Dia Mundial do Coração

28 de setembro – Dia Mundial do #Coração ❤️

 Sexta-feira, dia 28/9, a Faculdade e o Hospital da Santa Casa se uniram para uma atividade de prevenção e orientação em favor da comunidade.

Desde cedo, estiveram com as portas abertas para todos os interessados em fazer exames importantes para verificar a saúde geral e do coração.

Nossos estudantes de Medicina e Enfermagem, orientados por professores, fizeram a medição da pressão arterial e averiguaram os índices de colesterol, triglicérides e Hemoglobina Glicada. Todos saíram com os resultados anotados e, se necessário, foram orientados a procurar uma Unidade Básica de Saúde.

Além disso, profissionais realizaram palestras sobre fatores de risco, a importância dos exercícios físicos, alimentação e qualidade de vida.

 

Anúncios

Professores da FCMSCSP participam da adaptação do livro “Endocrinologia Pediátrica”

4-edição-endocrinologia-pediatricaA diabetes é uma das doenças endócrino-metabólicas mais comuns na infância. Os casos entre crianças aumentam em todo o mundo e aproximadamente 78 mil menores de até 15 anos desenvolvem a patologia, todos os anos, segundo a Federação Internacional de Diabetes. Para ajudar especialistas no diagnóstico e tratamento de uma série de distúrbios como este, a Elsevier lança no Brasil a 4ª edição de Endocrinologia Pediátrica, do professor de pediatria da Escola de Medicina da Universidade de Pittsburgh, Mark A. Sperling.

Para a adaptação do livro à realidade do país, a obra contou com a colaboração de profissionais de vários países, representantes de laboratórios avançados e com carreiras clínicas ativas, além de médicos brasileiros de renomadas instituições de ensino e saúde, como os professores Dr. Carlos Longui e Dra. Cristiane Kochi, do Departamento de Ciências Fisiológicas da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

O objetivo é estabelecer uma ponte entre o progresso crescente na ciência biomédica, com pesquisa das doenças, causas e meios de tratá-las, e a prática clínica de endocrinologia pediátrica.

Estudantes, profissionais atentos às necessidades de atualização e pesquisadores vão se beneficiar de informações sobre as mudanças na área ocorridas nos últimos cinco anos. Já as novidades sobre diabetes incluem a descoberta da betatrofina, que regula a massa de células, e a iminente aplicação dos chamados “sistemas de circuito fechado”, como o pâncreas artificial, para o tratamento de crianças com diabetes melittus tipo 1 (bombas de infusão de insulina, integradas a um sistema de monitoramento contínuo de glicose, que reduzem os períodos de hipoglicemia dos pacientes em comparação ao sistema de administração de insulina tradicional).

O livro está dividido em seções, com visão geral e evolução histórica da especialidade e seus aspectos pediátricos originais, uma revisão de princípios da endocrinologia molecular e genética, e os métodos utilizados para compreender, investigar e tratar os pacientes.

O que causa a perda de memória?

Dr. Rubens GagliardiExistem doenças ou determinadas condições que podem levar o indivíduo a esquecimentos temporários ou permanentes. Entre elas, estão o Alzheimer, lesões traumáticas, parada cardíaca, estresse, problemas na tireoide, carência de vitaminas, diabetes, pressão alta, depressão, déficit de atenção e traumas psicológicos. Confira mais detalhes nesta reportagem do canal Saúde – Portal iG, com a participação do Dr. Rubens Gagliardi, professor titular de Neurologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo: clique aqui.

Fórum sobre diabetes apresenta medicamentos e tecnologias para melhor controle da glicemia

Dr. João Eduardo Nunes Salles, professor da disciplina de Endocrinologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São PauloNo Fórum Internacional de Diabetes, realizado recentemente pela SBD (Sociedade Brasileira de Diabetes) em parceria com a IDF (Federação Internacional de Diabetes) e a Associação Latino-Americana de Diabetes, em Foz do Iguaçu, foram apresentados medicamentos e tecnologias que prometem controlar a glicemia de forma mais eficaz e com menos efeitos colaterais. Conheça mais detalhes nesta reportagem do Portal R7, publicada em 24/5, com a participação do Dr.  João Eduardo Salles, professor titular de endocrinologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e diretor da SBD. Clique aqui para conferir.

Diabetes: novidades no tratamento

Capa da Revista IstoÉNovidades que estão chegando ao Brasil prometem melhorar a vida de pessoas com diabetes. Entre elas, por exemplo, estão remédios que fazem o controle da glicemia, emagrecem e colaboram para baixar a pressão arterial e uma insulina com efeito de até 40 horas.

Para conhecer mais detalhes sobre este tema, confira a reportagem da revista IstoÉ, que conta com a entrevista do Dr. João Eduardo Nunes Salles, professor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Clique aqui.

Especialista alerta: a cada 60 segundos uma pessoa tem um membro amputado por causa do diabetes

De acordo com o Dr. João Eduardo Nunes Salles, professor da disciplina de Endocrinologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, atualmente, o Brasil conta com 13,5 milhões de diabéticos dos quais 50% não sabem que possuem a doença. “No mundo, a cada 60 segundos uma pessoa tem um membro do corpo amputado por conta do problema. Para realizar o tratamento correto, devem ser ampliadas a conscientização e a procura pelo exame diagnóstico”, afirma.

O professor explica que os primeiros sintomas da doença são: perda de peso, aumento da frequência urinária e do apetite, cansaço muscular, turvação visual e infecção de urina e/ou ginecológicas. “Quando a glicose fica elevada há o comprometimento dos vasos sanguíneos da retina, o que leva a menor irrigação do local e, consequentemente, afeta a visão. Hoje, o diabetes é a maior causa de cegueira do mundo”, declara.

Segundo o Dr. Salles, o número de crianças diabéticas, principalmente do tipo 1, também aumentou. “Nesses casos, os portadores desse tipo de diabetes precisam de injeções diárias de insulina, pois sua produção pelo organismo é insuficiente”, explica.

Já o tipo mais comum é o 2 que ocorre geralmente em pessoas obesas. Nessa situação, há a presença de insulina, porém sua ação é dificultada pelo excesso de peso. “O grupo de risco inclui indivíduos com mais de 40 anos, com circunferência abdominal maior que 102 centímetros para homens e 88 para mulheres, triglicérides elevado, colesterol bom baixo e hipertensão arterial”, enfatiza.

Para o especialista, a gravidade do diabetes está relacionada ao seu controle. “Não existe diabetes mais ou menos grave, existe a controlada e a descontrolada. É importante ressaltar que com o tratamento correto, a pessoa pode levar uma vida normal”, conclui.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 30, em 13/11/2013. Assine nossa newsletter http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Dia Mundial do AVC: mutirão esclarece dúvidas da população

AVCNo sábado, dia 26, com a participação de alunos da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e de médicos da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, foi iniciado um mutirão para instruir a população sobre o AVC (Acidente Vascular Cerebral), conhecido popularmente como derrame. A iniciativa marca o Dia Mundial do AVC e tem a coordenação da Liga de Neurologia da Santa Casa de São Paulo, liderada pelo neurologista Dr. Rubens Gagliardi, professor da FCMSCSP. Nos dias 28, 29 e 30/10, a ação terá continuidade e será realizada das 9h às 13h, nas estações de metrô Barra Funda, Sé, Brás e República, em São Paulo.

Dia Mundial do AVC

Segundo a Organização Mundial do AVC, uma em cada seis pessoas no mundo terá um AVC ao longo da vida. Cerca de 16 milhões de pessoas têm a doença por ano e, desse total, por volta de 6 milhões não sobrevivem. O acidente vascular cerebral ocorre quando há  a insuficiência no fluxo sanguíneo em uma determinada parte do cérebro. Esse fator pode gerar causas diversas: hipertensão arterial, diabetes, cardiopatia, tabagismo, sedentarismo, obesidade, aneurismas. O paciente recuperado de um AVC pode apresentar algum tipo de sequela, como é o caso de paralisação de parte do corpo e dificuldade na fala.a de São Paulo, liderada pelo neurologista Dr. Rubens Gagliardi, professor da FCMSCSP. Nos dias 28, 29 e 30/10, a ação terá continuidade e será realizada das 9h às 13h, nas estações de metrô Barra Funda, Sé, Brás e República, em São Paulo.