Enfermagem na Assistência ao Adulto em UTI: inscrições abertas

graziela-ramos-de-souza-fcmscsp

Prof.ª Mestra Graziela Ramos B. de Souza

O curso de Pós-Graduação em Enfermagem na Assistência ao Adulto em Unidade de Terapia Intensiva da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, que tem inscrições abertas até o dia 22 de julho, volta-se à formação do enfermeiro, nas áreas de assistência, gestão, ensino e pesquisa. Como objetivos gerais do programa, o curso de especialização lato sensu permite ao aluno abordagens como planejar, implementar e avaliar a assistência de enfermagem ao paciente crítico, gerenciar o processo de trabalho em Unidade de Terapia Intensiva Adulto, desenvolver projetos de educação permanente voltados à equipe de trabalho, paciente e família em UTI e realizar estudos investigativos em unidade de atenção ao paciente crítico.

De acordo com a Prof.ª Mestra Graziela Ramos B. de Souza, coordenadora do programa, o curso possibilita o aprimoramento no que diz respeito ao conhecimento científico e proporciona ao enfermeiro o desenvolvimento da assistência de enfermagem para melhorar as práticas assistenciais nas Unidades de Terapia Intensiva adulto. “O programa oferece a oportunidade de desenvolver projeto de pesquisa, a fim de contribuir com o aprendizado de desenvolvimento de projetos para melhorar a qualidade da assistência de enfermagem”, conta.

Além disso, a professora afirma que o programa é de extrema importância, uma vez que o profissional precisa continuar acompanhando as mudanças e inovações presentes no cuidado ao indivíduo: “Principalmente na unidade de terapia intensiva, local onde são assistidos pacientes graves, com necessidades de cuidados de alta complexidade e presença de tecnologia avançada”, completa.

Para a ex-aluna Ana Cristina Porto Ormundo, a especialização a ajudou de forma bastante positiva na profissão: “O curso tem me apoiado nas tomadas de decisões em situações e emergências na minha atuação diária em unidade de terapia intensiva onde o raciocínio clínico e rápido colaboram para um atendimento qualificado e eficaz aos meus clientes.”

Segundo Eliane Gomes Silva Espinosa, também ex-aluna do programa, todos os conhecimentos adquiridos durante o curso foram aplicados em sua trajetória como enfermeira de Terapia Intensiva Adulto: “Até hoje, quando falo que fiz minha Pós-graduação na FCMSCSP, sou avaliada e reconhecida de forma diferenciada. Pude desenvolver habilidades de pesquisa e ampliar meus conhecimentos no desenvolvimento de trabalhos científicos, já que a instituição motiva essa prática”, conta.

Do total da carga horária prevista, o curso de Enfermagem na Assistência ao Adulto em Unidade de Terapia Intensiva da FCMSCSP tem como diferencial 40% de prática clínica em Unidades de Terapia Intensiva adulto.

Serviço
Inscreva-se aqui
: Enfermagem na Assistência ao Adulto em Unidade de Terapia Intensiva
Coordenação: Prof.ª Mestra Graziela Ramos B. de Souza
Vagas: 45
Prazo para inscrições: até 22 de julho de 2016
Carga horária total: 450 horas
Duração do curso: 18 meses
Horário: sextas-feiras, das 14h às 22h, e sábados (quinzenalmente), das 8h às 17h.
Investimento total: Matrícula + 17 parcelas de R$ 710,00
Obs.: condições especiais para ex-alunos ou funcionários da Santa Casa de São Paulo.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 92, em 12/7/2016. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Ex-Santa: Dr. Luiz Arnaldo Szutan relata sua trajetória acadêmica e profissional

luiz-arnaldo-szutan-fcmscsp

Dr. Luiz Arnaldo Szutan, chefe do Departamento de Cirurgia da FCMSCSP e da  ISCMSP

Dr. Luiz Arnaldo Szutan é formado pela 8ª Turma do curso de Graduação em Medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Especializou-se em Cirurgia Gastroenterologia, na área de atuação de cirurgia do fígado. Foi diretor do curso de Graduação em Medicina da FCMSCSP entre 2008 e 2011 e atualmente é chefe do Departamento de Cirurgia da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e da FCMSCSP.

