Evento da FCMSCSP aborda violência no espaço acadêmico

Dr. Renato Zan, professor do Departamento de Saúde Coletiva da FCMSCSP e presidente do AVISA

Núcleo de Acidentes e Violências da Santa Casa de São Paulo (AVISA) realiza há 13 anos, desde a sua formação, eventos que visam congregar os profissionais e serviços de saúde da Santa Casa de São Paulo e Instituições afins, com a finalidade de promover e manter a disseminação de ações de prevenção, de diagnósticos, de terapêutica, de reabilitação e de reinserção social das vítimas de acidentes e violências.

Neste ano, no dia 1º de dezembro, das 8h às 16h, o Núcleo promove o evento “A Juventude e As Violências”, que irá contar com uma programação científica que abordará o envolvimento dos jovens que protagonizam as diversas formas de violência, considerando a sua vulnerabilidade, os fatores e comportamentos envolvidos no atual contexto social.

De acordo com o Dr. Renato Pescarolo Zan, professor do Departamento de Saúde Coletiva da FCMSCSP e presidente do AVISA, é de fundamental importância abordar sobre a saúde do adolescente, principalmente na questão da violência. “Esse tópico deve ser debatido enfaticamente, em todos seus aspectos, nos ambientes universitários. Dados estarrecedores revelam a alta taxa de morbimortalidade por causas externas nesta faixa etária”, afirma o professor.

O evento irá contar com a participação dos alunos dos cursos de Graduação em Medicina, Enfermagem e Fonoaudiologia, que irão relatar suas visões sobre as violências no espaço acadêmico, além da presença do grupo lúdico de jovens ligados à atividade de promoção de saúde que atuam em UBSs e Escolas da região de Perus-São Paulo.

“Nossa expectativa é capacitar os atuais e futuros profissionais de saúde sobre os limites e amplitudes do tema violência, adequando-os, com atitudes e procedimentos ativos para reverter as altas taxas de da morbimortalidade por causas externas em nosso meio”, finaliza.

SERVIÇO
Evento: A Juventude e As Violências
Realização: Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo
Data: 1º/12, sexta-feira, das 8h às 16h00
Local: Auditório Dr. Christiano Altenfelder
Endereço: Rua Dr. Cesário Motta Júnior, 112 – Vila Buarque – São Paulo (SP)
Inscriçõeshttps://goo.gl/o5cn1q

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 120, em 10/11/2017. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br. 

Anúncios

Quem avisa amigo é

Renato-Pescarolo-Zan

Dr. Renato Pescarolo Zan, professor do Departamento de Saúde Coletiva da FCMSCSP

Com o objetivo de integrar e divulgar as atividades desenvolvidas na promoção, prevenção, atendimento e reabilitação das vítimas de acidentes e violências, foi criado o Núcleo de Acidentes e Violências da Santa Casa de São Paulo (AVISA).

De acordo com o Dr. Renato Pescarolo Zan, professor do Departamento de Saúde Coletiva da FCMSCSP e presidente do AVISA, a criação de um núcleo de acidentes e violências na instituição foi o resultado dos esforços e do idealismo de alguns professores da FCMSCSP, a fim de gerar a adoção de comportamentos e de ambientes seguros e saudáveis com mobilização da sociedade e da mídia colaborando no planejamento e execução das Políticas Públicas: “Nosso propósito é congregar os profissionais e serviços de saúde da Irmandade e da Faculdade, além de acompanhar ocorrências das causas externas em todos os setores envolvidos no atendimento das vítimas e notificando, adequadamente, as autoridades competentes”, conta.

avisa-logo-santa-casa
Atualmente, os membros do AVISA realizam reuniões mensais com representantes de departamentos e setores da ISCMSP e da FCMSCSP desenvolvem parcerias com entidades públicas e privadas, além de realizar, anualmente, o evento “Dia de Atenção ao Trauma – Dia T”, que traz seminários, simpósios, cursos e campanhas que abordam os temas acidentes e violência, os quais constituem, em todo mundo, um crescente problema de saúde pública.

“No Brasil, acidentes e violência são responsáveis pela terceira causa de morte na população em geral e a primeira causa entre pessoas de 1 a 39 anos de idade. Considerando essa ‘epidemia’, a FCMSCSP, por meio de seus responsáveis, requer que professores e alunos participem e contribuam ativamente das ações desenvolvidas pelo Núcleo de Violência e Acidentes da Santa Casa de São Paulo (AVISA), contando com o apoio das atuais diretorias de cursos da FCMSCSP”, finaliza.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 111, em 23/5/2017. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.  

Pesquisa de alunos da FCMSCSP questiona: é seguro andar de bicicleta em São Paulo?

Dr.-Tércio-de-campos

Dr. Tércio De Campos

A cada dia que passa, vem aumentando o número de adeptos ao transporte limpo em São Paulo. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope), o número de ciclistas cresceu 50% no ano de 2014, passando de 174,1 mil para 261 mil paulistanos utilizando bikes, seja para trabalhar, seja para passear. A cidade de São Paulo, inclusive, possui atualmente mais de 477 km de infraestrutura cicloviária (ciclovias, ciclorrotas e ciclofaixas operacionais de lazer), segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET).

Diante desse cenário, o professor do curso de Graduação em Medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, Dr. Tércio De Campos, notou que houve também um aumento no surgimento de ciclistas acidentados no Pronto Socorro do Hospital Central da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. “No meu plantão de hoje, por exemplo, havia dois ciclistas acidentados. Queríamos, então, saber quem era essa população, qual a situação e o tipo de lesão que sofria”, completa o Dr. Tércio.

A partir desses questionamentos e juntamente com o Dr. Renato Pescarolo Zan, presidente do Avisa (Núcleo de Acidentes e Violência da Santa Casa de São Paulo), e por meio do Programa de Educação Tutorial (PET) do Ministério da Saúde, os professores da FCMSCSP selecionaram alunos do curso de Graduação em Medicina com participação mais ativa para discutir o projeto: “Por um ano nós acompanhamos 68 ciclistas acidentados no PS da ISCMSP, o que representa, em média, mais de um ciclista por semana. Desse total, 23 utilizavam a bicicleta para lazer e 45 usavam para trabalho ou transporte. Ainda em cima do número total, cinco ciclistas morreram e, desses, todos tinham sinal de traumatismo de crânio e não estavam usando capacete”, detalha o professor.

Intitulado “Trauma em Ciclistas em São Paulo: é seguro andar de bicicleta?”, o trabalho foi apresentado no 31º Congresso Brasileiro de Cirurgia, realizado em agosto, em Curitiba (PR).  “Do total de ciclistas avaliados, 78% deles sofreram traumatismo no crânio”, explica o Dr. Tércio. Na opinião do professor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, o uso de capacetes para ciclistas deveria ser obrigatório. A pesquisa visa aumentar a conscientização e a segurança de ciclistas, apresentando a importância do uso de equipamentos de segurança, fiscalização, direitos e deveres dos ciclistas.

“Dezesseis por cento dos ciclistas entrevistados afirmaram não se sentir seguros em andar de bicicleta em São Paulo. Notamos, entretanto, que os ciclistas não respeitam leis de trânsito e não são fiscalizados, – passam em sinais vermelhos, por exemplo –, estão muitas vezes juntos dos carros, pois nem sempre há uma ciclofaixa isolada. Então é perigoso ir para as ruas sem o conhecimento e respeito das leis. Deveria, inclusive, existir uma fiscalização quanto ao uso de álcool e drogas. Nesse estudo, apuramos que um terço dos ciclistas atendidos tinha feito uso destas substâncias no momento da atividade”, ressalta o professor.

