Professor da FCMSCSP recebe prêmio da Associação Internacional de Nefrologia Pediátrica

Dr-Julio-Toporovski-fcmscsp

Dr. Julio Toporovski, professor da FCMSCSP

Assim que se formou pela Escola Paulista de Medicina, em 1955, o Dr. Julio Toporovski passou a trabalhar na Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Nessa trajetória de absoluto sucesso, que já soma mais de 60 anos de dedicação à carreira, o Dr. Toporovski tornou-se uma das principais referências no campo da nefrologia pediátrica, atuando ainda como professor titular na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, no Departamento de Pediatria e Puericultura. Orgulhoso por contribuir com a formação de jovens profissionais na área médica desde o início do curso de Graduação em Medicina da FCMSCSP, o professor é também responsável pela formação de médicos pediatras que atuam hoje em todo o Brasil, em sua especialidade: “Ao longo de todos esses anos, muitos desses profissionais que se especializaram nos serviços de nefrologia pediátrica na Santa Casa de São Paulo retornaram aos seus estados de origem e fundaram grupos que estudam as doenças renais”, complementa o Dr. Toporovski, que já presidiu, inclusive, o Comitê de Nefrologia Infantil da Sociedade Brasileira de Pediatria e a Sociedade de Pediatria de São Paulo, além de ser autor de inúmeras publicações nacionais e internacionais.

Reconhecimento da IPNA
Além dos diversos reconhecimentos em sua trajetória profissional, o Dr. Julio Toporovski receberá, em breve, mais um importante prêmio atribuído pela IPNA (International Pediatric Nephrology Association), sediada em Nova York. A outorga do reconhecimento acontecerá durante o 17º Congresso da IPNA, a ser realizado entre 20 e 24 de setembro de 2016, em Foz do Iguaçu (PR). De acordo com a Sociedade de Pediatria de São Paulo, em notícia veiculada no site da instituição, “O Serviço de Nefrologia Pediátrica do Departamento de Pediatria e Puericultura da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, com o Prof. Dr. Julio Toporovski à frente, foi um dos pioneiros da especialidade no Brasil, não só dando assistência às crianças nefropatas, como também formando pediatras com habilidades e competências para exercer a Pediatria nessa área de atuação”. Um reconhecimento, portanto, mais que justo e merecido por todo o seu talento e competência.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 94, em 9/8/2016. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Fuvest abre inscrições no dia 19/8 para Vestibular 2017 em Medicina da FCMSCSP

medicina-fcmscsp-fuvestNo dia 19/8, sexta-feira, a Fundação Universitária para o Vestibular (Fuvest) abre inscrições para o processo seletivo que seleciona candidatos para o curso de Graduação em Medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Desde 1963, quando o curso foi criado, a FCMSCSP já formou 48 turmas de médicos. Valores como a humanização estão sempre presentes, o que faz a Instituição estimular, entre seus futuros médicos, a prática constante de ações sociais para desenvolver cidadãos mais conscientes. Com ênfase em atividade prática e, em especial, junto ao paciente, o currículo da Faculdade para o estudo da Medicina está voltado à formação do médico generalista, humanista, com visão crítica e reflexiva, totalmente atualizado com o mercado.

Para tirar as principais dúvidas dos candidatos que procuram a Faculdade, o Boletim Conectar esclarece, nesta edição, algumas das principais dúvidas a respeito do tradicional curso de Graduação em Medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Acompanhe:

Como faço para participar do Processo Seletivo?
Para ingressar no curso de Graduação em Medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo é necessário prestar o processo seletivo pela Fundação Universitária para o Vestibular (Fuvest), a mesma que aplica as provas para ingresso de alunos interessados nos cursos da Universidade de São Paulo (USP).

