Professora da FCMSCSP inaugura espaço dedicado às pessoas com Síndrome de Down

carla-franchi-pinto-faculdade-santa-casa

Dra. Carla Franchi Pinto, médica geneticista e professora do Departamento de Ciências Patológicas da FCMSCSP

Logo após o mês em que comemora-se a luta da pessoa com deficiência, será inaugurado em São Paulo o Espaço Elo21. Com o objetivo de reacender o debate sobre a qualidade de vida das pessoas com Síndrome de Down e guiá-las para outras diretrizes, a Dra. Carla Franchi Pinto, médica geneticista e professora do Departamento de Ciências Patológicas da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, junto com mais três profissionais da saúde inauguram um ambiente dedicado aos nascidos com Síndrome de Down e suas famílias.

“A essência do Elo21 é única, pois visa estimular em cada pessoa, independente de ter Síndrome de Down ou não, empatia e alteridade. O intuito é oferecer recursos para que cada um expresse o melhor de si – desde seus genes, até seus sentimentos, pensamentos e ações. Além disso, queremos estimular o respeito, a humanidade, o inconformismo e a inclusão”, destaca a médica e sócia-fundadora do espaço, Dra. Carla Pinto.

O espaço pode ser usado pelas pessoas com Síndrome de Down, familiares, professores e profissionais da saúde em geral, mas não exclui aqueles com alguma dificuldade física ou intelectual. O local contará com 16 profissionais, em uma equipe formada por médicos, nutrigeneticista, psicólogas, dentistas, fonoaudióloga, fisioterapeutas, terapeuta ocupacional, pedagogas, neurocientista e educadores físicos.

“Teremos alguns pacotes com preços acessíveis para promover a inclusão. Infelizmente não conseguimos atender todos de maneira gratuita, pois nossa estrutura é grande e exigirá manutenção. Já as famílias não pagantes serão selecionadas a partir do Ambulatório Multidisciplinar de Orientação à síndrome de Down da Santa Casa, em São Paulo, (AMOr.SDSC).”, complementa a médica.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 119, em 6/10/2017. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br. 

Anúncios

Aplicativo administra cuidados com a saúde de pessoas com síndrome de Down

Carla-Franchi-Pinto-Faculdade-Santa-Casa

Dra. Carla Franchi Pinto, professora do Departamento de Ciências Patológicas da FCMSCSP

Com o objetivo de manter o debate sobre soluções que possam melhorar a vida de pessoas com síndrome de Down, um grupo formado por professores e alunos da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, desenvolveu o Elo21, um aplicativo que funciona como uma agenda virtual para administrar os cuidados com a saúde de crianças e demais pessoas com síndrome de Down, seguindo as diretrizes do Ministério da Saúde. O desenvolvimento do app teve ainda a parceria do Ambulatório Multidisciplinar de Orientação à síndrome de Down, do Departamento de Pediatria da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo.

O Elo21 funciona de forma simples e exige apenas que se preencha a data de nascimento e o sexo da pessoa com síndrome de Down. Posteriormente, os pais ou responsáveis podem incluir todas as informações passadas pelos médicos e os resultados de exames feitos. Segundo a Dra. Carla Franchi Pinto, professora do Departamento de Ciências Patológicas da FCMSCSP, uma das responsáveis pelo desenvolvimento do Elo21, a ideia surgiu do desejo em apoiar as famílias na gestão da saúde dessas pessoas.

“Acompanhando essas famílias, sentimos que para ter um resultado melhor era preciso ter um canal único de comunicação para uso de todos os profissionais da rede de atendimento às pessoas com síndrome de Down e seus familiares. Com os dados das consultas e exames inseridos no aplicativo, é possível perceber como está a evolução dessas pessoas, em cada área”, afirma a geneticista.

Angelo Chelotti Duarte, aluno do 6º ano do curso de Graduação em Medicina da FCMSCSP, foi um dos programadores do Elo21: “Eu já havia desenvolvido outros aplicativos voltados para pediatria, dentro da FCMSCSP, o que me levou a ser convidado para o projeto do app. Sempre gostei de tecnologia e pretendo continuar a usá-la como ferramenta na medicina. É gratificante poder desenvolver uma solução eficaz, sabendo das reais necessidades dos pacientes”, afirma o estudante.

app-elo-21-sd-faculdade-santa-casaA Dra. Carla destaca ainda a praticidade que a tecnologia trouxe para os usuários do Elo21, que contam com todo o histórico médico da pessoa com síndrome de Down em um
único lugar. “O aplicativo é também uma forma de facilitar a vida dos pais e responsáveis que não precisam mais carregar vários papeis e documentos para todas as consultas. Agora, eles têm tudo isso em um único lugar”, explica.

Além disso, o app é muito importante para a área científica, pois pode ajudar na coleta de dados para pesquisas, terapias e atendimentos à saúde: “Quanto mais usuários do aplicativo tivermos, mais fácil será detectar se está havendo alguma falha no atendimento em alguma especialidade médica e também verificar o que está acontecendo em determinada região, para poder exigir melhoras. O Elo21 também é uma forma de melhorar a saúde pública”, finaliza a Dra. Carla.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 107, em 28/3/2017. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.