Viagens longas de avião podem aumentar o risco de embolia pulmonar

 Dr. Igor Bastos Polonio, professor instrutor da disciplina de Pneumologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São PauloPermanecer sentado durante longo período no avião pode causar embolia pulmonar. De acordo com o Dr. Igor Bastos Polonio, professor instrutor da disciplina de Pneumologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, isso acontece quando uma pessoa não se movimenta por muito tempo e a circulação sanguínea das pernas fica comprometida, assim, o sangue tende a coagular.

“A embolia pulmonar é causada pela obstrução das artérias dos pulmões por coágulos que, na maior parte das vezes, se formam nas pernas e são liberados na circulação sanguínea”, afirma o especialista.

Segundo o professor, além da imobilidade prolongada, outras causas do problema são: diagnóstico de câncer, varizes, tabagismo, insuficiência cardíaca, doenças autoimunes e problemas genéticos.

Sobre os sintomas o Dr. Igor afirma: “Os principais sinais são falta de ar súbita e dor torácica”.

O tratamento da embolia pulmonar é realizado com anticoagulantes. O especialista explica que alguns hábitos reduzem o risco da doença.

“Pessoas com varizes devem procurar se consultar com um médico cirurgião vascular para evitar problemas futuros. Também é importante evitar o consumo de cigarro. Recomenda-se que, ao viajar de avião, o passageiro caminhe pela aeronave ou, em casos específicos, utilize meias elásticas ou tome anticoagulantes”, finaliza.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 22, em 23/7/2013. Assine nossa newsletter http://www.fcmsantacasasp.edu.br