O estudo apontou ainda que 55% dos ciclistas que não usavam equipamentos de segurança diziam acreditar não ser necessário seu uso, 8% alegavam o preço como o principal motivo que impedia a sua utilização e outros 5% julgavam que o uso atrapalhava a atividade. Os alunos que colaboraram para a realização da pesquisa, que ainda não foi publicada,  foram Angelo Chelotti Duarte e Diogo Cesar dos Santos (4º ano); Felipe Antonio Sulla Lupinacci (5º); Marcus Vinicius Briani (6º); e os ex-alunos também de Graduação em Medicina: Roberta Bassan, Roberto Topolniak e Lucas Pires Oliveira Cordeiro.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 73, em 9/9/2015. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Dia da Atenção ao Trauma: Estratégias e Desafios para o Enfrentamento da Violência

Dia da Atenção ao Trauma A Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e o AVISA (Núcleo de Acidentes e Violências da Santa Casa de SP) realizam no próximo dia 14 de novembro, sexta-feira, das 8h15 às 12h, o Dia da Atenção ao Trauma – Estratégias e Desafios para o Enfrentamento da Violência.

Na ocasião, serão abordados os temas:

  • Políticas públicas e rede de proteção às vítimas de violência
  • Vulnerabilidade social e violência na região central: Consultório de Rua
  • Violência doméstica
  • Violência e a relação de poder nos diferentes contextos
  • Trabalho: assédio moral e sexual
  • Violência institucional contra o idoso
  • Aspectos jurídicos na assistência as vítimas de violência: uma visão institucional

O evento acontecerá no Auditório da Unidade Jaguaribe do Hospital Santa Isabel, na Rua Jaguaribe, 144, São Paulo (SP).

Para conferir a programação completa, clique aqui. Inscrições disponíveis neste link.

Dia de Atenção ao Trauma chega à sua 10ª edição

No dia 6 de novembro aconteceu a 10ª edição do Dia de Atenção ao Trauma – Dia T, evento realizado anualmente pelo Avisa (Núcleo de Acidentes e Violência da Santa Casa de São Paulo). O evento contou com a presença de profissionais da área da saúde, alunos da FCMSCSP e de outras Instituições. Foram 18 cursos, com 3 convidados internacionais, 90 convidados nacionais e mais de 1600 participantes. O encontro fez parte da Semana do Trauma, iniciativa inédita com objetivo de englobar todos os aspectos relacionados à temática do evento, apresentando perspectivas das diferentes profissões e especialidades que atendem as vítimas de trauma.

De acordo com Renato Pescarolo Zan, professor do departamento de Medicina Social da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e presidente do Avisa, o Dia de Atenção ao Trauma pautou a implantação do Sistema de Trauma, o atendimento à Catástrofes e Múltiplas Vítimas, o Ensino ao traumatizado no país, as formas de atuação, além de abordar o problema no contexto mundial.

“Essa temática é de interesse para todos os profissionais que, de alguma forma, atuam na emergência e no pronto atendimento. Em 2010, aconteceram, no Brasil, 145 mil mortes decorrentes de trauma. Foram 390 ocorrências por dia e 16 por hora. Para cada morte, há 4 sequelados e dezenas de internações. No evento, focamos a qualidade do atendimento, reforçando que o melhor tratamento é a prevenção”, diz.

Segundo o professor, as apresentações contaram com profissionais de áreas como: cirurgia, ortopedia, terapia intensiva, neurocirurgia, pediatria, geriatria, e de especialistas em acidentes do trabalho e traumas da face. São consideradas traumas lesões internas decorrentes da troca de energia entre o meio externo e o corpo. As causas mais frequentes são os acidentes de tráfego, quedas e a violência interpessoal, apresentando características próprias, acometendo vários órgãos, o trauma está presente em todas as idades e diferentes níveis de gravidade.

Em 2013, ao lado da data memorável dos 50 anos da fundação da FCMSCSP, acrescenta-se mais uma década de atividades do Avisa. O núcleo conta com o apoio da FCMSCSP e da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e realiza reuniões, publicações, congressos e parcerias com instituições privadas e públicas.

“A nossa missão está embasada em congregar os profissionais e serviços de saúde da Santa Casa de São Paulo e instituições afins, promover e manter a disseminação de ações de prevenção, diagnósticos, terapêutica, reabilitação e de reinserção social das vítimas. Além disso, queremos desenvolver a adoção de comportamentos e de ambientes seguros e saudáveis com mobilização da sociedade e da mídia, monitorar a ocorrência de acidentes e violências e apoiar as atividades científicas”, finaliza.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 30, em 13/11/2013. Assine nossa newsletter http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Dia de Atenção ao Trauma

Em 6 de novembro, quarta-feira, será realizada a 10ª edição do Dia de Atenção ao Trauma, que acontece anualmente com a organização do Avisa, o Núcleo de Acidentes e Violência da Santa Casa de São Paulo. Nesse dia, a discussão será ampla e em forma de palestras, mesas redondas, oficinas de trabalho prático e até mesmo com encenações.

No encontro, que fará parte da Semana do Trauma, a discussão será sobre a implantação do Sistema de Trauma no país, uma forma de atuar em prevenção, atendimento e reabilitação, ainda não existente no Brasil. O Avisa é um núcleo multiprofissional que funciona como Comissão da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, do qual fazem parte ortopedistas, cirurgiões gerais, neurocirurgiões, enfermeiras, pediatras, fisioterapeutas, assistentes sociais e psicólogos, entre outros profissionais.

Confira a programação abaixo e se inscreva para participar. Clique aqui.

 PROGRAMA CIENTÍFICO PRELIMINAR
 
7h30 – 8h00
Abertura
8h – 08h30
AVISA: 10 anos!Palestrante: Renato P. Zan (Presidente AVISA)
08h30 – 10h30
Mesa redonda: ATENDIMENTO A CATÁSTROFES E MÚLTIPLAS VÍTIMAS
Moderadores: (a confirmar) | José Cesar Assef
•Atendimento inicial a incidentes com múltiplas vítimas e Sistema de Comando em Emergências.
Cap. Humberto Leão 
•Qual o papel da regulação médica no atendimento a catástrofes?
Antonio Onimaru (SAMU)
•Atendimento pré-hospitalar a incidentes com múltiplas vítimas: papel do médico
Ricardo Galesso Cardoso (GRAU)
•Plano de atendimento intra-hospitalar a múltiplas vítimas
Sandro Rizoli (Canadá)
10h30 – 11h00
COFFEE BREAK
11h – 11h30
Palestra: ENSINO DO ATENDIMENTO AO TRAUMATIZADO NO BRASIL
Presidente: Edivaldo Utiyama (a confirmar)
Palestrante: Newton Djin Mori
11h30 – 12h00
Palestra: O CIRURGIÃO DE EMERGÊNCIA E TRAUMA
Palestrante: Samir Rasslan (USP)
12h – 12h30
Discussão
12h30 – 13h30
INTERVALO PARA BRUNCH E VISITA AOS ESTANDES
13h30 – 14h30
ABERTURA OFICIAL DA SEMANA DA ATENÇÃO AO TRAUMA DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SÃO PAULO
14h30 – 17h
Mesa Redonda: SISTEMAS DE TRAUMA
Presidente: Antonio Gonçalves (Santa Casa de SP)
Moderadores: José Cesar Assef (Santa Casa de SP)
Danilo Stanzani (São José do Rio Preto)
•Sistema de trauma: uma necessidade?
Gustavo P. Fraga (Unicamp)
•Linha de Atenção ao Trauma (a confirmar)
•Atendimento ao traumatizado em São Paulo
Maria Cecilia Damasceno (Secretaria Estadual da Saúde-SP)
•Sistemas de trauma na Europa
Carlos Mesquita 
•Sistemas de trauma nos EUA
Raul Coimbra (UCSD-EUA)
17h00 – 18h00
SIMULAÇÃO DO ATENDIMENTO A MÚLTIPLAS VÍTIMAS
Alunos das Ligas do Trauma SP
GRAU / Bombeiro: Ricardo Galesso
Comentários: Roberto Stefanelli (GRAU)
                      Mauricio
Coordenador: Ricardo Galesso
(Local: Praça em frente à Capela da Santa Casa de SP)