Aluna do curso de Graduação em Medicina da FCMSCSP conquista bolsa para realização de pesquisa

Dra.-Fabiana-Henriques-Machado-de-Melo

Dra. Fabiana Henriques Machado de Melo, professora da FCMSCSP e orientadora do trabalho

Dedicar-se à pesquisa não é uma tarefa fácil​; são necessários interesse, empenho e muito estudo. Foi assim que Lívia Tomazin Maebuti, aluna do 2º ano do curso de Graduação em Medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, conseguiu, já no início de sua vida universitária, uma bolsa pela F​​undação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo​ (Fapesp)​ com o projeto: “Avaliação de marcadores epigenéticos em nevos melanocíticos e no melanoma acral lentiginoso localizados na região acral”.

“Para o desenvolvimento de uma pesquisa deve haver comprometimento, ainda mais pelo fato de que a carga horária exige bastante dos alunos de Medicina. Mas a Lívia é superdedicada, escreve bem e eu tenho o maior orgulho dela. Esse projeto, inclusive, é original​. Não há nada na literatura sobre o assunto”, ressalta a Dra. Fabiana Henriques Machado de Melo, professora do Departamento de Ciências Fisiológicas da FCMSCSP e orientadora do trabalho.

De acordo com a Dra. Fabiana, o trabalho surgiu após receber o aconselhamento do Prof. Dr. Osmar Monte, vice-diretor da FCMSCSP,  para conversar com o Dr. Marcus Antonio Maia de Oliva Ferreira, dermatologista e professor da FCMSCSP. “Tenho um aluno de Mestrado e fui conversar com o Dr. Marcus para fazer uma colaboração e fiquei sabendo que ele queria ​realizar um trabalho sobre melanoma acral lentiginoso”, explica a Dra. Fabiana.

Lívia-Tomazin-Maebuti

Lívia Tomazin Maebuti

A partir daí, a professora apresentou a ideia aos alunos de Iniciação Científica da FCMSCSP, que se dispuseram a desenvolver a pesquisa: “A Lívia é a autora e o Gabriel Roberti de Oliveira, também aluno do 2º ano do curso de Graduação em Medicina, é colaborador nesse trabalho. Ao buscarmos na literatura algo sobre o melanoma acral lentiginoso, notamos que há trabalhos relatando a existência de mutações em genes ​– alteração genética associada ao desenvolvimento do melanoma ​– importante para o controle do ciclo celular, porém os resultados não são conclusivos”, esclarece.

Como no Pós-doutorado a Dra. Fabiana estudou o papel dos mecanismos epigenéticos no desenvolvimento do melanoma, notou ali uma oportunidade, pois em vários tumores, inclusive no melanoma, já foram descritas inúmeras alterações genéticas ou mutações que estão associadas ao seu desenvolvimento. E não há nada, de acordo com a professora, que relacione a ocorrência de modificações epigenéticas e o desenvolvimento do melanoma acral lentiginoso.

O que é melanoma
É um tipo de câncer que aparece na pele, no couro cabeludo e, no caso do superficial, acomete pessoas de pele clara e está associado à exposição à luz ultravioleta. A diferença é que o melanoma acral lentiginoso ocorre em regiões que não estão expostas ao sol, como a palma da mão e a planta do pé. “Ele é um tipo mais raro, mas é um câncer de pele agressivo, causa metástase e mata”, explica a Dra. Fabiana.

Além de conquistar a bolsa Fapesp, Lívia Tomazin Maebuti obteve uma verba da Sociedade Brasileira de Dermatologia a fim de financiar o material necessário para a realização do projeto. ​A futura médica conta que já vinha procurando algo que estivesse relacionado a câncer. “Gosto muito do que faço​; então para mim é por prazer mesmo. Não acho que teria feito tudo o que fiz se não tivesse o apoio da professora Fabiana, que estava ali para tudo que eu precisasse, assim como os outros professores também. Aliás, aqui na Faculdade há muitos pesquisadores renomados e sempre todos muito acessíveis, o que me inspira bastante”, agradece a estudante.

A pesquisa prevê resultados de estudos sobre cinco casos de nevos e cinco de melanomas acrais. “​Há muita coisa que contribui para o desenvolvimento do câncer​. Vamos ter de colher dados como a idade​ e a ocupação do paciente e tomar cuidado com os parâmetros para não perdermos resultados. A bolsa da Lívia é de um ano, renovável. ​Esperamos que​,​ dentro desse período​,​ tenhamos muitos pacientes, já que o hospital da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo recebe pessoas vindas de diversos lugares para atendimento, em que pode haver um grande número de casos de melanoma​”, finaliza a professora.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 76, em 21/10/2015. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Anúncios

Sobre Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo
A Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP) é uma instituição de ensino superior com mais de 50 anos de atividades. Tem como mantenedora a Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho, que também incentiva a realização ou a participação em pesquisas nos âmbitos científico e técnico e estimula, pela promoção ou participação, estudos nas áreas médica, sanitária e social. Oferece cursos de graduação em Medicina, Enfermagem e Fonoaudiologia; graduação tecnológica em Radiologia e em Sistemas Biomédicos, além de diversos cursos de pós-graduação (especialização lato sensu, mestrado ou doutorado) e pós-doutorado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: