A invisibilidade da violência contra as mulheres na vida e na cultura e seus impactos

banner-homeCom o objetivo de estimular a reflexão sobre as desigualdades de gênero na sociedade para que os profissionais de saúde não reproduzam práticas que causem sofrimento, adoecimentos e traumas de diferentes ordens para as mulheres, o curso de Graduação em Enfermagem da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo realiza, no dia 8/10, sábado, das 9h às 12h, o evento “A invisibilidade da violência contra as mulheres na vida e na cultura e seus impactos”.

As inscrições podem ser realizadas até o dia 7/10. Clique aqui: www.fcmsantacasasp.edu.br.

O encontro é gratuito e destinado a estudantes de todos os cursos, docentes, profissionais da área de Enfermagem e demais interessados no tema e acontecerá nos auditórios Prof. Dr. Emilio Athié e Prof. Dr. Paulo Augusto Ayrosa Galvão, localizados na rua Dr. Cesário Mota Jr., 112 – Vila Buarque – São Paulo (SP).

Confira a programação completa do evento “A invisibilidade da violência contra as mulheres na vida e na cultura e seus impactos”.

Aterosclerose: principal causa de mortalidade no mundo

renato-jorge-alves-fcmscsp

Dr. Renato Jorge Alves, professor da disciplina de Cardiologia da FCMSCSP

Caracterizada pela obstrução das grandes e médias artérias, a aterosclerose é uma doença silenciosa que, de repente, pode dar sinais agressivos como o infarto, o AVC ou até mesmo a morte súbita. Em comemoração ao Dia Mundial do Coração, celebrado em 29 de setembro, o Boletim Conectar conta mais sobre a patologia, que é a principal causa de mortalidade no mundo.

De acordo com o Dr. Renato Jorge Alves, professor da disciplina de Cardiologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e coordenador do Ambulatório de Lípides da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, entre as causas da aterosclerose estão o aumento do colesterol, hipertensão arterial, diabetes, tabagismo, idade avançada e obesidade. “O estresse, sedentarismo, consumo de alimentos industrializados que contêm sal, açúcar e gordura saturada em excesso também são fatores relacionados à aterosclerose indiretamente”, explica o professor.

Os sintomas da aterosclerose também podem se manifestar como dores no peito, falta de ar, cansaço aos esforços, dor nas pernas aos grandes e moderados esforços. “É aconselhável a realização de exames de prevenção cardiovascular, tais como eletrocardiograma e exames laboratoriais. Nesse quesito, é recomendado que o exame de colesterol total e frações seja realizado aos 10 anos de idade”, finaliza o Dr. Renato.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 97, em 20/9/2016. Assine nossa newsletter:http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Associação de Ex-alunos da Santa Casa promove palestra com Dr. José Luiz Setubal

aeascA Associação de Ex-alunos da Santa Casa (AEASC) realiza nesta quinta-feira, 29/9, das 19h30 às 21h, uma palestra com o Dr. José Luiz Setubal, Provedor da Santa Casa. Na ocasião, o Dr. Setubal falará sobre o Fundo Patrimonial Areguá, projeto que tem como missão, a partir da criação de um fundo patrimonial, promover a excelência da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, atraindo e formando talentos das Ciências da Saúde.

A palestra é destinada aos ex-alunos, alunos e professores da FCMSCSP e acontecerá no Auditório Prof. Dr. Cristiano Altenfelder, 4°andar do Novo Prédio da Faculdade, na Rua Dr. Cesário Motta Jr., 112, Vila Buarque, São Paulo (SP).

Encontro de Enfermagem em Nefrologia chega à 7ª edição

graziela-ramos-de-souza-fcmscsp

Mestra Graziela Ramos Barbosa de Souza, coordenadora do curso de Pós-graduação em Enfermagem em Nefrologia

No dia 15/10, sábado, a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo realizará o 7º Encontro de Enfermagem em Nefrologia. Sob a coordenação do curso de Graduação em Enfermagem da FCMSCSP, esta edição traz como tema os “Tratamentos e Complicações nas Disfunções Renais”. O objetivo geral do encontro é promover atualizações sobre a assistência de enfermagem ao indivíduo com disfunção renal.

Segundo a Mestra Graziela Ramos Barbosa de Souza, professora do curso de Graduação em Enfermagem, coordenadora do evento e do programa de pós-graduação lato sensu em Enfermagem em Nefrologia da FCMSCSP, é de extrema importância discutir sobre os tratamentos na Injúria Renal Aguda e na Doença Renal Crônica, uma vez que o enfermeiro é responsável por garantir que o tratamento aconteça de forma efetiva e com qualidade. “O tema central do encontro é bem atual e os palestrantes têm uma vasta experiência na assistência aos pacientes com essas complicações e na pesquisa em nefrologia. Isso possibilitará relevantes reflexões sobre o assunto”, conta.

