Homens têm maior propensão ao daltonismo do que mulheres

img4O daltonismo é uma deficiência genética de distorção na identificação de cores. O problema, diretamente ligado ao cromossomo x, é mais frequente em homens por possuírem apenas 1 cromossomo x em sua genética, enquanto as mulheres possuem 2. A característica recessiva pode ser de 3 tipos: dificuldade de reconhecimento da cor vermelha, a mais comum; dificuldade de enxergar a cor verde; e, por último, o tipo em que o indivíduo não vê as cores azul e amarelo, mais raro.

A oftalmologista Dra. Maria Auxiliadora Monteiro Frazão, professora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, explica que a condição é resultado de uma falha nas células responsáveis pela distinção de cores, presentes na retina. “O daltonismo acontece quando há ausência de determinado pigmento nos cones (células da retina). Quando isso acontece, a pessoa fica impossibilitada de enxergar alguma cor ou a vê em tons distorcidos”, afirma.

Geralmente reconhecida ainda na fase infantil por pais ou professores, a condição tem maior probabilidade de ocorrer caso o indivíduo tenha familiares daltônicos. A professora ressalta que o daltonismo não pode ser desenvolvido em virtude do envelhecimento. “Por ser uma característica genética, o daltonismo não pode ser adquirido durante a vida, porém, com o envelhecimento natural do organismo, é possível que algumas pessoas passem a ter dificuldade na distinção das cores. As variações são semelhantes, mas não classificamos essas pessoas como daltônicas”, comenta.

Para o diagnóstico, são feitas algumas observações pelo profissional de oftalmologia. “Verificamos o histórico do paciente, se ele possui algum familiar daltônico e fazemos perguntas como: há quanto tempo percebeu essa dificuldade? É frequente? Assim, temos a certeza que é uma condição e não alguma alteração visual consequente de outro problema. Depois disso, o paciente é submetido ao teste Ishihara, em que ele precisa identificar números em diversos pontos coloridos. Se ele apresentar dificuldade em alguma ocasião, detecta-se o daltonismo”, explica.

O cotidiano dos daltônicos pode ser mais difícil em algumas situações. Por essa razão, a Dra. Frazão afirma que eles podem ter dificuldades ao optar por profissões que exijam mais da visão, como pilotos e designers, por exemplo.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 63, em 22/4/2015. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Anúncios

Sobre Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo
A Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP) é uma instituição de ensino superior com mais de 50 anos de atividades. Tem como mantenedora a Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho, que também incentiva a realização ou a participação em pesquisas nos âmbitos científico e técnico e estimula, pela promoção ou participação, estudos nas áreas médica, sanitária e social. Oferece cursos de graduação em Medicina, Enfermagem e Fonoaudiologia; graduação tecnológica em Radiologia e em Sistemas Biomédicos, além de diversos cursos de pós-graduação (especialização lato sensu, mestrado ou doutorado) e pós-doutorado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: