“A Santa Casa sempre foi a minha casa”

Dr.-Arthur-Tykocinski

Dr. Arthur Tykocinski

Conheça a trajetória de Arthur Tykocinski, ex-Santa do curso de Graduação em Medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Formado em 1989, Arthur é dermatologista e o primeiro médico não norte-americano eleito a presidir a tesouraria da International Society of Hair Restoration Surgery – ISHRS, associação internacional sem fins lucrativos que é referência no tratamento de queda e transplante capilar.

Conectar: Como foi sua experiência como aluno da FCMSCSP?
Dr. Arthur:  Vivi imerso por anos na Santa Casa, foi uma experiência incrível. Os amigos e a dinâmica são espetaculares. Todo mundo que passou pelo curso de Graduação na FCMSCSP tem um carinho especial porque é incrível o que se aprende. É uma lição de vida em todos os sentidos.  Fiz um ano de residência em Clínica Médica e dois anos de Dermatologia na Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Continuei por três anos como voluntário na parte de cirurgia dermatológica com o Prof. Dr. Marcus Antonio Maia de Oliva Ferreira.  

Conectar: Por que optou pelo curso de Graduação em Medicina?
Dr. Arthur: O curioso é que antes de sonhar em fazer Medicina, eu pensava em ser fotógrafo. Desde os 13 anos, eu revelava filmes em casa, mas não tive muito incentivo e talvez ainda não tivesse percebido o meu lado meio nerd, meio cientista.  Optar por Medicina foi uma escolha mais ou menos por exclusão: não era bom em matemática, embora fosse em química, física e biologia, entendia que a área médica tinha um campo mais aberto e misturava tudo isso.

Conectar: Como decidiu que faria na FCMSCSP?
Dr. Arthur: A Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo era uma escolha óbvia. Meus pais tinham a impressão de que era um local incrível. Na época, prestei USP e FCMSCSP. A Santa Casa estava localizada no bairro onde eu morava e, depois de matriculado, eu me mudei para uma quadra de distância da Faculdade. Eu praticamente estava em casa, então, a Santa Casa sempre foi a minha casa.

Conectar: Quando você decidiu que a sua área de especialização seria a dermatológica?
Dr. Arthur: Nunca pensei em ser cirurgião, achava que era uma coisa muito técnica, mas acabei virando cirurgião, pois eu adorei quando passei pela cirurgia, no 5º ano do curso. Quando passei na Cirurgia Geral da Santa Casa de São Paulo eu pensei em fazer, mas como eu também gostava da área de estética acabei mudando e fui para Dermatologia, pois gostava da parte de pele. Como a Dermatologia acabava misturando clínica com cirurgia, achei que era um balanço das coisas que eu gostava de fazer.

Conectar: Quais dicas você daria para quem deseja cursar Medicina?
Dr. Arthur: Olha, vou cair no clichê: vai ser necessário estudar muito e a vida inteira. Você vai ter uma profissão fascinante, mas que vai demandar muito de seu tempo sempre. Você vai ter que se envolver com o paciente, pois Medicina são as pessoas, isso é a base. Outro ponto é que a responsabilidade também é muito grande, temos pessoas em nossas mãos. Embora sejamos humanos e infelizmente falhamos, precisamos ter uma tremenda vontade de não errar e de fazer de tudo para acertar sempre. A Medicina começa ao saber se relacionar, você precisa estabelecer uma relação com os pacientes, precisa saber ouvi-lo, pois se você não conseguir estabelecer uma conexão não irá ter uma relação médico e paciente como deve ser. Medicina é vida, você precisa entender e ter experiência de vida, quanto mais você tiver isso, melhor médico será.

Conectar: Quais são os desafios que enfrenta atualmente na carreira?
Dr. Arthur: Hoje, vivo um desafio relacionado à revolução tecnológica com a cirurgia robótica no transplante capilar. Acabei comprando um robô, ele é uma ferramenta válida, porém ainda não está no nível da qualidade do ser humano. Quem sabe com o tempo? Eu queria conhecer e ver de perto tudo isso.

Conectar: Atualmente, qual é a sua relação com a FCMSCSP?
Dr. Arthur: Meu vínculo com a Faculdade se dá pela relação com os pacientes, professores, colegas da Dermatologia e até de outras áreas. Como trabalho muito tempo no consultório, meus transplantes demoram cerca de 8 horas, somado à rotina de atendimento, acabo trabalhando 12 ou 14 horas por dia, tenho pouca mobilidade. Gostaria de participar mais da vida acadêmica da Faculdade porque tenho muito carinho e uma lembrança muito especial.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 77, em 4/11/2015. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Anúncios

Sobre Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo
A Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP) é uma instituição de ensino superior com mais de 50 anos de atividades. Tem como mantenedora a Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho, que também incentiva a realização ou a participação em pesquisas nos âmbitos científico e técnico e estimula, pela promoção ou participação, estudos nas áreas médica, sanitária e social. Oferece cursos de graduação em Medicina, Enfermagem e Fonoaudiologia; graduação tecnológica em Radiologia e em Sistemas Biomédicos, além de diversos cursos de pós-graduação (especialização lato sensu, mestrado ou doutorado) e pós-doutorado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: