13ª Edição da Jornada Acadêmica do Curso de Fonoaudiologia da FCMSCSP recebe trabalhos até o dia 1º/8

Jornada-AcadêmicaEntre os dias 9 e 11 de setembro de 2015, a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo realiza a 13ª Jornada Acadêmica do Curso de Fonoaudiologia e o 2º Encontro do Mestrado Profissional de Saúde da Comunicação Humana da FCMSCSP.

O evento, organizado em torno de palestras, oficinas e mesas-redondas, tratará de temáticas relacionadas à linguagem e envelhecimento; o uso da voz na dramaturgia; a atuação fonoaudiológica na neonatologia; a Fonoaudiologia nos processos cicatriciais; empregabilidade na Saude Coletiva, entre outras abordagens para temas pertinentes aos alunos de graduação, pós-graduação e profissionais da área. Também será realizada uma videoconferência internacional com o Dr. Adrián Fuente, da Universidad de Chile.

Serão realizadas quatro oficinas, sob coordenação de professores do curso de Fonoaudiologia da FCMSCSP e ministradas por especialistas: oficina “Avaliação e reabilitação no zumbido”, sob coordenação do Dr. Paulo Eduardo Damasceno Melo; oficina “Libras on-line”, ministrada pelas professoras Sylvia Lia Grespan Neves e Guadalupe Marcondes de Moura; oficina “Tecnologias assistivas na reabilitação da audição”, coordenada pela Dra. Margarita Aparecida Bernal Wieselberg; além da oficina “Sua carreira em suas próprias mãos”, coordenada pela Dra. Alessandra Spada Durante.

Até o dia 1º/8, sábado, está aberta a submissão de resumos para a Jornada. Os trabalhos aprovados serão publicados em suplemento da Revista Arquivos Médicos dos Hospitais e da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

Para conferir as normas para envio dos resumos, programação completa e informações sobre inscrição, acesse: www.fcmsantacasasp.edu.br.

 

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 70, em 28/7/2015. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Enfermagem Clínica e Cirúrgica: para se destacar entre os profissionais mais requisitados do país

Prof.ª-Luciana-Gonzaga-dos-Santos-Cardoso

Prof.ª Luciana Gonzaga dos Santos Cardoso

Seria a Enfermagem a profissão da área de saúde mais demandada pelo mercado? Se você respondeu sim, acertou. Pelo menos é o que aponta o levantamento do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)  de 2013, no qual revela que, de 2009 a 2012, dos 304.317 postos de trabalho de nível superior abertos no Brasil, 27.282 vagas, quase 9% do total, foram para enfermeiros, ficando apenas atrás dos analistas de tecnologia da informação (TI), que lideram o ranking.

Sendo tão requisitados, há, cada vez mais, a necessidade em se especializar para se destacar no mercado de trabalho. Uma das opções disponíveis na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo é o curso de especialização em Enfermagem Clínica e Cirúrgica, que está com inscrições abertas até o dia 10 de agosto. “O objetivo do curso é aprimorar o conhecimento de enfermeiros que já atuam ou tenham interesse em atuar em unidades de internação hospitalar, com pacientes clínicos e cirúrgicos”, explica Luciana Gonzaga dos Santos Cardoso, supervisora técnica desse curso de pós-graduação na FCMSCSP.

A professora explica que, na Faculdade Santa Casa de São Paulo, o curso destaca-se pela metodologia de ensino utilizada e pela relação da Instituição com um dos maiores hospitais de ensino da cidade, a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP). As aulas teóricas são ministradas por professores mestres e doutores com sólida experiência no ensino e na assistência. Para complementar o conteúdo, são realizadas visitas técnicas periódicas em unidades de internação conforme o tema de aula, com a finalidade de aplicar e sedimentar o conteúdo discutido em sala. “Além das visitas, o curso prevê um período de estágio supervisionado nas unidades de internação clínica e cirúrgica do Hospital Central da ISCMSP, onde os alunos têm oportunidades de vivenciar situações do cotidiano de um enfermeiro que atua na área de Enfermagem Clínica e Cirúrgica, desenvolvendo habilidades técnicas,  gerenciais e discussões de casos clínicos”, completa.

Quanto ao perfil dos alunos que ingressam na especialização, Luciana afirma que são turmas heterogêneas, com enfermeiros recém-formados, sem experiência hospitalar e outros que já trabalham em unidades de internação, clínica ou cirúrgica. “Embora, pela legislação, não haja obrigatoriedade dessa especialização para que enfermeiros atuem em unidades de internação, o curso trará sempre melhores oportunidades, tanto para um primeiro emprego como para ascensão no mercado de trabalho. Se, em um processo seletivo, o especialista concorre com outro profissional sem especialização, suas chances, claro, serão maiores. Além disso, é uma área com número de vagas maior do que qualquer outra área hospitalar”, ressalta.

Os resultados para alunos e ex-alunos têm sido positivos, evidenciando a excelência do curso, outro ponto fortemente reconhecido por eles. “Há enfermeiros que, ainda durante o curso, ingressaram no mercado de trabalho e outros que obtiveram melhores oportunidades, inclusive com aprovações em concursos. Para os que se interessam por pesquisa, também há possibilidade de desenvolvimento, incluindo a inserção em grupos de pesquisa já existentes na Faculdade, com possibilidade de ingresso no Mestrado e Doutorado”, finaliza.

Confira mais informações sobre o Processo Seletivo para Enfermagem Clínica e Cirúrgica da Faculdade Santa Casa de São Paulo.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 70, em 28/7/2015. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Passar álcool em gel nas mãos ou lavá-las: o que é mais eficaz

Dr. Wagner Montor, professor do Departamento de Ciências Fisiológicas da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

Dr. Wagner Montor, professor do Departamento de Ciências Fisiológicas da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

Quantos objetos você tocou nesta última hora? Quantas vezes passou as mãos nos olhos ou na boca? Espirrou ou tossiu? É, se pararmos para analisar, são inúmeras as bactérias, vírus e fungos  com os quais podemos  entrar em contato pelo simples toque das mãos. Mas, afinal, o álcool gel limpa tanto quanto lavar as mãos?  “Do ponto de vista de eliminação de microorganismos patogênicos, sim, desde que as mãos não apresentem sujidades aparentes  que possam impedir o espalhamento e ação adequados do gel”, explica o Dr. Wagner Montor, professor do Departamento de Ciências Fisiológicas da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, que trabalhou com controle de infecções durante seu pós-doutorado nos EUA.

A adequada higienização das mãos, acrescenta o Dr. Montor, pode diminuir a transmissão de uma série de doenças, dentre as quais infecções respiratórias, como gripe, infecções intestinais, hepatites, conjuntivite e diversas enfermidades. Por isso, no dia a dia, a recomendação é lavar as mãos sempre que possível, principalmente nas situações mais óbvias: antes de manipular alimentos; comer; tocar mucosas como olhos, nariz e boca; antes e após ir ao banheiro; entre outras. “O álcool gel oferece uma comodidade extra, porque pode ser transportado em pequenos frascos em bolsas e mochilas e pode ser utilizado sem água. O problema do uso constante do álcool gel é o ressecamento das mãos e possíveis alergias a componentes da fórmula. Existem formulações glicerinadas no mercado, que evitam o ressecamento, mas havendo água e sabonete disponíveis, lavar as mãos é o ideal, com a utilização subsequente de álcool gel ou não”, indica.

Sabonete comum ou antisséptico?
Quanto a essa questão, o professor esclarece que, nas atividades diárias, lavar as mãos com água e sabonete comum costuma ser suficiente para a população geral. Para profissionais que realizam, por exemplo, procedimentos médicos e laboratoriais ou preparo de alimentos ou medicamentos, medidas específicas de higienização das mãos, podem ser adotadas, incluindo álcool gel e sabonetes antissépticos. “Sabonetes antissépticos, quando usados adequadamente, eliminam mais de 90% dos microorganismos, em testes padronizados, onde microorganismos em uma escala crescente de resistência são utilizados. Se comparados aos sabonetes comuns, apresentam composição que garante maior eliminação destes microorganismos mais resistentes e têm ainda efeito residual, deixando as mãos protegidas por mais tempo”, complementa o Dr. Montor.

Existe também outra questão relevante sobre o tema, de acordo com o professor: para alguns indivíduos, alguns sabonetes antissépticos podem causar alergia, além do que o uso frequente pode eliminar bactérias não-patogênicas que são benéficas, principalmente quando utilizados em áreas maiores, como no banho. Esta é uma questão relevante e discutida principalmente por dermatologistas.

Confira mais dicas do Dr. Wagner  Montor.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 70, em 28/7/2015. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

 

Vem aí a 2ª Jornada Nacional de Emergências Psiquiátricas

Dr. Quirino Cordeiro Jr.

Dr. Quirino Cordeiro Jr.

As emergências psiquiátricas representam, em média, de 8% a 12% das emergências gerais, segundo dados publicados em 2013 pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP).  Com base nesse quadro e diante da crise de desassistência de pacientes com queixas psiquiátricas, a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo sediará, nos dias 7 e 8 de agosto, sexta-feira e sábado, a 2ª Jornada Nacional de Emergências Psiquiátricas. O encontro é realizado pela FCMSCSP em parceria com os institutos de Psiquiatria do Hospital das Clínicas e da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), Departamento de Psiquiatria da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e da Comissão de Emergências Psiquiátricas da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP).

Sucesso de público na edição passada, o evento é destinado a médicos, enfermeiros, terapeutas ocupacionais, psicólogos, assistentes sociais e estudantes. “A Jornada é fundamental para o manejo de pacientes com transtornos mentais que podem apresentar situações de reagudização dos sintomas como agitação psicomotora, risco de suicídio, hetero ou autoagressividade e outros sinais. Casos assim se configuram em situações de emergências psiquiátricas que podem colocar em risco o paciente, pessoas e profissionais que lidam  e convivem com ele”, explica o coordenador do evento, Dr. Quirino Cordeiro Jr., professor adjunto de Psiquiatria e Psicologia da FCMSCSP. A Jornada torna-se imprescindível, na avaliação do coordenador, para a identificação de situações de risco e o manejo dessa situação para qualquer profissional da área de saúde mental.

A programação do encontro prevê um curso de treinamento em atenuação e contenção física para agitação psicomotora e quatro mesas-redondas para o debate de aspectos do atendimento, incluindo pacientes dependentes químicos e pacientes infantis e adolescentes. “Teremos palestras dos principais profissionais da área vindos de várias instituições do país. Discutiremos desde questões de políticas públicas ligadas à área, como a organização de serviços públicos, até a parte clínica: identificação, manejo das situações e dos pacientes”, acrescenta o coordenador.

O evento será realizado no Auditório Emilio Athié, na Rua Dr. Cesário Motta Jr., 112, Vila Buarque, São Paulo (SP). As inscrições podem ser feitas até o dia 31/7, sexta-feira, e o investimento é de R$ 120,00 (associados da ABP); R$ 210,00 (para não associados); e de 100 reais para estudantes e residentes (mediante apresentação de comprovante). Confira mais informações sobre a 2ª Jornada Nacional de Emergências Psiquiátricas.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 70, em 28/7/2015. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Higienização das mãos: lavá-las ou utilizar álcool em gel? Confira as dicas do Dr. Wagner Montor

como-lavar-as-maos-FCMSCSP

“A higienização das mãos para as nossas atividades diárias deve garantir a eliminação dos microorganismos de todas as suas superfícies, portanto deve-se molhá-las e aplicar uma quantidade de sabonete suficiente para ser espalhado por toda a área, incluindo a palma e o dorso, região entre os dedos, articulações, unhas e os punhos. O ideal é, após o enxágue, enxugar as mãos em papel absorvente descartável. Esse processo ao todo dura de 15 a 20 segundos”, ensina o Dr. Wagner Ricardo Montor, professor do Departamento de Ciências Fisiológicas da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