Conectar: Como você decidiu seguir a carreira na área médica? E quais os motivos o levaram a estudar na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo?
Dr. Szutan: Na verdade, sempre ficamos nos perguntando por que acabamos gostando da Medicina. Algo que me recordo, que talvez tenha tido certa influência, foi o fato de o meu pai, entre a minha infância e a adolescência, ter precisado operar quatro vezes. Ele operou de hérnia, de apendicite e de cálculo do rim. E naquele contato com o ambiente médico, eu me impressionei. Desde os meus 16 anos, eu estava determinado a cursar Medicina. Eu escolhi estudar na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo porque a FCMSCSP, já naquela época, tinha um conceito muito alto entre as faculdades de Medicina. Quando prestei vestibular, eu passei em outra faculdade, mas optei por iniciar meus estudos na Santa, já que eu tinha uma preferência indiscutível por ela. Foi uma opção para mim, obviamente, muito interessante. Ao longo da vida, eu me tornei muito satisfeito por essa escolha.

Conectar: O que te motivou a escolher a área de cirurgia como especialização?
Dr. Szutan: A faculdade é basicamente subdivida em três etapas: a primeira chamada de cadeiras básicas, em que o aluno cursa o 1º, 2º e parte do 3º ano, depois vem as cadeiras clínicas, com aulas teóricas, e o internato por último. O internato no Departamento de Cirurgia, de alguma maneira, já me despertava certo entusiasmo e os professores me impressionaram muito. Na minha época, o Departamento era subdividido em cinco áreas, já que a visão da prática da cirurgia era um pouco mais generalista do que é hoje. Nós tínhamos professores como o Dr. Álvaro Dino de Almeida, Dr. João Fava, o Dr. Fares Rahal, o Dr. Peretz Capelhuchnick. Eles me impressionavam demais, a figura do cirurgião me impressionava muito. Também, quando eu estava no 2º ano do curso, tive uma oportunidade interessante na aula de Anatomia. Os professores Dr. Nelson Barbano e o Dr. Dario Romani me convidaram para entrar em um centro cirúrgico. Eu achei a experiência marcante e que certamente me motivou a escolher a área de cirurgia como especialização.

Conectar: Qual era sua matéria favorita? De que forma a Faculdade Santa Casa de São Paulo contribuiu para a sua profissão?
Dr. Szutan: Eu acredito que, de alguma maneira, nós acabamos por valorizar as questões de uma maneira assimétrica. Obviamente que em uma matéria chamada “pré-clínica”, os temas ligados à Gastroenterologia foram assuntos que me interessaram prevalentemente. Já na cadeira básica, eu me envolvi muito com a questão anatômica, já que existe uma relação muito grande entre cirurgia e anatomia.

Conectar: Alguma lembrança marcante de sua turma?
Dr. Szutan: Eu sou da 8ª Turma e alguns dos colegas ainda estão aqui na FCMSCSP como professores. Além disso, a minha turma se reúne de uma maneira sistemática a cada cinco anos e, eventualmente, a cada ano. Histórias entre a turma nós temos centenas. Esse período de passagem pela Faculdade, do relacionamento com colegas e professores, é muito marcante. A convivência com a área médica, a familiaridade com a Santa, o amor à Faculdade, tudo isso marca. A faculdade é a segunda maior relação que as pessoas têm depois da família. Na minha turma, quando nós nos encontramos, realmente é como se tivéssemos uma grande família entre os alunos da 8ª Turma.

Conectar: Quais são as maiores gratificações da sua vida profissional?
Dr. Szutan: As pessoas correlacionam sucesso profissional ao resultado econômico-financeiro. Inquestionavelmente, acredito que a maior retribuição vem da relação médico-paciente e da relação médico-médico. Este é um ambiente de extrema amizade. Nós não percebemos, mas é extremamente entusiasmante quando você estabelece um nível de relação com seus pacientes, com seus colegas de profissão. Isso é muito gratificante.

Conectar: Quais dicas você daria para os estudantes de medicina?
Dr. Szutan: A principal dica que eu dou é: procure se diferenciar dentro da faculdade. Se posicione como um dos alunos mais dedicados, mais estudiosos e se forme em uma boa residência. Na residência, procure se dedicar para se diferenciar dos demais e, depois de formado, continue com a educação médica, buscando adquirir sempre novos conhecimentos. Dedicar-se, fazer estágios internacionais – que inclusive são oferecidos pela FCMSCSP – e envolver-se com um nível diferenciado da prática médica, faz toda a diferença.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 92, em 12/7/2016. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Neurociência e o Futuro Sustentado de Pessoas e Organizações: inscrições até 25/7

peca-facebookAté o dia 25 de julho de 2016, estão abertas as inscrições para o novo curso de Pós-graduação em Neurociência e o Futuro Sustentado de Pessoas e Organizações da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Com taxa de inscrição no valor de 75 reais, o programa da FCMSCSP é Destinado a graduados que atuem como profissionais de recursos humanos, consultores, coaches, líderes e gestores em geral, além de profissionais de outros campos de atuação que tenham interesse nessa temática.

Sob a coordenação da Prof.ª Dra. Carla Andréa Tieppo, o curso de especialização tem como principal objetivo promover a aquisição de conhecimentos neurocientíficos aplicados à gestão para fornecer ao mercado mão de obra capacitada a aplicar esses conhecimentos no desenvolvimento sustentável de pessoas e organizações.

A divulgação do curso de Pós-graduação em Neurociência e o Futuro Sustentado de Pessoas e Organizações da FCMSCSP tem contado com diversos parceiros, dentre os quais o Blog Psicopedagogia Online para Todos, que é destinado a educadores, sejam eles profissionais da educação ou pais, e pessoas que desejam entender um pouco mais sobre a psicopedagogia. Você pode conhecer o Blog clicando aqui.

 

Serviço
Inscreva-se aqui: Neurociência e o Futuro Sustentado de Pessoas e Organizações
Coordenação: Carla Andréa Tieppo
Vagas: 40
Prazo para inscrições: até 25 de julho de 2016
Carga horária total: 440 horas
Duração do curso: 21 meses
Horário do Curso: das 19h às 22h00
Investimento total: 21 parcelas mensais de R$ 1.380,00

Curso de Atualização em Pré-Cálculo: inscrições abertas até 20/7

Peça-FacebookCom o intuito de contribuir para a atualização de profissionais na área da saúde, a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo abre inscrições para o curso de Atualização em Pré-Cálculo.

Direcionado a estudantes ou profissionais das áreas de Engenharia e Tecnologia e demais interessados no tema, o programa tem como objetivo desenvolver os conceitos básicos de matemática relacionados ao cálculo diferencial e integral.

Inscreva-se até o dia 20/7 pelo Portal FCMSCSP, na página do curso de Atualização em Pré-Cálculo.

Síndrome do pânico: conheça os sintomas

Ana-Paula-Sabatini-fcmscsp

Ana Paula Sabatini, professora do curso de Pós-graduação em Neuropsicologia da FCMSCSP

Chamada de Transtorno de Pânico na linguagem psiquiátrica, a Síndrome do Pânico faz parte do grupo dos Transtornos de Ansiedade e classifica-se por ataques de pânico recorrentes e inesperados. Por ataque de pânico, entende-se um sentimento repentino de medo ou desconforto intenso frequentemente associado à sensação de desastre iminente, cujo pico ocorre em minutos e é acompanhado por sintomas físicos, entre eles: taquicardia, sudoreses, tremor, falta de ar, náusea, dor torácica, tontura e parestesias, entre outros. Para caracterizar a Síndrome do Pânico, os ataques devem ser recorrentes.

