Departamento de Ciências Fisiológicas promove seminário “Projeto Atletas do Futuro: a genômica no esporte!”

Joao-Bosco-PesqueroEm mais uma edição dos seminários promovidos pelo Departamento de Ciências Fisiológicas da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, na terça-feira, dia 8/8, das 12h às 13h30, será apresentada a palestra Projeto Atletas do Futuro: a genômica no esporte!”.

O convidado desta edição é o Dr. João Bosco Pesquero, professor Livre-docente da Universidade Federal de São Paulo, com experiência na área de Bioquímica, com ênfase em Biologia Molecular e atuante nos temas análise molecular de genes ligados aos erros inatos do metabolismo, sistema calicreína-cininas, renina-angiotensina, biologia molecular e animais transgênicos.

O encontro será realizado no Auditório Prof. Dr. Paulo Augusto Ayrosa Galvão, rua Dr. Cesário Motta Jr. 112, Vila Buarque – São Paulo (SP) e é coordenado pela Prof.ª Dra. Fabiana Henriques Machado de Melo, professora do Departamento de Ciências Fisiológicas da FCMSCSP.

  • Inscrições no local.
Anúncios

Mestrado Profissional em Comunicação Humana da FCMSCSP: pioneirismo e inovação

mestrado-profissional-comunicacao-humana-faculdade-santa-casaAté o dia 27/7, quinta-feira, estão abertas as inscrições para o Mestrado Profissional em Comunicação Humana da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. O programa, pioneiro no estado de São Paulo, tem como principais objetivos preparar profissionais de saúde para a utilização da investigação científica como ferramenta no aprimoramento do trabalho e qualificá-los para desenvolver e conhecer métodos e técnicas inovadoras com aplicabilidade em equipamentos de saúde, na perspectiva da prevenção e tratamento nas áreas que envolvam a comunicação humana.

Paula Lavaisséri

Paula Lavaisséri

Prova de que o programa capacita profissionais e traz iniciativas inovadoras para o mercado, no início de 2016, uma pesquisa do Mestrado Profissional da FCMSCSP, desenvolveu um protótipo de aplicativo para cuidados vocais. A pesquisadora Paula Lavaissiéri, desenvolveu o aplicativo Q-Voz, fruto de sua dissertação de Mestrado “Cuidados vocais: protótipo de aplicativo para dispositivos móveis”.

O aplicativo Q-Voz oferece ferramentas para a organização pessoal, gerenciamento daQ-Voz App reabilitação vocal e material informativo sobre os cuidados relacionados: agenda de técnicas e hábitos vocais, gravador de voz, câmera de vídeo, temporizador, bloco de anotações, gráficos e premiações virtuais pelo desempenho, informativo sobre cuidados vocais e manual de instruções. O app deve ser instalado no smartphone do paciente e configurado pelo fonoaudiólogo nas sessões terapêuticas, com base em suas necessidades pessoais.

PERÍODO E PERIODICIDADE
O tempo de integralização do curso será de no mínimo 18 e no máximo 24 meses, incluindo-se neste período, disciplinas obrigatórias e optativas, e atividades orientadas de pesquisa para elaboração do trabalho de conclusão de curso. As disciplinas e as atividades do curso ocorrem às quintas-feiras à tarde; às sextas-feiras (manhã e tarde) e, eventualmente, aos sábados.

Serviço
Inscreva-se aqui: Mestrado Profissional em Saúde da Comunicação Humana
Coordenação: Prof.ª Dra. Kátia de Almeida
Vagas: 25
Prazo para inscrições: até 27 de julho de 2017

 

FCMSCSP realiza o 9º Encontro de Ética em Enfermagem

maria-angela-reppetto

Prof.ª Dra. Maria Angela Reppetto, curso de Graduação de Enfermagem da FCMSCSP

Com o objetivo de envolver estudantes e profissionais da área de saúde em um processo de reflexão sobre a humanização da assistência de enfermagem como uma prática ética, o curso de Graduação em Enfermagem da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo realiza no dia 26 de agosto, sábado, o 9º Encontro de Ética em Enfermagem.

