Obesidade atinge 1/3 da população de crianças no Brasil

Em pesquisa, profissionais da Faculdade Santa Casa de São Paulo buscam identificar as causas do problema

A obesidade é caracterizada pelo acúmulo de gordura no corpo, causada, sobretudo, pelo consumo excessivo de calorias. Muito comum, especialmente em países mais desenvolvidos, a disfunção tem despertado preocupação cada vez maior de autoridades e profissionais da saúde.

Em números divulgados em 2013, a Organização Mundial da Saúde apontou que 2,8 milhões de pessoas morrem por ano por problemas em virtude de peso excessivo. Ainda mais preocupante, é o aumento do número de crianças obesas, pois a constatação é que 1/3 das crianças entre 6 e 9 anos sofrem com o problema.

Além de diminuir a disposição física, o sobrepeso acarreta outros sérios problemas de saúde; aumenta o risco de desenvolvimento de diabetes, hipertensão, colesterol alto e problemas cardíacos, o que compromete a qualidade de vida do indivíduo.

Em recente pesquisa, profissionais da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo estudam a possibilidade de a obesidade relacionada com a dependência química. O objetivo é verificar se a relação de crianças obesas com a comida é semelhante a de pessoas que sofrem com a dependência de drogas. Ou seja, quando o ato de comer exageradamente não consegue ser evitado, a despeito de todo prejuízo social, emocional e físico.

Dr. Ricardo Riyoiti Uchida, psiquiatra e professor assistente da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

Dr. Ricardo Riyoiti Uchida, psiquiatra e professor assistente da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

“A obesidade é multifatorial. Alguns dos fatores que pode interferir em seu surgimento são o comportamento e o componente emocional. Então, nosso estudo examina a obesidade, especialmente a infantil. Queremos estudar a relação que as crianças obesas estabelecem com a comida. Se chega a ser uma espécie de dependência química – onde ela precisa consumir muito de determinada substância, perder o controle enquanto está ingerindo o alimento e se sentir muito mal (parecido com uma abstinência) quando não come o tanto que gostaria”, explica Ricardo Riyoiti Uchida, psiquiatra e professor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

“Além disso, também pretendemos fazer imagens de ressonância magnética para analisar o cérebro dessas crianças e avaliar se há diferenças entre crianças magras e obesas que nos ajudem a entender melhor as causas da obesidade”, afirma.

Para desenvolvimento da pesquisa, são necessários como voluntários 60 adolescentes, de 12 a 17 anos, que tenham obesidade. Eles serão avaliados por médicos e farão exames.

Para se candidatar ou fazer uma indicação, basta entrar em contato pelo e-mail: pesquisaobesidadesantacasasp@gmail.com ou pelo tel.: (11) 5084-2132, contato: Sra. Susete.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 57, em 28/1/2015. Assine nossa newsletter:
http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Anúncios

Simpósio discute a problemática das drogas ilícitas

Drogas IlícitasNos dias 30 e 31 de maio acontecerá o Simpósio “As complexidades da questão das drogas ilícitas”. Organizado pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e pela Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, o encontro será realizado nos anfiteatros Prof. Dr. Emilio Athié e Paulo Ayrosa A. Galvão, na Rua Dr. Cesário Motta Jr., 112, Vila Buarque, São Paulo (SP).

De acordo com o Dr. Guilherme Messas, professor da FCMSCSP e um dos organizadores do Simpósio, o objetivo do evento é dar ênfase aos três grandes temas relacionados às drogas ilícitas que exigem grandes discussões:

Maconha – “Vamos discutir opiniões sobre o tema, tais como o uso a partir do ponto de vista da Medicina e o da ética. Sendo, neste caso, a questão do livre arbítrio e a capacidade de decisão”, comenta.

Crack – “Vamos mostrar ao público quais são as políticas públicas diretamente aplicadas nesta questão”, afirma.

Perspectiva médica e psicológica – “Discutiremos quais são os problemas com a saúde mental e como a ciência está observando isso”, declara.

As expectativas do Dr. Messas são dar dimensões e trazer reflexões das variadas análises do problema. “É importante enfatizar que contaremos com a presença de personalidades da área acadêmica e da gestão pública”, finaliza.

As inscrições poderão ser feitas  pelo site da FCMSCSP: www.fcmsantacasasp.edu.br.

