Sistemas Biomédicos: saiba por que seguir essa carreira

homero-melo-fcmscsp

Dr. Homero Melo, diretor dos cursos de Graduação em Tecnologia da FCMSCSP

Para esclarecer os pontos mais comuns sobre a carreira de Sistemas Biomédicos, confira esta entrevista com o Dr. Homero Melo, diretor dos cursos de Graduação em Tecnologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

Conectar: Por que Sistemas Biomédicos hoje representa uma excelente opção de carreira?
Dr. Homero Melo: Para aquele que já está empregado, cursar Sistemas Biomédicos na FCMSCSP é uma forma de se manter – estrategicamente falando – ativo no ambiente hospitalar, abrindo novas possibilidades dentro da aplicação da engenharia e da tecnologia na área da saúde. Já para aquele profissional que não está no mercado, é uma forma de redirecionamento da carreira, abrindo-se uma nova oportunidade de campo de trabalho, agregando valor à sua primeira formação. Vale ressaltar também que os cursos de tecnologia têm duração menor, o que possibilita uma inserção rápida no mercado de trabalho, se comparados aos cursos de bacharelado. Esse é um ponto muito importante.

Conectar: O que está ligado à atividade deste profissional?
Dr. Homero Melo: Sistemas Biomédicos envolve toda a área de engenharia e tecnologia aplicada à saúde. Hoje, os profissionais que compõem a equipe de engenharia clínica fazem parte de um contexto multiprofissional, que envolve não só o aspecto da engenharia, mas também da área técnica e tecnológica. O tecnólogo em Sistemas Biomédicos está vinculado justamente a esse nicho do mercado. Todo hospital tem equipamentos que precisam ser devidamente instalados, gerenciados e ter a manutenção realizada regularmente. Por conta disso, precisa de um profissional dedicado a essa área. O tecnólogo em Sistemas Biomédicos é esse profissional.

Conectar: Não ter facilidade com cálculo deve ser uma preocupação para aqueles que têm interesse no curso de Sistemas Biomédicos?
Dr. Homero Melo: O curso de Graduação Tecnológica em Sistemas Biomédicos, por se tratar de um curso multidisciplinar, envolve a área de exatas e a área da saúde. Dentro de nossa matriz curricular, possuímos disciplinas ligadas à área da engenharia e à área de biológicas. Existem sim disciplinas de cálculo, de física. No entanto, elas não têm o mesmo grau de aprofundamento como em um curso de Engenharia, por exemplo. As esferas de atuação são diferentes. Portanto, essa não deve ser uma preocupação por parte dos alunos interessados no curso.

Conectar: Porque é preciso usar cálculo para trabalhar nessa área?
Dr. Homero Melo: O tecnólogo em Sistemas Biomédicos precisa lidar com a parte computacional, de calibração, projetos e dimensionamento de equipamentos. É muito importante que ele desenvolva a habilidade numérica. Esse profissional entra no Conselho Regional de Engenharia Arquitetura e Agronomia (Crea), por isso ele precisa ter essa vivência com cálculo, saber lidar com computadores, com números, com medidas. Isso porque, além da parte de cálculo de física, também existem disciplinas de calibração, metrologia, controle de qualidade.

Conectar: Como o mercado enxerga o profissional de Sistemas Biomédicos?
Dr. Homero Melo: Ao todo, com a FCMSCSP, 8 instituições oferecem este curso no Brasil, embora ele exista há 20 anos no país. Esse ainda é um programa de graduação tecnológica pouco conhecido. Muitas vezes, por não existirem tantos tecnólogos em Sistemas Biomédicos no mercado, os departamentos de engenharia clínica dos hospitais se valem de outras formações para compor uma equipe. É comum que uma equipe como essa seja formada por profissionais de outras áreas, como engenheiros elétricos, eletrônicos, de computação, civis, arquitetos, físicos, técnicos em equipamentos médicos, que se adaptam à área hospitalar. O tecnólogo em Sistemas Biomédicos, por sua vez, já é um profissional direcionado para essa área.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 93, em 26/7/2016. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Fobia social: como identificá-la?

ricardo-uchida-fcmscsp

Dr. Ricardo Uchida, psiquiatra e professor assistente da FCMSCSP

Ser tímido pode ser considerado, em muitos casos, algo normal. No entanto, quando a timidez tem impacto negativo na vida social ou profissional de um indivíduo, um diagnóstico de Transtorno de Ansiedade Social – o medo de situações sociais – deve ser levado em consideração. O indivíduo que sofre do transtorno, também chamado de fobia social, tem medo de ser exposto e julgado negativamente por outras pessoas. Os sintomas físicos mais frequentes são rubor, sudorese e boca seca.

De acordo com Ricardo Uchida, psiquiatra e professor assistente da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, uma pessoa diagnosticada com fobia social não tem apenas medo ou receio de exposição social, já que em algum momento da vida, qualquer um de nós pode passar por isso. Para ele, quando o caso é muito grave, a pessoa passa a evitar essas situações: “O indivíduo evita conversar com estranhos, procurar emprego, ter discussões ou conversas importantes com outras pessoas. Às vezes, até consegue fazer essas atividades, só que com muito sofrimento, o que causa muito prejuízo”, explica.

Existem dois tipos de ansiedade social: a simples e a generalizada. A ansiedade simples é caracterizada por, basicamente, receio de falar em público. Esse é o tipo mais comum de ansiedade social. A ansiedade generalizada, por sua vez, é menos freqüente, mas causa muito mais prejuízo para a saúde do indivíduo. “No tipo generalizado, você não tem só medo de falar em público, esse medo de exposição social vai abrangendo várias outras áreas da vida da pessoa e muitas outras situações. Esse tipo de medo causa uma desmoralização crônica, frequentemente o indivíduo fracassa em interações sociais, o que o deixa desmoralizado, pouco confiante em si mesmo, o que o leva ao isolamento social, ao prejuízo vocacional e muitas comorbidades como depressão e abuso de álcool”, conta o psiquiatra.

Segundo o Dr. Uchida, o início mais freqüente do transtorno da ansiedade social é no começo da adolescência. É uma tendência, nessa época, que alguns adolescentes se tornem mais tímidos e que isso possa evoluir para um diagnóstico de fobia social. “Na maioria das vezes, o caso é de evolução insidiosa; ela começa leve e aumenta progressivamente conforme a pessoa acumula experiências negativas em relação à timidez”, afirma. Além disso, a incidência é semelhante em homens e mulheres e estima-se que, durante toda a vida, a chance de uma pessoa desenvolver o Transtorno de Ansiedade Social é de 13%.

Para o tratamento do transtorno, o psiquiatra explica que pode ser feito com uso de medicamentos, mas que esse tipo de tratamento não acaba totalmente com os sintomas. Por isso, o mais indicado é unir a terapia ao uso de medicamentos. “A terapia tem uma vantagem muito grande em relação à medicação, porque quando é interrompida, o ganho é em longo prazo, enquanto o paciente que é apenas medicado, volta a apresentar os sintomas da fobia social”, finaliza.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 93, em 26/7/2016. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Curso de Atualização em Pré-Cálculo: inscrições prorrogadas até 4/8

pre_calculo_2016_2_prorrogado_4-8_facebookForam prorrogadas até dia 4/8, quinta-feira, as inscrições para o curso de Atualização em Pré-Cálculo da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Direcionado a estudantes ou profissionais das áreas de Engenharia e Tecnologia e demais interessados no tema, o programa tem como objetivo desenvolver os conceitos básicos de matemática relacionados ao cálculo diferencial e integral.

Inscreva-se  pelo Portal FCMSCSP, na página do curso de Atualização em Pré-Cálculo.

​​2º curso de Hérnias Complexas da Parede Abdominal

curso-hernias-fcmscspO Grupo de Parede Abdominal do Departamento de Cirurgia da ISCMSP, com a colaboração do Departamento de Morfologia da FCMSCSP, realizou no dia 8/7, sexta-feira, o 2º curso de Hérnias Complexas da Parede Abdominal, que destinou-se ao ensino das técnicas de separação de componentes, com o apoio da empresa Bard.

O curso ofereceu aulas teóricas, apresentação de casos pregressos e discussão de casos a serem operados durante o curso pelos docentes do Departamento de Cirurgia, com participação dos alunos em campo cirúrgico e a fundamental atividade prática da revisão da anatomia topográfica da parede abdominal no Laboratório de Anatomia do Departamento de Morfologia da FCMSCSP.

 

Dr. Charles Schmidt, professor da FCMSCSP, lança programa em parceria com a University of California

Dr_Charles_Schmidt

Dr. Charles Schmidt, professor da FCMSCSP

O Dr. Charles Schmidt, professor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, desenvolveu o Programa de Liderança e Gestão para Médicos, em parceria com a University of California, Irvine.

O programa, que acontece nos Estados Unidos, tem como objetivo proporcionar extensão qualificada de conhecimento acadêmico e profissional e uma visão aprofundada da profissão nos EUA contextualizada a partir de um ambiente médico privilegiado, que destaca aspectos únicos da gestão para o profissional da saúde.

Para mais informações, acesse o site oficial do Programa.

8º Encontro de Ética em Enfermagem da FCMSCSP

peça_faceO curso de Graduação em Enfermagem da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo realiza no dia 27 de agosto, sábado, das 7h30 às 13h, a 8ª edição do Encontro de Ética em Enfermagem.

Discutindo o tema “Comunicação, Humanização e Tecnologia na Assistência de Enfermagem”, o evento é destinado a estudantes e profissionais da área de saúde, tem inscrições gratuitas que devem ser realizadas no local.

O encontro acontece no Complexo Zeferino Veloso – Sala 3 – Auditório Walter Scatolini: Rua Dr. Cesário Motta Jr., 112 – Vila Buarque – São Paulo (SP).

FCMSCSP promove o 5º Simpósio Acadêmico Nipo-Brasileiro

peca_blogNo dia 4 de agosto, quinta-feira, das 12h às 13h40, a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, em parceria com a Keio University – School of Medicine, de Tóquio, Japão, realizará o 5º Simpósio Acadêmico Nipo-Brasileiro da FCMSCSP, nos auditórios Prof. Dr. Emilio Athié e Prof. Dr. Paulo Augusto Ayrosa Galvão, da Instituição.

O evento tem como objetivo promover o encontro e a integração dos alunos de ambas as faculdades para discutirem as causas de determinados problemas tanto no Brasil como no Japão. As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas no local do evento.

Veja a programação do 5º Simpósio Nipo-Brasileiro da FCMSCSP

Serviço:
5º Simpósio Nipo-Brasileiro da FCMSCSP
Data: 4 de agosto, quinta-feira
Horário: das 12h às 13h40
Local: Rua Dr. Cesário Motta Júnior, 112 – auditórios Prof. Dr. Emilio Athié e Prof. Dr. Paulo Augusto Ayrosa Galvão.