De acordo com Ana Paula Sabatini, psicóloga (CRP 06/61783) e professora do curso de Pós-graduação em Neuropsicologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, esses ataques são classificados como inesperados, pois não estão associados a nenhum fator ou ambiente estressor, apesar de poderem ocorrer também em situações específicas. “É importante ressaltar que tais ataques geram preocupação sobre suas consequências e/ou a pessoa tende a mudar sua rotina para evitar os ataques. Relatos de pacientes evidenciam que as crises geram um aumento tão intenso da pressão arterial, que podem dar a sensação de um infarto e sensação iminente de morte, embora o risco real seja mínimo”, explica.

Os primeiros sintomas, segundo a psicóloga, costumam aparecer na adolescência ou idade adulta, sendo mais comum entre 20 e 24 anos e em mulheres (proporção de duas mulheres para cada homem). Além disso, o transtorno acomete pessoas com perfil mais controlador e perfeccionista, que geralmente são muito produtivas e com necessidade constante de serem reconhecidas e aprovadas pelos outros. “Emocionalmente, são pessoas mais frágeis que também apresentam certa dependência em relação ao outro. As crises, embora geralmente não sejam desencadeadas por um motivo identificável, também podem aparecer em situações em que a pessoa perceba um desafio com o qual não consegue lidar”, esclarece.

O tratamento para o Transtorno de Pânico, que de acordo com a professora pode estar associado a outras patologias, como o Transtorno Depressivo e o Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC), é realizado com o uso de medicamentos e terapia.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 91, em 28/6/2016. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Especialização em Tecnologia em Diagnóstico por Imagem: Tomografia Computadorizada e Ressonância Magnética tem inscrições abertas

Homero-Melo-fcmscsp

Dr. Homero José de Farias e Melo, coordenador do curso de Especialização em Tecnologia em Diagnóstico por Imagem: TC e RM da FCMSCSP

De acordo com estudo conduzido pelo Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp), a radiologia e o diagnóstico por imagem estão entre as 10 especialidades mais procuradas por profissionais da área médica. Para os que desejam atuar dentro desses campos e que tenham formação em outras áreas, além da Medicina, a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo oferece o curso de Pós-graduação em Tecnologia em Diagnóstico por Imagem: TC e RM. As inscrições já estão abertas e vão até o dia 11 de agosto.

Destinado aos tecnólogos em radiologia, biomédicos, médicos veterinários e demais profissionais graduados com interesse na área, o curso, que tem duração de 15 meses, proporciona a formação do especialista em Tomografia Computadorizada e Ressonância Magnética mediante o desenvolvimento de competências anatômicas, físicas, operacionais, patológicas e tecnológicas específicas. “Essa é uma excelente oportunidade para o profissional ter contato com as mais modernas técnicas da área e atualizar os conhecimentos, com o apoio de nosso corpo docente, que é muito atuante e qualificado neste mercado”, acrescenta o Dr. Homero José de Farias e Melo, coordenador do curso de Especialização em Tecnologia em Diagnóstico por Imagem: TC e RM da FCMSCSP.

O programa de pós-graduação possui carga horária de 560 horas e acontece às terças e quintas-feiras, das 19h às 23h00. O investimento é de 15 parcelas de R$ 656,00 e as inscrições poderão ser feitas no Portal FCMSCSP: www.fcmsantacasasp.edu.br.


Serviço
Tecnologia em Diagnóstico por Imagem: Tomografia Computadorizada e Ressonância Magnética

Coordenação: Homero José de Farias e Melo
Vagas: 40
Prazo para inscrições: até 11 de agosto de 2016
Carga horária total: 560 horas
Duração do curso: 15 meses
Horário do Curso: terças e quintas-feiras, das 19h às 23h00
Investimento total: 15 parcelas mensais de R$ 656,00

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 91, em 28/6/2016. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Fonoaudiologia nas escolas

A Fonoaudiologia Educacional é uma especialidade reconhecida pelo Conselho Federal de Fonoaudiologia, apesar de o trabalho desse profissional no ambiente de ensino ser bastante antigo. O trabalho do fonoaudiólogo educacional consiste em assessorar e complementar o trabalho dos professores, propondo estratégias e compondo, assim, uma equipe multidisciplinar que atua tanto na educação regular quanto na educação especial inclusiva.

ana_luiza_navas_fcmscsp

Dra. Ana Luiza Navas, diretora do curso de Graduação em Fonoaudiologia da FCMSCSP

De acordo com a Dra. Ana Luiza Navas, diretora do curso de Graduação em Fonoaudiologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, ter um fonoaudiólogo trabalhando por perto na educação é um benefício muito grande para todo o processo de aprendizagem das crianças já que esse profissional contribui não só no momento da alfabetização, mas em todo o desenvolvimento de linguagem, fator essencial para que essa criança consiga evoluir mais e em todos os níveis educacionais: “O fonoaudiólogo educacional tem um papel muito importante nos primeiros anos da educação. Sabemos que na escola também se forma o desenvolvimento da linguagem, a fala, a audição. Mas, em todos os níveis do ensino, o fonoaudiólogo pode ter uma atuação importante, inclusive no ensino superior”, explica.

Quando falamos de educação especial inclusiva, o trabalho do fonoaudiólogo educacional também é fundamental. Afinal, é quem orienta e recomenda aos educadores o que pode e deve ser feito com uma criança com necessidades especiais de comunicação. “Muitas vezes, no caso da síndrome de Down, por exemplo, a criança vai precisar de uma terapia especializada fora do ambiente escolar, mas se a escola tiver um fonoaudiólogo que olhe para todo esse processo, inclusive ao fazer contato com a terapeuta da criança, facilita esse percurso dentro da escola”, conta a fonoaudióloga.

O fonoaudiólogo educacional atua ainda em casos de crianças com transtornos de aprendizagem, deficiência visual, auditiva, autismo, deficiência intelectual, síndromes que resultam em uma deficiência intelectual (como a de Down), crianças com superdotação e altas habilidades, e nas deficiências físicas. “Em alguns casos, como por exemplo, nas paralisias cerebrais, como a crianças têm dificuldades na fala, na coordenação motora e na alimentação, o fonoaudiólogo tem um papel importante orientando os cuidadores – especialmente na alimentação – para que não haja nenhum problema”, comenta a Dra. Ana Luiza.

Outra área de atuação dos fonoaudiólogos dentro das escolas é auxiliar os professores em relação aos cuidados com a voz: “Os problemas de voz dos educadores são um dos principais motivos de afastamento nas escolas. O fonoaudiólogo educacional pode auxiliar, promovendo programas, oficinas que ajudem nesse sentido”, esclarece.

14ª Jornada de Fonoaudiologia da FCMSCSP
A Fonoaudiologia Educacional será um dos temas discutidos na 14ª Jornada Acadêmica do curso de Fonoaudiologia da FCMSCSP. No evento, que acontece nos dias 8 e 9 de setembro de 2016, quinta e sexta-feira, também serão abordados temas como Audiologia, Disfagia, Motricidade oro facial, Saúde coletiva, Voz, entre outros. Neste ano, além de resumos para Apresentação de Pôsteres, será possível submeter resumos para Apresentação Oral. As submissões de trabalhos poderão ser realizadas até 15/7, sexta-feira. Os trabalhos aceitos serão publicados no suplemento da Revista Arquivos Médicos dos Hospitais e da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Para conferir as normas para envio dos resumos e realizar sua inscrição, acesse o site oficial da 14ª Jornada Acadêmica do curso de Fonoaudiologia da FCMSCSP.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 91, em 28/6/2016. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.