Programação*

30/5, sexta-feira

19h30 – 20h: Abertura
• Representantes da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e da ISCMSP
• Prof. Dr. Quirino Cordeiro Júnior e Prof. Dr. Guilherme Messas

Conferências de abertura

20h – 20h45 : Maconha e transtornos mentais – dois séculos de observações psiquiátricas (Valentim Gentil Filho – FMUSP)

20h45 – 21h30: Ponderações sobre os valores contidos na questão legal da Cannabis sativa (Mauro Aranha Lima – Conselho Regional de Medicina de São Paulo)

21h30 – 22h: Discussão e encerramento

31/5, sábado

Mesa-redonda: As políticas públicas do crack
Moderador: Guilherme Messas

9h30 – 10h15: As ações do Governo Federal no problema do crack (Leon de Souza Lobo Garcia – Secretaria Estadual de Saúde)

10h15 – 11h: As ações do Estado de São Paulo no problema do crack (Rosângela Elias – Secretaria Estadual de Saúde)

11h – 11h45: Reflexão sobre o cuidar na cracolândia. O programa “De Braços Abertos: limites e conquistas e desafios (Myres Cavalcanti – Prefeitura Municipal de São Paulo)

11h45 – 12h30: Discussão

Mesa-Redonda: As ciências e os cuidados relacionados ao uso de substâncias
Moderador: Quirino Cordeiro

14h – 14h45: A genética da dependência química (André Negrão – FMUSP)

14h45 – 15h30: A psicopatologia diferencial dos transtornos relacionados ao uso de drogas (Guilherme Messas – FCMSCSP)

15h30 – 16h15: O manejo de caso no tratamento de pacientes com dependência a drogas (Lílian Ratto – FCMSCSP)

16h15 – 17h: Discussão e encerramento

Investimento:
• – 80 reais (participantes Internos / FCMSCSP e ISCMSP)
• – 100 reais (participantes Rede Pública)
• – 120 reais (demais participantes)

Pagamento das inscrições via depósito ou transferência bancária:
• Favorecido: CEPESAM – Centro de Estudos e Pesquisa do Departamento de Saúde Mental da Santa Casa de São Paulo
• Banco Bradesco, agência 3450, C/C 2590-9

Envie seu comprovante de depósito para:
victorotani@icloud.com, informando seu nome, cargo/instituição, e-mail e telefone

Obs.: os certificados só serão disponibilizados para os participantes inscritos pelo site do evento (em breve). Seja informado da abertura de inscrições: envie uma mensagem para eventos@fcmsantacasasp.edu.br, identificando o campo assunto como “Drogas ilícitas”, mencionando seu nome, telefone e e-mail de contato.

*Sujeita a alterações, sem prévio aviso

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 39, em 23/4/2014. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

As complexidades da questão das drogas ilícitas

Será realizado nos dias 30 e 31/5/2014, sexta-feira e sábado, o Simpósio “As complexidades da questão das drogas ilícitas”. O evento conta com a organização da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP). Conheça, a seguir, a programação e confira também como se inscrever para este evento.

Local: Anfiteatros Prof. Dr. Emilio Athié e Paulo Ayrosa A. Galvão: Rua Dr. Cesário Motta Jr. 112, Vila Buarque, São Paulo (SP)

 

Programação*

30/5, sexta-feira

19h30 – 20h:  Abertura

  • Representantes da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e da ISCMSP
  • Dr. Quirino Cordeiro Júnior e Dr. Guilherme Messas

Conferências de abertura

20h – 20h45 : Maconha e transtornos mentais – 2 séculos de observações psiquiátricas (Dr. Valentim Gentil Filho)

20h45 – 21h30: Ponderações sobre os valores contidos na questão legal da Cannabis sativa (Dr. Mauro Aranha Lima)

21h30 – 22h: Discussão e encerramento


31/5, sábado

Mesa-redonda: As políticas públicas do crack

Moderador: Dr. Guilherme Messas

9h30 – 10h15: Representante da SENAD (Leon de Souza Lobo Garcia)

10h15 – 11h: Representante da Secretaria Estadual de Saúde (Rosângela Elias, coordenadora de Saúde Mental do Estado de São Paulo)

11h – 11h45: Representante da Prefeitura Municipal de São Paulo (Myres Cavalcanti, compreensão/reflexão sobre o cuidar na cracolândia. O programa “De Braços Abertos: limites e conquistas e desafios”)

11h45 – 12h30: Discussão

Mesa-Redonda: As ciências e os cuidados relacionados ao uso de substâncias

Moderador: Dr. Quirino Cordeiro

14h – 14h45: A genética da dependência química (André Negrão)

14h45 – 15h30: A psicopatologia diferencial dos transtornos relacionados ao uso de drogas (Dr. Guilherme Messas)

15h30 – 16h15: O manejo de caso no tratamento de pacientes com dependência a drogas (Dra. Lílian Ratto)

16h15 – 17h: Discussão e encerramento

 

Inscrições: em breve, pelo site www.fcmsantacasasp.edu.br

Investimento:

  • 80 reais (participantes Internos / FCMSCSP e ISCMSP)
  • 100 reais (participantes Rede Pública)
  • 120 reais (demais participantes)

 

Pagamento das inscrições via depósito ou transferência bancária:

  • Favorecido: CEPESAM – Centro de Estudos e Pesquisa do Departamento de Saúde Mental da Santa Casa de São Paulo
  • Banco Bradesco, agência 3450, C/C 2590-9

Envie seu comprovante de depósito para:


Obs.:
 os certificados só serão disponibilizados para os participantes inscritos pelo site do evento (em breve).
*Sujeito a alterações, sem prévio aviso.

Aluno da graduação em Enfermagem da FCMSCSP ingressa em concorrido curso

O aluno Nelson FrancProf. Dr. Jair Guilhermeisco Correa Neto, que cursa o 7º semestre da graduação em Enfermagem da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, foi um dos selecionados para participar do 19º Curso de Inverno de Farmacologia da Faculdade de Medicina da USP.

Com duração de 15 dias, o concorrido programa tem como principal objetivo mostrar técnicas utilizadas em pesquisas. O aluno passou por uma análise curricular, na qual foram avaliados requisitos como formação, estágios, pesquisas desenvolvidas, participação em congressos e histórico escolar.

De acordo com o estudante, a Faculdade Santa Casa de São Paulo o incentivou a participar do programa, além de ter colaborado para a concretização de seu ingresso. “O curso é bastante concorrido e conceituado, e conta com a participação de candidatos do país inteiro. Com certeza, ele irá contribuir muito no desenvolvimento de minha carreira. Vou adquirir conhecimentos teóricos e práticos de temas extremamente importantes, além de conhecer profissionais de todo o Brasil e trocar inúmeras experiências”, afirma.

Atualmente, Nelson participa do grupo de iniciação científica “Potencialização do sistema endocanabinóide e a reconsolidação da memória associativa de reforço positivo induzida por etanol em camundongos”, da Faculdade Santa Casa de São Paulo.

De acordo com o Dr. Jair Guilherme dos Santos Junior, professor adjunto de Farmacologia da Instituição e coordenador do projeto, a pesquisa aborda a dependência de drogas, com testes realizados em camundongos. “A dependência pode ser considerada uma memória de longa duração que está em constante reconsolidação, o que a torna cada vez mais potente. Portanto, a inibição do processo de reconsolidação tem um grande potencial terapêutico. Nosso objetivo é interferir nesse processo através da potencialização do sistema endocanabinóide”, afirma.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 21, em 10/7/2013. Assine nossa newsletter http://www.fcmsantacasasp.edu.br

Consumo de cigarro reduz expectativa de vida e afeta a saúde

Dr. Roberto StirbulovO tabagismo é um importante indicador no monitoramento dos fatores de risco para doenças crônicas não transmissíveis. Segundo o Prof. Dr. Roberto Stirbulov, coordenador da disciplina Sistema Respiratório da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, os principais males causados pelo consumo de cigarro são as doenças cardiovasculares, tais como infarto, acidente vascular cerebral e acidente vascular periférico, lesões que podem levar a amputação de membros do corpo humano, além da doença pulmonar obstrutiva crônica e o câncer de pulmão.

“Existem inúmeras doenças que são relacionadas ao cigarro. As mulheres que fumam, por exemplo, são mais propensas a ter câncer de mama, doenças da pele e até problemas no sistema reprodutor”, de acordo com o Dr. Stirbulov.

O especialista explica que a dependência química e psicológica causada pelo tabaco é intensa e rápida, variando sempre para cada indivíduo. “Não existe uma resposta matemática. Após 6 meses fumando, algumas pessoas têm dependência química, enquanto outras, em apenas 1 mês, já estão dependentes”, afirma.

O cigarro contém mais 5 mil substâncias que podem ocasionar a diminuição na sobrevida, indivíduos que param de fumar desaceleram essa queda. Após 5 anos sem fumar, o pulmão recupera sua constituição normal. O Dr. Stirbulov destaca que o tratamento para parar de fumar é extremamente difícil e complexo, mas possível. “Existe a abordagem cognitiva comportamental, que trata as dependências psicológicas, e a terapêutica, que reduz a síndrome de abstinência. É um tratamento que dura mais de 12 semanas e sempre precisa de auxílio médico. Essa é uma das doenças mais complexas de se tratar”, conclui.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 18, em 28/5/2013. Assine nossa newsletter:http://www.fcmsantacasasp.edu.br.