Síndrome do pânico: conheça os sintomas

Ana-Paula-Sabatini-fcmscsp

Ana Paula Sabatini, professora do curso de Pós-graduação em Neuropsicologia da FCMSCSP

Chamada de Transtorno de Pânico na linguagem psiquiátrica, a Síndrome do Pânico faz parte do grupo dos Transtornos de Ansiedade e classifica-se por ataques de pânico recorrentes e inesperados. Por ataque de pânico, entende-se um sentimento repentino de medo ou desconforto intenso frequentemente associado à sensação de desastre iminente, cujo pico ocorre em minutos e é acompanhado por sintomas físicos, entre eles: taquicardia, sudoreses, tremor, falta de ar, náusea, dor torácica, tontura e parestesias, entre outros. Para caracterizar a Síndrome do Pânico, os ataques devem ser recorrentes.

De acordo com Ana Paula Sabatini, psicóloga (CRP 06/61783) e professora do curso de Pós-graduação em Neuropsicologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, esses ataques são classificados como inesperados, pois não estão associados a nenhum fator ou ambiente estressor, apesar de poderem ocorrer também em situações específicas. “É importante ressaltar que tais ataques geram preocupação sobre suas consequências e/ou a pessoa tende a mudar sua rotina para evitar os ataques. Relatos de pacientes evidenciam que as crises geram um aumento tão intenso da pressão arterial, que podem dar a sensação de um infarto e sensação iminente de morte, embora o risco real seja mínimo”, explica.

Os primeiros sintomas, segundo a psicóloga, costumam aparecer na adolescência ou idade adulta, sendo mais comum entre 20 e 24 anos e em mulheres (proporção de duas mulheres para cada homem). Além disso, o transtorno acomete pessoas com perfil mais controlador e perfeccionista, que geralmente são muito produtivas e com necessidade constante de serem reconhecidas e aprovadas pelos outros. “Emocionalmente, são pessoas mais frágeis que também apresentam certa dependência em relação ao outro. As crises, embora geralmente não sejam desencadeadas por um motivo identificável, também podem aparecer em situações em que a pessoa perceba um desafio com o qual não consegue lidar”, esclarece.

O tratamento para o Transtorno de Pânico, que de acordo com a professora pode estar associado a outras patologias, como o Transtorno Depressivo e o Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC), é realizado com o uso de medicamentos e terapia.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 91, em 28/6/2016. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Anúncios

Sobre Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo
A Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP) é uma instituição de ensino superior com mais de 50 anos de atividades. Tem como mantenedora a Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho, que também incentiva a realização ou a participação em pesquisas nos âmbitos científico e técnico e estimula, pela promoção ou participação, estudos nas áreas médica, sanitária e social. Oferece cursos de graduação em Medicina, Enfermagem e Fonoaudiologia; graduação tecnológica em Radiologia e em Sistemas Biomédicos, além de diversos cursos de pós-graduação (especialização lato sensu, mestrado ou doutorado) e pós-doutorado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: