Gota é sinal de níveis elevados de ácido úrico no sangue

dawton-torigoe-fcmscsp

Dr. Dawton Yukito Torigoe, professor de Reumatologia da FCMSCSP

Caracterizada pelo excesso de ácido úrico no sangue, a gota é uma forma de artrite que pode causar dores agudas, principalmente nos membros inferiores do corpo. Por se tratar de uma dor que aparece de repente e, depois de uma crise, desaparece, os indivíduos que sofrem com a gota, muitas vezes, não procuram um especialista para tratar do problema.

De acordo com o Dr. Dawton Yukito Torigoe, professor de Reumatologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, quando acontecem as crises de dor aguda por causa da gota, os indivíduos apenas procuram um pronto-socorro, tomam anti-inflamatórios e não procuram tratamento para diminuir os níveis do ácido úrico, que permanecem no sangue. “O aumento de ácido úrico constante no sangue determina uma maior probabilidade de infarto, derrame cerebral e insuficiência renal. É preciso um tratamento preventivo para diminuir o ácido úrico, pois assim diminuem as crises e, ao mesmo tempo, reduz-se o risco cardiovascular”, explica.

Um dos locais mais comuns em que a gota aparece é o dedão do pé, segundo o reumatologista. Além disso, o perfil da pessoa acometida pela gota é característico, sendo mais frequente em homens na faixa de 40 a 50 anos. “Homens têm hábitos alimentares diferentes das mulheres. Eles costumam ingerir mais bebida alcoólica e mais proteínas, como as encontradas em carnes, que aumentam os níveis do ácido úrico”, conta. Nas mulheres, os casos de gota são raros e só podem aumentar a frequência após a menopausa, por fatores hormonais.

Para que haja melhora no quadro, o Dr. Dawton afirma que o tratamento é feito em dois momentos. Quando há crise aguda, com a ajuda de anti-inflamatórios e cortisona para amenizar a dor, e também no uso de medicamentos específicos para reduzir os níveis de ácido úrico no sangue: “Com o auxílio desses remédios, o ácido úrico cai lentamente até voltar aos níveis normais, o que diminui as crises.”

O tratamento, que é para a vida toda, também envolve mudança nos hábitos dessas pessoas: “O paciente precisa eliminar da dieta alguns alimentos. Bebida alcoólica, por exemplo, é muito ruim para gota, pois faz subir o ácido úrico. No entanto, com os remédios, o ácido úrico baixa para níveis seguros e a pessoa pode levar uma vida absolutamente normal”, finaliza o Dr. Dawton.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 94, em 9/8/2016. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Anúncios

Sobre Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo
A Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP) é uma instituição de ensino superior com mais de 50 anos de atividades. Tem como mantenedora a Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho, que também incentiva a realização ou a participação em pesquisas nos âmbitos científico e técnico e estimula, pela promoção ou participação, estudos nas áreas médica, sanitária e social. Oferece cursos de graduação em Medicina, Enfermagem e Fonoaudiologia; graduação tecnológica em Radiologia e em Sistemas Biomédicos, além de diversos cursos de pós-graduação (especialização lato sensu, mestrado ou doutorado) e pós-doutorado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: