Estudo conduzido pela FCMSCSP testa cirurgias cardíacas em órgão impresso em 3D

luiz-antonio-rivetti-fcmscsp

Dr. Luiz Antonio Rivetti, professor da FCMSCSP

Um estudo desenvolvido pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo testa a eficácia de biomodelos – réplicas – de corações de pacientes impressos em 3D no aprimoramento de procedimentos cirúrgicos. Realizado em parceria com o Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, o estudo conduzido há três anos, vem sendo testado em pacientes e tem financiamento da Secretaria de Apoio à Pesquisa (SAP) da FCMSCSP.

A tecnologia que permite a impressão em 3D de corações tem sido importante para o avanço da medicina cardiovascular: “Literalmente, com o coração na mão conseguimos interpretar melhor o que as imagens estáticas ou tridimensionais computadorizadas não conseguem mostrar. A tecnologia permite um diagnóstico mais preciso e, como consequência, uma preparação mais minuciosa de toda a cirurgia. Com o biomodelo, é incrível a riqueza de detalhes do coração reproduzido”, afirma o Dr. Luiz Antonio Rivetti, professor da FCMSCSP, orientador da pesquisa e médico cirurgião.

Segundo o Dr. Rivetti, a impressão em detalhes dos órgãos em 3D não é simples e passa por três etapas. “Até chegar em nossas mãos, o biomodelo passa por um processo de impressão de cerca de 22 horas. É demorado e é por isso que não conseguimos ainda utilizar a tecnologia no trato de casos mais urgentes. Após o diagnóstico, o Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, orientado pela FCMSCSP, produz as imagens tridimensionais do coração. Em seguida, o material é encaminhado para uma empresa de tecnologia especializada em impressões em 3D, que realiza o procedimento”, explica o cardiologista.

Até o momento, os testes foram feitos em três pacientes, com êxito: “A réplica do coração ajuda a identificar qual parte exata do músculo não está mais contraindo, como ocorre com o aneurisma do ventrículo esquerdo, causa de cerca de 15% dos infartos em pacientes com o diagnóstico. Com o biomodelo, ganhamos em agilidade e precisão”, finaliza o professor. ”

Pesquisa da FCMSCSP é destaque na imprensa
O estudo desenvolvido pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo vem sendo destaque na grande imprensa. Acompanhe aqui no Blog FCMSCSP mais detalhes sobre a repercussão deste tema: http://blog.fcmsantacasasp.edu.br.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 98, em 4/10/2016. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Coração impresso em 3D, resultado de pesquisa da FCMSCSP, promete revolucionar cirurgias cardíacas

coracao_3d_cirurgia_cardiaca_faculdade_santa_casa_spConheça nos links a seguir algumas das reportagens veiculadas pela grande imprensa a respeito desta pesquisa da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Clique sobre o título da matéria para acompanhar mais detalhes.

Avanços da tecnologia médica permitem atendimento personalizado
4/10/2016 (SBT Brasil/SBT): Em São Paulo, duas técnicas que estão sendo testadas permitem visualizar o problema, antes do tratamento, e pegar nas mãos um molde do órgão doente.

Um terço das mortes no Brasil são por problemas no coração
29/9/2016 (Jornal da Câmara/TV Câmara São Paulo):
Dia 29 de setembro é o Dia Mundial do Coração. A data tem como objetivo conscientizar as pessoas sobre a importância de manter o órgão saudável, uma vez que os problemas do coração são a primeira causa de morte no mundo, de acordo com a OMS.

Conheça o coração impresso em 3D que promete revolucionar cirurgias cardíacas
19/9/2016 (Fala Brasil/TV Record):
Quer conhecer mais a respeito deste estudo da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo? Então, confira nesta reportagem com o Dr. Luiz Antonio Rivetti, professor da FCMSCSP, e a pesquisadora Leila Nogueira Ferreira de Barros, aluna de Medicina da FCMSCSP, veiculada no programa Fala Brasil (TV Record).

Médicos em SP estudam cirurgia com modelo de coração impresso em 3D
14/9/2016 (Bem Estar /G1 – globo.com): Equipe da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo está testando a eficácia do uso de réplicas do coração do paciente impressas em 3D para aprimorar cirurgias cardíacas.

Outras menções:

Infarto: exercícios aeróbicos são fundamentais para a prevenção

Dr. Luiz Antonio Rivetti, professor de cirurgia cardiovascular na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

Dr. Luiz Antonio Rivetti, professor de cirurgia cardiovascular na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

O infarto do miocárdio, ou ataque do coração, é oficialmente uma das doenças cardiovasculares que mais matam no mundo. Apontado como um grande vilão na vida de muitos brasileiros, mais de 300 mil pessoas morrem anualmente no Brasil em virtude do mal, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

O Dr. Luiz Antonio Rivetti, professor de cirurgia cardiovascular na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, define que o infarto está associado ao entupimento agudo de uma artéria responsável por irrigar o coração, gerando a falta de oxigenação, de nutrientes e sangue. “Com o aumento da obstrução da artéria coronária, o sintoma mais comum aparece: a dor no peito. Este é um sinal importantíssimo que certamente ocasionará o infarto” alerta.

A predominância para o aparecimento dos sintomas está fortemente ligada ao fator da faixa etária, marcando presença na transição para a terceira idade, entre 50 e 70 anos. Atualmente, também pode ser observada em pessoas mais jovens entre os 40 e 50 em função do estilo de vida.

“Entre outros fatores, o gênero sexual também pode ser apontado. Até os 60 anos de idade, o homem tem mais chances de sofrer um infarto, mas após os 70, os dois sexos têm a mesma propensão“. O professor Luiz Antonio também alerta sobre outros fatores de risco que podem ocasionar ataques cardíacos, como: o fumo, a pressão alta (hipertensão), o diabetes, a obesidade, o sedentarismo e até a predisposição genética em alguns dos casos.

Para a prevenção, o especialista indica algumas medidas:

• Alimentação balanceada e equilibrada, destacando – ingestão de proteínas, carboidratos, verduras, legumes, ovos, frutas (de 3 a 4 vezes ao dia);

• Praticar exercícios aeróbicos – Esse tipo de atividade deve ser exercida regularmente, pois auxilia na melhor oxigenação das células musculares e no elevado gasto calórico. Podem ser caminhadas, natação, ciclismo, corrida e entre outras;

• Check-up médico – É extremamente importante tornar hábito essa medida. Visitas anuais a consultórios e laboratórios médicos são indicadas para pessoas que não possuem históricos de doenças que podem ajudar a ocasionar o infarto. Para pacientes com histórico, é indicado uma adoção mais regular da medida.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 64, em 5/5/2015. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Cor e Cosmos – A Anatomia do coração humano: uma aventura estética

A Liga de Neurociências da FLiga-neurociencias-2aculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo promove, no dia 13/5, quarta-feira, a partir das 17h15, um encontro com a temática: Cor e Cosmos – A Anatomia do coração humano: uma aventura estética. O evento é aberto e será realizado no Anfiteatro Prof. Dr. Emilio Athié, na Rua Dr. Cesário Motta Jr., 112, Vila Buarque, São Paulo (SP). Estarão presentes os professores Dr. Luiz Antônio Rivetti e Dra. Carmen Lúcia Penteado Lancellotti.