Além disso, as discussões sobre os tratamentos e complicações nas disfunções renais poderão promover reflexões para melhorar as práticas do cuidado no que concerne à assistência de enfermagem, como afirma a Mestra Graziela Ramos: “os enfermeiros e os estudantes de enfermagem terão a oportunidade de estar em contato com profissionais especialistas e pesquisadores em nefrologia que trarão atualidades no assunto”, finaliza a professora.

O encontro é destinado a enfermeiros e estudantes de Enfermagem. Para realizar a sua inscrição, acesse o site do 7º Encontro de Enfermagem em Nefrologia.

Serviço:
Data e horário:
Dia 15/10, sábado, das 7h45 às 13h00
Local: Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo
Auditório Prof. Dr. Paulo A. Ayrosa Galvão
Rua Dr. Cesário Motta Jr., 112, Vila Buarque, São Paulo (SP).

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 97, em 20/9/2016. Assine nossa newsletter:http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

26/9: Dia Nacional do Surdo

Nesta segunda-feira, 26/9, em comemoração ao Dia Nacional do Surdo, professores, alunos e colaboradores da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo vestiram a cor azul. Confira algumas das fotos desta iniciativa:

dsc_0014dsc_0030dsc_0035

Hipotireoidismo: doença autoimune está relacionada com fatores genéticos

osmar-monte-fcmscsp

Dr. Osmar Monte, endocrinologista, professor titular e vice-diretor da FCMSCSP

O hipotireoidismo é uma deficiência na produção de um hormônio da tireoide, chamado tiroxina, que tem como principal função regular a velocidade do metabolismo energético, e na criança também controla o crescimento. A causa mais frequente do hipotireoidismo é a doença tireoidiana autoimune, conhecida como tireoidite de Hashimoto, uma inflamação da tireoide causada por um erro do sistema imune.

Apesar dos sintomas conhecidos, como o ganho de peso e a queda dos cabelos, segundo o Dr. Osmar Monte, endocrinologista, professor titular e vice-diretor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, o hipotireoidismo é uma doença de insidiosa, com início muito lento, por isso, quando na fase inicial, a pessoa praticamente é assintomática, o que é um alerta para ter os exames em dia. “Os sintomas iniciais não são sugestivos. A pessoa pode sentir um pouco de sonolência, indisposição, o que são sintomas que várias situações podem acarretar”, explica.

A patologia é geralmente mais comum em mulheres e tende ser mais frequente à medida que as pessoas envelhecem. Além disso, de acordo com o Dr. Osmar Monte, existe outro grupo de risco para o hipotireoidismo. “Por se tratar de uma doença autoimune, existe herança familiar. Quem tem familiares com hipotireoidismo tem risco maior de desenvolver a deficiência”, afirma.

O diagnóstico do hipotireoidismo é feito pela história clínica, exame físico e a confirmação pelo exame laboratorial com a medida do TSH, seguida da medida do T4 livre. “Para se achar a etiologia, ou seja, a causa do hipotireoidismo, devemos também medir os anticorpos contra tireoide”, conta o endocrinologista. O tratamento da patologia é feito por meio da reposição da tiroxina. “O paciente diariamente toma uma dose de tiroxina de tal modo a se manter a função da tireoide em valores normais para sua faixa etária”, finaliza.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 97, em 20/9/2016. Assine nossa newsletter:http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Conheça os principais sintomas da endometriose

helizabet-salomao-abdalla-ayroza-ribeiro-fcmscsp

Dra. Helizabet Salomão Abdalla Ayroza Ribeiro, professora do Departamento de Obstetrícia e Ginecologia da FCMSCSP

Cólicas muito fortes, menstruação desregulada, dores durante a relação sexual e para evacuar. Esses são alguns dos sintomas da endometriose, importante doença ginecológica que atinge uma em cada dez mulheres e é uma das principais causas de infertilidade.

Mais comum em mulheres que estão no período reprodutivo, a endometriose ocorre quando o endométrio – camada mais interna do útero – é encontrada em outros locais fora do útero, como ovário, trompa, vagina, bexiga, intestino.

Segundo a Dra. Helizabet Salomão Abdalla Ayroza Ribeiro, professora assistente do Departamento de Obstetrícia e Ginecologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, a endometriose pode ser uma das causas de infertilidade por ser uma doença inflamatória que causa um ambiente hostil para as trompas e ovários, dificultando a gestação. “Quando a doença acomete os ovários por meio do cisto chamado endometrioma, este cisto dificulta a ovulação, o que leva à infertilidade”, esclarece.

Além disso, a ginecologista ressalta a importância de se atentar aos sintomas iniciais da endometriose: “Ao sentir cólica menstrual acima do normal e dores durante a relação sexual, é necessário procurar um médico. Se houver dor no toque vaginal na mobilização do fundo da região atrás do útero, a paciente terá que realizar Ressonância Magnética Pélvica ou um mapeamento de endometriose através do Ultrassom transvaginal com preparo intestinal.”

