Professora da FCMSCSP inaugura espaço dedicado às pessoas com Síndrome de Down

carla-franchi-pinto-faculdade-santa-casa

Dra. Carla Franchi Pinto, médica geneticista e professora do Departamento de Ciências Patológicas da FCMSCSP

Logo após o mês em que comemora-se a luta da pessoa com deficiência, será inaugurado em São Paulo o Espaço Elo21. Com o objetivo de reacender o debate sobre a qualidade de vida das pessoas com Síndrome de Down e guiá-las para outras diretrizes, a Dra. Carla Franchi Pinto, médica geneticista e professora do Departamento de Ciências Patológicas da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, junto com mais três profissionais da saúde inauguram um ambiente dedicado aos nascidos com Síndrome de Down e suas famílias.

“A essência do Elo21 é única, pois visa estimular em cada pessoa, independente de ter Síndrome de Down ou não, empatia e alteridade. O intuito é oferecer recursos para que cada um expresse o melhor de si – desde seus genes, até seus sentimentos, pensamentos e ações. Além disso, queremos estimular o respeito, a humanidade, o inconformismo e a inclusão”, destaca a médica e sócia-fundadora do espaço, Dra. Carla Pinto.

O espaço pode ser usado pelas pessoas com Síndrome de Down, familiares, professores e profissionais da saúde em geral, mas não exclui aqueles com alguma dificuldade física ou intelectual. O local contará com 16 profissionais, em uma equipe formada por médicos, nutrigeneticista, psicólogas, dentistas, fonoaudióloga, fisioterapeutas, terapeuta ocupacional, pedagogas, neurocientista e educadores físicos.

“Teremos alguns pacotes com preços acessíveis para promover a inclusão. Infelizmente não conseguimos atender todos de maneira gratuita, pois nossa estrutura é grande e exigirá manutenção. Já as famílias não pagantes serão selecionadas a partir do Ambulatório Multidisciplinar de Orientação à síndrome de Down da Santa Casa, em São Paulo, (AMOr.SDSC).”, complementa a médica.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 119, em 6/10/2017. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br. 

Anúncios

1/3 das crianças brasileiras entre 5 a 9 anos está acima do peso, segundo IBGE

erika-parente-bezerra

Dra. Erika Bezerra Parente, professora de Endocrinologia da FCMSCSP

A obesidade é uma doença séria e que tem atingido muitas crianças no Brasil. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), um terço das crianças brasileiras entre 5 a 9 anos está acima do peso. Os casos de obesidade, em 20 anos, aumentaram mais de quatro vezes nessa faixa etária, atingindo 16,6% em meninos e 11,8% nas meninas.

De acordo com a Dra. Erika Bezerra Parente, professora da disciplina de Endocrinologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, estar acima do peso, além de problemas físicos, como diabetes, hipertensão arterial e colesterol alto, pode acarretar em questões psicossociais para os pequenos, como a baixa autoestima.

“A obesidade infantil está relacionada à alimentação inadequada hipercalórica associada à pouca atividade física. Estudos mostram que, por exemplo, crianças que se alimentam mal e ficam muito tempo em frente à televisão ou ao computador, podem ter maior risco de obesidade”, afirma a endocrinologista.

Para evitar este quadro, o papel dos pais é essencial na prevenção da obesidade das crianças, segundo a Dra. Erika: “O melhor tratamento, além, é claro, dos exercícios físicos, é a educação alimentar de toda a família, pois a criança come o que os pais compram. Além disso, às vezes é necessário tratamento comportamental com psicóloga e em alguns casos é necessário uso de medicações também.”

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 119, em 6/10/2017. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br. 

Saiba como foi a 34ª edição do Congresso Médico Acadêmico da Santa Casa de São Paulo (CoMASC)

bruno-mills

Bruno Derwood Mills Costa de Carvalho, aluno do 3º ano do curso de Graduação em Medicina da FCMSCSP e presidente do DCMA

Nos dias 3, 4 e 5 de outubro, terça, quarta e quinta-feira, foi realizada a 34ª edição do Congresso Médico Acadêmico da Santa Casa de São Paulo (CoMASC) e também a 35ª Jornada de Prêmios Manoel de Abreu e Emilio Athié.

O evento, organizado pelo Departamento Científico Manoel de Abreu (DCMA), além de gratuito, é um dos mais conceituados do Brasil e desenvolvido por alunos da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo para todos os estudantes de Medicina interessados – tanto os da FCMSCSP quanto os de outras instituições. O objetivo principal do evento é promover a atualização de conhecimentos médicos e formação científica dos futuros profissionais da área de saúde.

De acordo com Bruno Derwood Mills Costa de Carvalho, aluno do 3º ano do curso de Graduação em Medicina da FCMSCSP e presidente do DCMA, um ponto alto do Congresso foi a palestra “Suplementação para atletas”, ministrada pelo Dr. Felipe Henning Gaia Duarte, médico do Hospital AC Camargo Cancer Center. “Nós temos muitos alunos aqui na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo que são atletas amadores e às vezes fazem uso de suplementação, então acho que foi um assunto bem relevante para todos. Além disso, a palestra de encerramento do CoMASC foi ministrada pelo Dr. Willian Ferreira Igi, ex-aluno da FCMSCSP, que comentou sobre sua experiência como voluntário na crise dos refugiados”, conta.

Segundo Mills, outro ponto forte do Congresso foi a 35ª Jornada de Prêmios Manoel de Abreu e Emilio Athié, que teve um número de inscritos recorde neste ano.  “As inscrições na Jornada de Prêmio foram um sucesso. Tivemos até que aumentar o número de trabalhos selecionados na modalidade de pôster. De maneira geral, o evento foi muito bom, pois juntamos uma diretoria dedicada com alunos muito interessados e isso fez com que os resultados fossem extremamente positivos”, finaliza.

Para conferir a lista dos vencedores da 35ª Jornada de Prêmios Manoel de Abreu e Emilio Athié, clique aqui.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 119, em 6/10/2017. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br. 

10 filmes que todo profissional da saúde deveria assistir

É fato que o dia a dia dos profissionais e estudantes da área da saúde é muito corrido. Para os universitários, a rotina é repleta de provas, trabalhos e as diversas obrigações acadêmicas. Já para os profissionais de saúde, os plantões, consultas e atendimentos são as atividades que consomem as horas do dia. Mas, e que tal aproveitar a dia de folga ou o final de semana para se entreter assistindo um filme que propõem reflexão sobre a profissão?

Pensando nisso, nós preparamos uma lista com 10 filmes que todos os profissionais da saúde deveriam assistir. Venha conferir!

  1. Um Estranho no Ninho (1975)

Ambientado em uma clínica psiquiátrica, o filme conta a história de Randall McMurphy, interpretado pelo legendário Jack Nicholson, um indivíduo de espírito livre que termina lá fugindo da prisão e lidera os pacientes em uma rebelião contra a equipe opressiva, chefiada pela enfermeira Ratched. O clássico do cinema aborda como a saúde mental era tratada até poucas décadas atrás: com base em medicações sedativas, castigos e rígidas regras padronizadas de tratamento. O personagem de Nicholson é internado e revoluciona a clínica psiquiátrica com sua irreverência e indisciplina melhorando até mesmo o estado de saúde dos outros internos.

  1. Tempo de Despertar (1990)

Em 1969, em Nova Iorque, o médico neurologista Malcolm Sayer, interpretado por Robin Williams, trabalha em um hospital psiquiátrico. Lá, encontram-se vários pacientes que, aparentemente, estão catatônicos. Sayer sente que eles estão só “adormecidos” e que, se forem medicados da maneira certa, poderão ser despertados. Pesquisando sobre o assunto, ele chega à conclusão de que os pacientes sofrem de encefalite letárgica, e que a droga L-DOPA, usada em pacientes com o mal de Parkinson, poderia ser o medicamento ideal para tratá-los. Sayer é autorizado pelo diretor do hospital a submeter apenas um paciente ao novo tratamento; ele escolhe Leonard Lowe (Robert De Niro), que estava “adormecido” há décadas. O filme nos mostra a importância da assistência humana dos profissionais de saúde com seus pacientes e de que forma essa humanidade pode mudar a todos, inclusive quem a pratica.

  1. Um Golpe do Destino (1991)

Cirurgião de sucesso, Jack Mckee é completamente desconectado emocionalmente de sua família e das pessoas que opera. Ao desenvolver um tumor maligno, ele começa a ver a vida da perspectiva de um paciente. Jack conhece uma mulher fatalmente doente, mas extremamente corajosa e percebe a necessidade de mostrar compaixão em sua profissão. Neste filme, é despertada a reflexão sobre a importância da relação entre médico e paciente.

  1. O Óleo de Lorenzo (1992)

Um drama real na vida de um pai e uma mãe que lutam para salvar a vida de seu filho. Augusto e Michaela Odone são pegos pelo destino: Lorenzo de cinco anos de idade é diagnosticado com uma rara e incurável doença, mas a persistência da família e sua fé os leva para a cura, salvando seu filho e mudando a história da medicina.

  1. Patch Adams – O Amor é Contagioso (1998)

Patch Adams descobre que o humor e o carinho podem fazer maravilhas e ajudar a curar pessoas hospitalizadas, mas suas ideias entram em conflito com os defensores da medicina tradicional. Este é outro grande clássico da área médica que possui o ator Robin Williams como personagem principal.

  1. Quase Deuses (2004)

Vivien Thomas, um negro na década de 30, é contratado como faxineiro mas acaba ajudando o Dr. Alfred Blalock em uma investigação médica. O problema é que o racismo não permite a entrada de Thomas na universidade, mas como ele é indispensável para o êxito do projeto, sua entrada é permitida contanto que somente Blalock receba as honras. Este filme, baseado em fatos reais, mostra a pesquisa e como foi a primeira cirurgia de coração do mundo.

  1. Mar Adentro (2004)

Rámon sofreu um acidente que o deixou paralisado e preso a uma cama por boa parte de sua vida. Cansado, ele luta pelo direito de dar fim à sua existência e entra em conflito com a sociedade, a Igreja e sua família. Filme traz uma reflexão importante a todos os profissionais da saúde: a eutanásia.

  1. O Escafandro e a Borboleta (2007)

Aos 43 anos de idade, o editor-chefe da revista Elle, Jean-Dominique Bauby, tem um derrame devastador que o deixa paralisado e dependente, algo frustrante para um homem conhecido por aproveitar demasiadamente a vida. A única coisa capaz de mover é o olho esquerdo. Então ele aprende a se comunicar piscando e escreve um livro de memórias. O filme nos apresenta mais sobre a neurofisiologia e sobre a Síndrome do Encarceramento, rara doença chamada em que os movimentos do corpo inteiro são paralisados, mas as faculdades mentais se mantêm intactas.

  1. Mãos Talentosas – A história de Ben Carson (2009)

 O Dr. Ben Carson, neurocirurgião de fama mundial, tem origem humilde e protestante em Detroit. Ele torna-se diretor do Centro de Neurologia Pediátrica do Hospital Universitário Johns Hopkins, em Baltimore, nos Estados Unidos, aos 33 anos. Uma inspiradora história de superação da pobreza e busca pela perfeição na carreira médica.

  1. O Físico (2013)

Ainda criança, Rob vê sua mãe morrer em decorrência da doença do lado. O garoto cresce sob os cuidados de Bader, conhecido como “barbeiro-cirurgião”, que promete curar doenças. Ao crescer, Rob acumula todos os conhecimentos de Bader sobre cuidar de pessoas doentes, mas ele sonha em saber mais. Rob descobre então, que na Pérsia há um médico famoso, responsável por administrar um hospital. Para aprender com ele, Rob faz uma longa viagem rumo à Ásia, a fim de aprender a exercer a Medicina, em pleno século XI.

Gostou das nossas dicas? Agora é só preparar a pipoca e aproveitar!