Veja o Passo a passo para higienizar as mãos de acordo com a ANVISA e confira orientações sobre o uso de álcool em gel:

  • Para um álcool ser mais eficaz na limpeza de superfícies não-biológicas, no que diz respeito a sujidades, sua concentração deve ser alta, acima de 80% ;
  • Para o contato com a pele, deve-se utilizar apenas álcool 70%. Para os profissionais que utilizam álcool 70% na pele diariamente é melhor optar por formulações em gel que incluam agentes que impedem o ressecamento, como a glicerina, por exemplo;
  • Preparar álcool 70% não significa misturar 70% de álcool e 30% de água, porque há propriedades físico-químicas específicas que promovem uma contração de volume na mistura desses dois elementos; portanto é recomendável a compra do material pronto, de fonte confiável com garantia de qualidade, ou seguir protocolos específicos para a preparação caseira;
  • A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) proibiu a comercialização de álcool líquido com gradação acima de 54ºGL (46,3 INPM), que corresponde ao álcool 54%, para evitar acidentes causadores de queimaduras e incêndios. Esse álcool 54% não é antisséptico, não eliminando os microorganismos, e não deve ser utilizado com esta finalidade. Para esse fim, deve ser utilizado o álcool gel na concentração de 70%. O álcool líquido na concentração de 54% pode ser utilizado para limpeza de sujidades mais leves, por exemplo.

Sigilo profissional é tema do 7º Encontro de Ética em Enfermagem da FCMSCSP

VII ENCONTRO DE ÉTICA EM ENFERMAGEMO curso de Graduação em Enfermagem da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo em parceria com o Grupo de Pesquisa “Ética e Humanização na Saúde” realiza, no dia 29 de agosto, sábado, das 8h às 12h, a 7ª edição do Encontro de Ética em Enfermagem.

Discutindo o tema “Sigilo Profissional”, o evento é destinado a estudantes e profissionais da área de saúde, tem inscrições gratuitas que devem ser realizadas no local.

O encontro acontece no Anfiteatro Prof. Dr. Emilio Athié: Rua Dr. Cesário Motta Jr., 112 – Vila Buarque – São Paulo (SP). 

 

Graduação em Enfermagem da FCMSCSP: o melhor curso entre as instituições particulares do Brasil

Vestibular 2015 2º semestre FCMSCSP

Estão abertas até o dia 31/7 as inscrições para o Vestibular 2015 – 2º semestre (Vagas Remanescentes) do curso de Graduação em Enfermagem da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Há vagas em Ampla Concorrência e Cota Social (Bolsa de Estudos Integral – 100%). O candidato também pode participar deste processo seletivo por meio da apresentação do boletim do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A taxa de inscrição é de 20 reais.

Reconhecimento

O programa iniciou suas atividades didático-pedagógicas em 2001 e suas bases estão fundamentadas no ser humano, tendo como foco a assistência, bem-estar, prevenção e promoção da saúde em diferentes âmbitos. Na FCMSCSP, o  curso de Graduação em Enfermagem conta com uma estrutura pedagógica alinhada às atuais transformações científicas e sociais, visando à formação de profissionais competentes para atuar no mercado de trabalho atual e encarar os desafios relacionados à saúde pública.

Desde o início, o aluno passa por uma intensa vivência prática no complexo hospitalar da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, o que proporciona plenas condições de atuação e desenvolvimento das habilidades necessárias para exercer de forma ética e humana a profissão. É o melhor curso de Graduação em Enfermagem do país, entre as instituições de ensino particulares, de acordo com o ranking de cursos da Folha RUF (Ranking Universitário de Cursos – edição 2014), com corpo docente qualificado, em sua maioria, mestres e doutores.

Saiba mais sobre o curso de Graduação em Enfermagem da Faculdade Santa Casa de São Paulo e participe deste processo seletivo.