde. Atualmente, o ex-Santa é professor convidado do curso de Pós-graduação em Pesquisa Clínica da FCMSCSP, relembra sua época como aluno e dá dicas para quem deseja ingressar no curso de Graduação em Enfermagem. Confira!

 

Conectar: Como foi sua experiência como aluno da FCMSCSP?

Bruno: Entrei na faculdade aos 17 anos. Cursar as disciplinas básicas, nos primeiros anos, intercaladas com as disciplinas práticas, já inserindo os alunos no ambiente hospitalar, foi difícil, mas muito gratificante. Nos últimos anos, além das disciplinas, realizei um estágio extracurricular e, mesmo com toda a rotina de estudos, sempre conseguia tempo para treinar para os jogos de Enfermagem, aliás, participei da competição todos os anos em que estive na Faculdade. Durante o curso, também fiz parte do Centro Acadêmico Madre Maria Gabriela Nogueira (CAMMGN), onde tive a oportunidade de ser coordenador científico.  

Conectar: Por que optou por Enfermagem? 

Bruno: Durante o ensino médio, quando optei por seguir uma profissão da área da saúde, tentei fazer um técnico em Enfermagem, mas não pude participar do processo seletivo por conta da idade, por isso, fiz técnico em Nutrição. No decorrer do curso, fui percebendo que tinha muito mais afinidade e prazer nas disciplinas básicas, naquelas com mais contato com os pacientes. Foi a partir daí que escolhi ser enfermeiro. Mas, a minha mãe ainda acredita que a escolha aconteceu porque passei a minha primeira infância sendo mais cuidado por enfermeiros no hospital do que por ela mesma (risos). 

Conectar: Quais critérios lhe ajudaram a escolher a FCMSCSP?

Bruno: Prestei alguns vestibulares, todos para Enfermagem, passei em três deles, mas estava certo de que iria fazer cursinho primeiro. Quando saiu a lista de aprovados da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, fui até lá apenas para saber mais informações sobre o curso e acabei não saindo mais. A grade curricular, localização e a receptividade dos funcionários foram fundamentais para minha escolha. Mas acho que o principal motivo mesmo foi o amor à primeira vista (risos). 

Conectar: De que maneira o curso contribuiu para o seu crescimento profissional?

Bruno: Neste aspecto, devo tudo o que me tornei à Faculdade. A capacidade e a seriedade dos professores na condução das disciplinas e, principalmente, na interação com o paciente foram decisivas. Sem falar no aspecto cognitivo, com a possibilidade de contínuo aprimoramento do conhecimento por meio dos cursos de Pós-graduação, o que também foi fundamental no meu desenvolvimento profissional.

Conectar: Existe algum desafio que enfrenta atualmente na carreira e que consegue aplicar na prática o que foi aprendido na FCMSCSP?

Bruno: Poderia listar vários, mas acho que o principal é a capacidade de análise crítica e a busca de soluções para situações problemáticas do dia a dia. O estímulo para a busca de novos conhecimentos e a “liberdade supervisionada”, aplicada pelos professores durante a graduação, me permite realizar uma avaliação mais criteriosa e, consequentemente,encontrar a melhor solução. 

Conectar: Que conselhos dá para quem deseja cursar Enfermagem?

Bruno: Que escolha criteriosamente a instituição em que deseja realizar o curso, pois esta é uma área que abre diversas opções de atuação, não apenas no cuidado com o paciente. E que tenha em mente que, como líderes de equipe e responsáveis por vidas, a cobrança e a pressão são constantes. Enfermagem se faz por amor… Mas também se faz com seriedade, respeito ao próximo e principalmente, com conhecimento.

 

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 71, em 11/8/2015. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

​ Professor da FCMSCSP profere palestra no 1º Congresso Brasileiro de Enfermagem em Oftalmologia

Prof. Reginaldo Adalberto de Luz

Prof. Reginaldo Adalberto de Luz

O Prof. Reginaldo Adalberto de Luz, especialista em Enfermagem em Centro Cirúrgico e docente do curso de Graduação em Enfermagem da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, proferiu, em junho, a palestra “Vigilância Epidemiológica de Endoftalmite e Síndrome Tóxica do Segmento Anterior após Cirurgias de Catarata: Identificação e Seleção de Marcadores”, durante o 1º Congresso Brasileiro de Enfermagem em Oftalmologia. O evento ocorreu paralelamente ao 8º Congresso Brasileiro de Catarata e Cirurgia Refrativa e 6º Congresso Brasileiro de Administração em Oftalmologia, quediscutiram casos clínicos e cirúrgicos.