Perda auditiva entre adolescentes tem consequências ainda mais graves

katia-almeida-faculdade-santa-casa

Prof.ª Dra. Kátia de Almeida, vice-diretora do curso de Graduação em Fonoaudiologia da FCMSCSP

Os efeitos da exposição a elevados níveis de pressão sonora são bem conhecidos. Uma das principais consequências é a perda auditiva induzida por ruído e o trauma acústico – perda de audição decorrente de uma única exposição a um som muito intenso, direto e súbito, como armas de fogo, fogos de artifício, que podem destruir a membrana timpânica e lesionar as células ciliadas da cóclea.

A perda de audição pode acontecer em qualquer idade, desde os mais jovens aos muito idosos. Além disso, pode ter sua causa em doenças, genética, traumatismos encefálicos, complicações no parto e pelo contato com determinados medicamentos. Nos adolescentes, porém, a causa mais comum é a exposição excessiva a níveis de pressão sonora elevados, o que pode ser evitável, portanto, passível de ser prevenido.

Nos jovens, a perda auditiva tem um impacto negativo ainda maior na qualidade de vida, independentemente da idade, podendo levar à solidão, ao isolamento e à frustração. Entretanto, para os jovens e adolescentes em particular, além desses malefícios, a perda auditiva também afetará os processos acadêmicos, como escolhas vocacionais e, até, a autoconfiança e socialização.

De acordo com a Dra. Kátia de Almeida, vice-diretora do curso de graduação em Fonoaudiologia e coordenadora do Mestrado Profissional em Saúde na Comunicação Humana da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, a perda da audição tem aumentado principalmente pela superexposição a ruídos, sendo que, uma vez constatada, se torna irreversível. “Há uma grande preocupação em relação à perda de audição induzida, ou seja, causada por fatores externos. Isso acontece principalmente com jovens que utilizam aparelhos sonoros em volumes extremamente altos. Essa perda é permanente e não há como regredi-la”, afirma.

A especialista explica que a única maneira de prevenir a perda da audição é não se expor a ruídos e altas pressões sonoras, ficando o mínimo de tempo possível em lugares com muito barulho. “Para identificar uma situação de risco auditivo, basta a pessoa se atentar ao fato de que, se estiver em um ambiente com muito barulho, ela vai precisar gritar para ser ouvida. Após ficar em ambientes barulhentos, ela pode apresentar zumbido e sensação de ouvido tampado. Caso essa exposição seja reincidente, a perda pode ser permanente. A audição que teremos na terceira idade irá depender do quanto cuidamos dela na juventude”, conclui.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 116, em 1º/8/2017. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.  

Anúncios

Mestrado Profissional em Comunicação Humana da FCMSCSP: pioneirismo e inovação

mestrado-profissional-comunicacao-humana-faculdade-santa-casaAté o dia 27/7, quinta-feira, estão abertas as inscrições para o Mestrado Profissional em Comunicação Humana da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. O programa, pioneiro no estado de São Paulo, tem como principais objetivos preparar profissionais de saúde para a utilização da investigação científica como ferramenta no aprimoramento do trabalho e qualificá-los para desenvolver e conhecer métodos e técnicas inovadoras com aplicabilidade em equipamentos de saúde, na perspectiva da prevenção e tratamento nas áreas que envolvam a comunicação humana.

Paula Lavaisséri

Paula Lavaisséri

Prova de que o programa capacita profissionais e traz iniciativas inovadoras para o mercado, no início de 2016, uma pesquisa do Mestrado Profissional da FCMSCSP, desenvolveu um protótipo de aplicativo para cuidados vocais. A pesquisadora Paula Lavaissiéri, desenvolveu o aplicativo Q-Voz, fruto de sua dissertação de Mestrado “Cuidados vocais: protótipo de aplicativo para dispositivos móveis”.

O aplicativo Q-Voz oferece ferramentas para a organização pessoal, gerenciamento daQ-Voz App reabilitação vocal e material informativo sobre os cuidados relacionados: agenda de técnicas e hábitos vocais, gravador de voz, câmera de vídeo, temporizador, bloco de anotações, gráficos e premiações virtuais pelo desempenho, informativo sobre cuidados vocais e manual de instruções. O app deve ser instalado no smartphone do paciente e configurado pelo fonoaudiólogo nas sessões terapêuticas, com base em suas necessidades pessoais.

PERÍODO E PERIODICIDADE
O tempo de integralização do curso será de no mínimo 18 e no máximo 24 meses, incluindo-se neste período, disciplinas obrigatórias e optativas, e atividades orientadas de pesquisa para elaboração do trabalho de conclusão de curso. As disciplinas e as atividades do curso ocorrem às quintas-feiras à tarde; às sextas-feiras (manhã e tarde) e, eventualmente, aos sábados.

Serviço
Inscreva-se aqui: Mestrado Profissional em Saúde da Comunicação Humana
Coordenação: Prof.ª Dra. Kátia de Almeida
Vagas: 25
Prazo para inscrições: até 27 de julho de 2017

 

FCMSCSP está com inscrições abertas para o Mestrado Profissional em Saúde da Comunicação Humana

mestrado-profissional-comunicacao-humana-faculdade-santa-casaPioneiro no estado de São Paulo, o programa de Mestrado Profissional em Saúde da Comunicação Humana da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo está com inscrições abertas até o dia 27 de julho.

Destinado aos fonoaudiólogos e demais profissionais, como pedagogos e psicólogos, entre outros interessados nos processos e distúrbios da linguagem, o curso visa capacitar, aprimorar e desenvolver serviços que incorporem inovação tecnológica com habilidades, ou seja, viabiliza a criação de produtos que possam melhorar a qualidade das assistências profissionais, além de torná-los aptos a utilizar evidências e metodologias investigativas científicas.

“Nosso objetivo é formar profissionais interessados em atuar no mercado de trabalho. O curso propiciará aos alunos ferramentas para que possam melhorar suas práticas profissionais. Abordaremos durante as aulas questões relacionadas à linguagem, audição, saúde coletiva dirigida à comunicação humana, e aspectos ligados à fala e voz”, afirma Dra. Kátia de Almeida, coordenadora do mestrado e vice-diretora da graduação em Fonoaudiologia da Faculdade Santa Casa de São Paulo.

PERÍODO E PERIODICIDADE
O tempo de integralização do curso será de no mínimo 18 e no máximo 24 meses, incluindo-se neste período, disciplinas obrigatórias e optativas, e atividades orientadas de pesquisa para elaboração do trabalho de conclusão de curso. As disciplinas e as atividades do curso ocorrem às quintas-feiras à tarde; às sextas-feiras (manhã e tarde) e, eventualmente, aos sábados.

Serviço
Inscreva-se aqui: Mestrado Profissional em Saúde da Comunicação Humana
Coordenação: Prof.ª Dra. Kátia de Almeida
Vagas: 25
Prazo para inscrições: até 27 de julho de 2017

Saúde da Comunicação Humana: programa de mestrado profissional pioneiro no Estado de São Paulo

Para mais informações, clique aqui.
Mestrado Profissional Saúde da Comunicação Humana Faculdade Santa Casa de SP