Mas, se o vestibular está na Fuvest, esta Faculdade é pública ou privada? E qual a relação dela com a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP)?
A Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo é uma instituição particular e tem como mantenedora a Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho. O curso de Graduação em Medicina é um curso pago, contando ainda com bolsas de estudo oferecidas pela mantenedora, para alunos em comprovada situação de carência socioeconômica e desde que aprovados no vestibular. A Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo ou apenas “Santa Casa de São Paulo” – como é mais conhecida e que também é uma instituição privada – cede hospitais, enfermarias, laboratórios, instalações e equipamentos, para as aulas práticas de todas as áreas, além de fornecer estágio e posterior residência aos alunos da FCMSCSP (a residência, neste caso, também é aberta a alunos graduados em Medicina de outras instituições, mediante seleção para todos).

Como o curso de Medicina está estruturado na FCMSCSP?
O curso exige extrema dedicação, no total são 6 anos de curso, sendo que as aulas acontecem de segunda a sexta-feira, em tempo integral. Nos dois primeiros anos, o aluno se dedica ao Estudo do Homem Normal, ou seja, aprendem sobre a função e comportamento do homem como um ser bio-psico-social; nos dois anos seguintes o ensino é focado no Estudo da Doença com foco na doença, terapêutica e tratamento; e, nos dois últimos anos, o aluno passa pelo Estudo do Doente, uma espécie de internato pré-profissional na ISCMSP. Além disso, nos dois últimos meses, o aluno faz Estágio Eletivo, escolhendo uma das áreas da Medicina – cirúrgica, clínica, pediátrica, tocoginecológica ou qualquer outra especialidade – para reforçar sua formação.

Há atividades extracurriculares?
Na FCMSCSP existem iniciativas como o Programa de Integração dos Primeiro-Anistas (PIPA), com ações sociais para a população; o Programa Expedições Científicas e Assistenciais (PECA), que leva atendimento médico a regiões carentes do estado de São Paulo, com a integração de alunos de outros cursos; o Programa Santa Maluquice, que leva distração e alegria para as crianças internadas no complexo hospitalar da Santa Casa de São Paulo; as Ligas Acadêmicas, que tratam de áreas específicas da saúde; além de diversos meios para intercâmbios que são coordenados pelo Núcleo de Relações Internacionais da FCMSCSP, responsável por parcerias com renomadas instituições de ensino.

Onde obtenho mais informações?
– Sobre o curso de Graduação em Medicina da FCMSCSP: www.fcmsantacasasp.edu.br.
– Para o Vestibular Fuvest 2017 (Inscrições em 19/8): www.fuvest.br.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 94, em 9/8/2016. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Especialização em Medicina Hiperbárica na FCMSCSP

eduardo-vinhaes-fcmscsp

Prof. Eduardo Vinhaes, coordenador técnico do curso de Pós-Graduação em Medicina Hiperbárica da FCMSCSP

A Medicina Hiperbárica trata do bem estar físico, psíquico e social do ser humano que se expõe a um ambiente com pressão barométrica, elevada (hiperbarismo), estudando também os efeitos terapêuticos do oxigênio hiperbárico e os problemas relacionados ao mergulho, a fim de preveni-los ou suavizar as suas consequências.

O curso de Pós-Graduação (lato sensu) em Medicina Hiperbárica da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo tem inscrições abertas até o dia 26 de setembro e oferece a oportunidade de um detalhado aprimoramento científico e profissional direcionados ao médico interessado nesta área por intermédio de apresentações teóricas e treinamentos práticos.Dentre os objetivos da especialização, estão a capacitação e o aprimoramento de médicos para orientar, analisar, realizar pesquisas e contribuir na segurança e organização de atividades em ambiente hiperbárico, além da identificação dos fatores de risco e estabelecimento de programas de prevenção, buscando conhecer como e por que acontecem acidentes de mergulho, que tipo de acidentes são estes, acompanhar sua evolução e identificar suas características.

De acordo com o Prof. Eduardo Vinhaes, coordenador técnico do programa, o curso é uma ferramenta indispensável ao profissional que trabalha ou pretende trabalhar em serviços médicos hiperbáricos bem como aqueles que atendem a candidatos a mergulhador ou a mergulhadores recreativos e profissionais e trabalhadores de ambiente pressurizado. “É uma oportunidade única para se adquirir o conhecimento médico e técnico em uma área da medicina que ainda tem muito a oferecer em um país que conta com uma das maiores populações de mergulhadores em toda a América Latina, mas que ainda possui diversas áreas sem nenhum tipo de serviço médico hiperbárico disponível”, afirma.

Além dos aspectos fisiológicos, clínicos e éticos, o curso aborda pontos importantes do uso seguro de equipamentos (câmaras) hiperbáricos e de mergulho propiciando uma formação aprofundada em medicina hiperbárica. “Isso permitirá ao aluno atender de maneira diferenciada a um mercado carente de profissionais com treinamentos mais específicos na área”, finaliza o professor.

Serviço
Inscreva-se aqui
: Pós-Graduação em Medicina Hiperbárica
Coordenação: Prof. Dr. Daniel Muñoz
Coordenação Técnica: Prof. Eduardo Vinhaes
Vagas: 55
Prazo para inscrições: até 26 de setembro de 2016
Carga horária total: 400 horas
Duração do curso: 12 meses
Horário: sextas-feiras, das 19h às 23h, e sábados, das 8h às 12h e das 13h às 17h (quinzenalmente).
Investimento total: 12 parcelas mensais de R$ 980,00

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 94, em 9/8/2016. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Gota é sinal de níveis elevados de ácido úrico no sangue

dawton-torigoe-fcmscsp

Dr. Dawton Yukito Torigoe, professor de Reumatologia da FCMSCSP

Caracterizada pelo excesso de ácido úrico no sangue, a gota é uma forma de artrite que pode causar dores agudas, principalmente nos membros inferiores do corpo. Por se tratar de uma dor que aparece de repente e, depois de uma crise, desaparece, os indivíduos que sofrem com a gota, muitas vezes, não procuram um especialista para tratar do problema.

De acordo com o Dr. Dawton Yukito Torigoe, professor de Reumatologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, quando acontecem as crises de dor aguda por causa da gota, os indivíduos apenas procuram um pronto-socorro, tomam anti-inflamatórios e não procuram tratamento para diminuir os níveis do ácido úrico, que permanecem no sangue. “O aumento de ácido úrico constante no sangue determina uma maior probabilidade de infarto, derrame cerebral e insuficiência renal. É preciso um tratamento preventivo para diminuir o ácido úrico, pois assim diminuem as crises e, ao mesmo tempo, reduz-se o risco cardiovascular”, explica.

Um dos locais mais comuns em que a gota aparece é o dedão do pé, segundo o reumatologista. Além disso, o perfil da pessoa acometida pela gota é característico, sendo mais frequente em homens na faixa de 40 a 50 anos. “Homens têm hábitos alimentares diferentes das mulheres. Eles costumam ingerir mais bebida alcoólica e mais proteínas, como as encontradas em carnes, que aumentam os níveis do ácido úrico”, conta. Nas mulheres, os casos de gota são raros e só podem aumentar a frequência após a menopausa, por fatores hormonais.

Para que haja melhora no quadro, o Dr. Dawton afirma que o tratamento é feito em dois momentos. Quando há crise aguda, com a ajuda de anti-inflamatórios e cortisona para amenizar a dor, e também no uso de medicamentos específicos para reduzir os níveis de ácido úrico no sangue: “Com o auxílio desses remédios, o ácido úrico cai lentamente até voltar aos níveis normais, o que diminui as crises.”

O tratamento, que é para a vida toda, também envolve mudança nos hábitos dessas pessoas: “O paciente precisa eliminar da dieta alguns alimentos. Bebida alcoólica, por exemplo, é muito ruim para gota, pois faz subir o ácido úrico. No entanto, com os remédios, o ácido úrico baixa para níveis seguros e a pessoa pode levar uma vida absolutamente normal”, finaliza o Dr. Dawton.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 94, em 9/8/2016. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Obra na área de Fonoaudiologia traz evidências científicas atualizadas e suas implicações para a prática clínica e educacional

ana-luiza-navas-maria-thereza-mazorra-fcmscsp

Maria Thereza Mazorra dos Santos e Ana Luiza Navas

No dia 2 de agosto, terça-feira, foi lançado o livro “Transtornos de linguagem escrita: teoria e prática”, da Editora Manole. A publicação, que é fruto do trabalho das autoras Maria Thereza Mazorra dos Santos e Ana Luiza Navas, diretora do curso de Graduação em Fonoaudiologia da FCMSCSP, aborda as evidências científicas e suas implicações para a prática clínica e educacional, de maneira atualizada, ampliada e aprofundada.

Na obra, são discutidos temas como as teorias de aquisição e desenvolvimento da linguagem, a relação da linguagem oral com a linguagem escrita, a definição e a caracterização dos transtornos de sua aprendizagem, além de descrever as bases para uma avaliação e intervenção para estes transtornos. “O livro é destinado a todos que se interessam pelo desenvolvimento da linguagem escrita e que querem entender como e por que existem dificuldades nesse processo”, afirma a Dra. Ana Luiza Navas.

O livro conta ainda com uma novidade: um site especialmente desenvolvido para que o leitor tenha acesso a materiais complementares disponíveis para download, que ajudarão na terapia e na intervenção.

Para mais informações sobre a publicação, acesse o site da editora.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 94, em 9/8/2016. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

3º Encontro de Saúde e Cidania discute Saúde e vulnerabilidade social

peca-facebookO curso de Graduação em Enfermagem da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo realiza em 17 de agosto de 2016, quarta-feira, das 14h às 16h, o 3º Encontro de Saúde e Cidadania com o tema Saúde e vulnerabilidade social. O encontro é destinado a professores, alunos e profissionais da área da saúde e tem como objetivo discutir temáticas relacionadas ao direito e cidadania em saúde.

As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas até o dia 16/8, pelo Portal da FCMSCSP, www.fcmsantacasasp.edu.br.

Confira a programação completa do 3º Encontro de Saúde e Cidadania.

 

INPP 2016 reúne principais nomes das ciências humanas em saúde mental

guilherme-messas-fcmscsp

Dr. Guilherme Messas, presidente da INPP 2016 e coordenador do curso de Pós-Graduação em Psicopatologia Fenomenológica da FCMSCSP

Com o objetivo de promover a construção de novas redes relacionais e a expansão das humanidades na psiquiatria, psicologia e saúde mental como um todo e reunir especialistas e pesquisadores de diversos campos das humanidades em saúde mental, com foco nas consequências práticas que suas reflexões acarretam para a área, a 18ª Conferência em Filosofia, Psiquiatria e Psicologia, que possui como tema geral a “Psicopatologia do presente: teoria e prática”, será realizada de 3 a 5 de novembro de 2016, sob a organização da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

De acordo com o Dr. Guilherme Messas, presidente da INPP 2016 e coordenador do curso de Pós-Graduação em Psicopatologia Fenomenológica da FCMSCSP, a expectativa é que o evento enfatize a importância das ciências humanas para a psicologia, para a psiquiatria e para a saúde pública. “A INPP 2016 tem atraído diversas instituições, nacionais e internacionais. Isso mostra que existem inúmeras tendências e diversas tradições dispersas na sociedade que têm interesse em se encontrar e estabelecer diálogos por meio do evento. Minha expectativa é que possamos oferecer justamente esse campo para uma expansão das ciências humanas na saúde mental”, conta.

Em coordenação com a International Network for Psychiatry and Psychology e com apoio acadêmico de importantes instituições de vários países, o programa da 18ª Conferência contempla interesses de pesquisadores, clínicos, estudantes e demais profissionais vinculados à saúde mental, além do público geral interessado no tema. Entre os conferencistas já confirmados estão Bill Fullford, da Universidade de Oxford, John Sadler, da Universidade do Texas e Giovanni Stanghellini, da Università degli Studi G. d’Annunzio, na Itália.

Para se inscrever no evento, acesse a página oficial da 18ª Conferência em Filosofia, Psiquiatria e Psicologia – INPP 2016.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 93, em 26/7/2016. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.