O tratamento da endometriose pode ser hormonal, que alivia os sintomas de dor e mantém a doença em uma forma inativa temporariamente, como afirma a Dra. Helizabet: “Quando a paciente toma o medicamento, há uma melhora da dor e a doença fica em repouso. Teoricamente, não evolui. Também se recomenda atividade física regular e na medida do possível uma rotina menos estressante.”

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 97, em 20/9/2016. Assine nossa newsletter:http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Pneumonia: como identificá-la?

igor-polonio-fcmscsp

Dr. Igor Bastos Polonio, professor da disciplina de Pneumologia da FCMSCSP

Caracterizada pela inflamação dos pulmões, a pneumonia é uma doença que pode ser causada por vírus ou bactéria e que, em alguns casos, pode ser fatal para crianças menores de dois anos e idosos acima dos 60 anos, já que esses possuem imunidade mais baixa dos que as demais pessoas.

No dia 11 de setembro, durante um evento em homenagem às vítimas dos ataques terroristas às Torres Gêmeas, a candidata à presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton, que tem 68 anos, precisou deixar o local às pressas após sentir uma indisposição. Logo, veio o diagnóstico de pneumonia. Mas a pergunta é: de que forma é possível identificar essa doença? Como diferenciá-la de uma simples gripe ou resfriado?

A transmissão da pneumonia acontece por meio do contato interpessoal, como gotículas de saliva no ar, contato das mãos ou pela entrada acidental de bactérias no pulmão vindas da boca. De acordo com o Dr. Igor Bastos Polonio, professor da disciplina de Pneumologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, os principais sintomas da pneumonia incluem tosse com expectoração esverdeada ou amarelada, que pode ter sangue, febre alta, falta de ar e dor ao respirar.

Além disso, a doença possui um grupo de risco, como afirma o médico: “Geralmente os mais atingidos são crianças abaixo de dois anos de idade, idosos acima de 60 anos, indivíduos com imunossupressão, ou seja, que possuem diabetes, HIV ou câncer, moradores de rua e pessoas com doenças respiratórias e cardíacas crônicas. Isso acontece porque o mecanismo de defesa dessas pessoas é mais comprometido.”

Ainda segundo o Dr. Igor, o diagnóstico da pneumonia não é fácil de ser obtido e, por essa razão, o tratamento é empírico, baseado em antibióticos que combatem as bactérias mais frequentemente causadoras da doença. “A pneumonia viral, do ponto de vista clínico e radiológico, é semelhante à bacteriana, e os métodos diagnósticos são invasivos. Desta forma, somente em pacientes nos quais os germes envolvidos podem ser diferentes dos usuais – casos graves, de pacientes imunossuprimidos e internados em UTI – é que se justificam métodos invasivos para realizar o diagnóstico, pois nestes casos, muitas vezes, os germes são hospitalares ou diferentes dos germes que causam pneumonia em uma pessoa normal”, explica.

Como forma de prevenção, o Ministério da Saúde recomenda a vacinação contra a gripe, que é um agente que pode causar a pneumonia, além da vacinação contra a pneumonia pneumocócica, que pode evitar as formas mais graves da doença. Essa prevenção deve ser feita, principalmente, pelos indivíduos que se enquadram no perfil de um dos grupos de risco.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 97, em 20/9/2016. Assine nossa newsletter:http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Medicina: 1º lugar no Ranking Universitário Folha (RUF 2016) do país, dentre as instituições particulares

Omedicina_santa_casa_ranking_universitario_folha_2016 curso de Graduação em Medicina da FCMSCSP obteve o 1º lugar no Ranking Universitário Folha (RUF 2016), dentre as instituições de ensino superior (IES) particulares do Brasil. O programa ocupou, ainda, a 9ª posição dentre todas as IES – privadas e públicas – do país, subindo mais uma posição em relação a 2015.

Em “Qualidade de Ensino”, um dos critérios do estudo, o curso de Medicina da FCMSCSP também está entre os 10 melhores do país, sendo o 1º dentre as particulares. No critério “Avaliação do Mercado”, o estudo destaca a ascensão da Medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo em mais 5 posições em relação à edição anterior do ranking.

Para conferir os detalhes do estudo, acesse o link da RUF Folha – Edição 2016. Saiba mais sobre o curso de Graduação em Medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

FCMSCSP promove 1ª Jornada de Neurociência e Educação

Cartaz-A4.jpgSob a coordenação da Prof.ª Dra. Carla Tieppo, a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo realiza a 1ª Jornada de Neurociência e Educação. O evento que acontece neste sábado, 17/9, no Auditório Prof. Dr. Emilio Athié, tem como objetivo discutir os impactos da neurociência no âmbito educacional e é destinado aos alunos do curso de Pós-graduação em Neurociência Aplicada à Educação da FCMSCSP. As inscrições deverão ser realizadas no local.

Confira a programação completa da 1ª Jornada de Neurociência e Educação, no Portal da FCMSCSP.