A importância dos assuntos discutidos para o público-alvo do encontro, de acordo com a Dra. Maria Ângela Reppetto, professora do curso de Graduação em Enfermagem da FCMSCSP e coordenadora do evento está em oferecer subsídios para discussão sobre as boas práticas de enfermagem e os aspectos éticos na assistência, ensino e pesquisa. Dentre os temas que serão abordados no evento, estão a importância do sigilo profissional na prática da assistência de enfermagem e a ética em pesquisa em seres humanos.

“Minha expectativa é que o encontro conte muitos participantes entre professores, alunos e enfermeiros para enriquecer discussão dos temas que serão apresentados e que, além disso, contribua para a prática profissional de enfermeiros”, afirma a professora.

Serviço
9º Encontro de Ética em Enfermagem
Organização: Curso de Graduação em Enfermagem da FCMSCSP
Local: Auditório Prof. Dr. Cristiano Altenfelder – 4º andar – Novo Prédio
Data e horário: 26 de agosto de 2017, sábado, das 7h às 13h00
Inscrições no local

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 115, em 18/7/2017. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.  

Albinismo precisa ser acompanhado desde a infância

page_img_albinismo

Idealizadores do Programa Pró-Albino, Dr. Marcus Maia, professor da disciplina de Dermatologia da FCMSCSP e a Dra. Carolina Marçon, dermatologista

O albinismo é uma desordem genética associada à deficiência da melanina, pigmento que dá cor à pele, aos cabelos e aos olhos e tem a função de proteger a pele contra a radiação solar. Indivíduos portadores de albinismo têm, portanto, pele clara – pela ausência da melanina – extremamente sensível e suscetível ao câncer da pele, além de problemas oculares que são bem específicos e característicos, como a fotofobia, o estrabismo, entre outros.

De acordo com a Dra. Carolina Marçon, dermatologista e uma das idealizadoras do Programa Pró-Albino, como as pessoas portadoras de albinismo não têm a produção de melanina, elas têm uma pele completamente desprotegida que requer diversos cuidados. “A melanina é um pigmento que quando recebe a radiação na pele, tem um estímulo para a produção e forma uma espécie de ‘capinha’ ao redor do núcleo da célula, que tem a função de proteger o DNA contra o dano causado pela radiação. Desta forma, é fundamental no paciente albino a proteção solar. Eles não podem, de jeito nenhum, se expor nos horários entre 10h e 16h. Em outros horários, é necessária a proteção solar, com o uso do protetor solar ou com o uso de roupas com tecido apropriado que impede a radiação de atingir a pele”, comenta.

A dermatologista explica ainda que essa proteção deve ser feita desde a infância da pessoa com albinismo, uma vez que a falta de cuidado pode acarretar em uma série de problemas na vida adulta: “A proteção é fundamental porque o dano vai se acumulando e, na vida adulta, começa a se manifestar. Se a proteção for feita desde a infância, evitando a exposição ao sol, é possível chegar à idade adulta com a pele completamente saudável.”

Além disso, pessoas portadoras de albinismo também devem fazer a suplementação de vitamina D, já que 90% da vitamina vêm da exposição ao sol. “Outra questão importante é a oftalmológica. Se diagnosticada na infância, uma criança albina tem a possibilidade de um desenvolvimento estudantil normal. Hoje existem vários tratamentos para adequar essa criança com deficiência visual ao ambiente”, ressalta a Dra. Carolina.

Programa Pró-Albino

Com o objetivo de prevenir, diagnosticar, tratar e acompanhar os pacientes com albinismo, foi implantado o programa Pró-Albino na Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. O projeto faz uma abordagem multidisciplinar do albinismo, que é contemplada por equipe de dermatologistas, oftalmologistas, psicólogos e uma assistente social.

Segundo o Dr. Marcus Maia, professor da disciplina de Dermatologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e também idealizador do programa, a ideia de criar o Pró-Albino, a princípio, veio da importância de realizar o diagnóstico precoce do câncer de pele.

“Os pacientes albinos chegavam aqui com câncer extremamente avançado e, alguns casos mais graves, até perdíamos alguns pacientes em função desse câncer. Chegamos à conclusão, portanto, que precisaríamos fazer esse acompanhamento no albino bebê. O problema do albino é muito maior do que a gente imagina. E a única forma de ajudá-los é incluí-los socialmente na saúde, na educação e na profissão. Isso nos estimulou a criar uma política de inclusão social para este grupo”, afirma.

“Nosso trabalho, principalmente por acompanharmos muitas crianças, é muito gratificante, pois conseguimos impedir que coisas graves aconteçam e que essa criança cresça com qualidade de vida”, afirma a Dra. Carolina.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 115, em 18/7/2017. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.  

 

Pós-graduação em Medicina Hiperbárica tem inscrições abertas até 12 de setembro

Especializacao-Medicina-Hiperbarica-Faculdade-Santa-CasaA Medicina Hiperbárica está regulamentada pelo Conselho Federal de Medicina desde 1995 e dedica-se ao estudo dos efeitos do aumento da pressão barométrica (hiperbarismo) sobre o ser humano, incluindo os efeitos terapêuticos do oxigênio hiperbárico e os problemas relacionados ao mergulho e ao trabalho em ambiente pressurizado. Estes últimos tem normatização do Ministério do Trabalho, a qual exige que a avaliação médica de trabalhadores e de candidatos a trabalho em ambiente hiperbárico e de mergulhadores profissionais deve ter formação específica, não bastando o título de médico do trabalho.

De acordo com a coordenação do curso de Pós-graduação em Medicina Hiperbárica da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, o curso tem como objetivos a capacitação do aluno para realizar a avaliação de trabalhadores e de candidatos a trabalho em ambiente pressurizado, realizar os exames médicos direcionados aos mergulhadores, reconhecer e tratar os problemas do mergulho e indicar e orientar o uso do oxigênio hiperbárico.

Além disso, no programa serão abordados pontos importantes do uso seguro de equipamentos hiperbáricos e de mergulho, propiciando uma ferramenta indispensável ao profissional médico que atende candidatos a mergulhador ou mergulhadores profissionais e recreativos, e trabalhadores que exercem atividades em ambiente pressurizado, bem como aos médicos que trabalham ou pretendem trabalhar em serviços médicos hiperbáricos. “Deste modo, além de abordar os aspectos fisiológicos e clínicos do oxigênio hiperbárico, este curso fornecerá ao aluno a formação fundamental para atuar com segurança na avaliação e apoio a mergulhadores e trabalhadores submetidos ao hiperbarismo”, afirma a coordenação.

Serviço
Inscreva-se aqui: Medicina Hiperbárica
Coordenação Técnica: Prof. Eduardo Vinhaes
Vagas: 30
Prazo para inscrições: até 12 de setembro de 2017
Carga horária total: 400 horas
Duração: 12 meses
Horário: Quinzenalmente às sextas-feiras e aos sábados (aulas teóricas e práticas): Sextas-feiras: das 19h às 23h00 Sábados: das 8h às 12h e das 13h às 17h00
Investimento total: 12 parcelas mensais de R$ 1.500,00

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 115, em 18/7/2017. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.  

Catarata é uma das principais causas de cegueira no mundo, segundo OMS

maria auxiliadora

Prof.ª Dra. Maria Auxiliadora Monteiro Frazão, oftalmologista e professora da FCMSCSP

Caracterizada pela opacidade do cristalino – estrutura que funciona como uma lente dentro dos olhos e  responsável pela focalização da imagem para longe e perto – a catarata é uma das principais causas de cegueira no mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde.

As causas para o desenvolvimento da catarata são várias, sendo mais comum a catarata senil, decorrente do processo natural do envelhecimento e surge, em geral, após os 60 anos. “Vale ressaltar que outros fatores como diabetes, catarata traumática, inflamações intraoculares e uso de corticoide por tempo prolongado podem desencadear o processo mais precocemente”, afirma a Dra. Maria Auxiliadora Monteiro Frazão, oftalmologista professora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e diretora do Departamento de Oftalmologia da Irmandade da Santa Casa de São Paulo.

Outro tipo de catarata é a congênita. Geralmente observada ao nascimento, é decorrente de doenças adquiridas pela mãe durante a gestação, mais frequentemente as infecciosas e pode estar acompanhada de outras alterações sistêmicas.

O principal sintoma da catarata é o embaçamento progressivo da visão. Essa perda de visão vai aumentando à medida que a catarata fica mais madura, podendo levar o paciente à cegueira. “O tratamento da catarata é realizado por meio de cirurgia, quando é retirado e substituído o cristalino opaco por uma lente intraocular com o objetivo de restabelecimento da visão, portanto a catarata é uma causa de cegueira reversível, diferente de outras doenças como, por exemplo, o glaucoma, explica a oftalmologista.

Além disso, com o avanço das técnicas para a cirurgia de catarata, a Dra. Maria Auxiliadora explica que a recuperação dos pacientes tem sido cada vez mais rápida e tranquila: “Hoje a técnica mais realizada para a extração da catarata é a facoemulcificação, com uso de ultrassom, em que a abertura do olho é de milímetros, sem necessidade de pontos em quase todos os pacientes e implante de lentes intraoculares dobráveis. Como essas lentes são cada vez mais compatíveis com a anatomia e fisiologia do olho, a recuperação, tanto da visão como do paciente, está muito mais rápida.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 114, em 4/7/2017. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.  

Pós-graduação da FCMSCSP qualifica enfermeiros para atuar com Saúde Mental

Juliana-Elena-Ruiz-Faculdade-Santa-Casa

Prof.ª Mestra Juliana Elena Ruiz, coordenadora do curso de Pós-graduação em Enfermagem Psiquiátrica e Saúde Mental

A atenção em saúde mental no Brasil, nas últimas três décadas, tem passado por mudanças de paradigma assistenciais iniciadas com a Reforma Psiquiátrica. Diante desse cenário, percebe-se claramente a importância e a exigência por melhores qualificações e de capacitação dos profissionais que trabalham com saúde mental.

A fim de suprir a demanda de enfermeiros em busca de qualificação e formar profissionais especializados para que tenham conhecimento de suas responsabilidades no cuidado da saúde, no processo de reabilitação psicossocial e para que permitam aprimorar suas competências para atuar na rede de saúde mental, a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo oferta o curso de Pós-graduação em Enfermagem Psiquiátrica e Saúde Mental.

Como diferencial, a especialização se destaca no mercado principalmente por proporcionar aos alunos, cerca de 100 horas destinadas a atividades práticas e visitas técnicas em serviços e equipamentos variados: “Isso permite que os alunos vivenciem e conheçam a rede de atenção à saúde mental, uma vez que as atribuições do enfermeiro psiquiátrico passam por mudanças significativas enquanto campo de atuação e prática profissional”, conta a Mestra Juliana Elena Ruiz, professora e coordenadora do programa.

Serviço
Inscreva-se aqui: Enfermagem Psiquiátrica e Saúde Mental
Coordenação: Prof.ª Mestra Juliana Elena Ruiz
Vagas: 20
Prazo para inscrições: até 17 de julho de 2017
Carga horária total: 430 horas
Duração: 18 meses
Horário: Quinzenalmente: às terças-feiras, das 14h às 20h, e aos sábados, das 8h às 16h00
Investimento total: 18 parcelas mensais de R$ 470,00.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 114, em 4/7/2017. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.