Professora da FCMSCSP obtém reconhecimento internacional

Dra. Maria Thereza Gamberini, professora do Departamento de Ciências Fisiológicas da FCMSCSP

Dra. Maria Thereza Gamberini, professora do Departamento de Ciências Fisiológicas da FCMSCSP

A Dra. Maria Thereza Gamberini, professora do Departamento de Ciências Fisiológicas da FCMSCSP, foi convidada a proferir palestras em congressos nos Estados Unidos e na China, como resultado do desenvolvimento de suas pesquisas com plantas medicinais. Seu trabalho, inclusive, gerou as recentes publicações:

    • “Involvement of dopaminergic and cholinergic pathways in the induction of yawning and genital grooming by the aqueous extract of Saccharum officinarum L. (sugarcane) in rats “, publicado na revista Neuroscience Letters; e
    • “Effects of the aqueous extract from seeds of Pimpinella anisum L. on exploratory activity and emotional behavior of the rats by using the open field and elevated plus-maze tests.”, publicado no Journal of Ethnopharmacology.

Em agosto, será realizado o 9th American Biotechnology Congress, na Flórida (EUA); em outubro, o Global Summit on Herbals and Natural Remedies (Herbals Summit-2015), em Chicago (EUA); e também em outubro, o 13th Annual Congress of International Drug Discovery Science & Technology, Therapy and EXPO-2015 (IDDST-2015), em Pequim (China).

Mestrado Profissional em Saúde da Comunicação Humana da FCMSCSP: a primeira defesa

Aconteceu na manhã desta sexta-feira, dia 17/4, a primeira defesa do Mestrado Profissional em Saúde da Comunicação Humana da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, um programa de pós-graduação stricto sensu coordenado pela Dra. Katia de Almeida.
 
“Recomendações para publicação científica em Saúde da Comunicação Humana”, sob a orientação da Dra. Ana Luiza Navas, foi o tema da dissertação apresentada pela aluna Érica de Cássia Ferraz.
 
Participaram da banca o Dr. Osmar Mesquita de Sousa Neto, professor adjunto de Otorrinolaringologia do curso de Graduação em Medicina da FCMSCSP, a Dra. Juliana Perina Gândara, professora do HCFMUSP, e a orientadora, Dra. Ana Luiza, também diretora do curso de Graduação em Fonoaudiologia da FCMSCSP.
 
O Mestrado Profissional em Saúde da Comunicação Humana tem como principais objetivos preparar profissionais de saúde para a utilização da investigação científica como ferramenta no aprimoramento do trabalho e qualificá-los para desenvolver e conhecer métodos e técnicas inovadoras com aplicabilidade em equipamentos de saúde, na perspectiva da prevenção e tratamento nas áreas que envolvam a comunicação humana.
 
Conheça mais sobre o programa: confira aqui.
Érica de Cássia Ferraz e Dra. Ana Luiza Navas

Érica de Cássia Ferraz e Dra. Ana Luiza Navas

Doação de sangue e de medula óssea

Alunos do curso de Graduação em Medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, com o apoio do IFMSA Brazil, realizaram no dia 15 de abril uma campanha para doação de sangue de medula óssea. A iniciativa, promovida no Hemocentro da Santa Casa de São Paulo,  envolveu estudantes do 2º ao 6º ano e foi mais uma das ações em celebração à passagem do Dia Mundial da Saúde.

Alunos do curso de Graduação em Medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

Alunos do curso de Graduação em Medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

 

Dia Mundial da Voz na FCMSCSP

Dezesseis de abril, que representa o Dia Mundial da Voz, foi comemorado com uma apresentação especial do Coral da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Confira os registros desse momento na Fanpage da Faculdade no Facebook: confira neste link.

DiaMundialVoz_16042015_FCMSCSP_

Dra. Marta Assumpção de Andrada e Silva, professora do curso de  Graduação em Fonoaudiologia da  FCMSCSP

Dra. Marta Assumpção de Andrada e Silva, professora do curso de Graduação em Fonoaudiologia da FCMSCSP


Saúde vocal

Embora você já deva saber por que é importante cuidar da saúde vocal, conheça mais detalhes sobre o tema nesta entrevista com a Dra. Marta Assumpção de Andrada e Silva, professora da área de voz do curso de Graduação em Fonoaudiologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

Confira neste link.

A Terapêutica e suas bases na Psicopatologia Fenomenológica

Imagem blog -Com o objetivo de refletir sobre casos clínicos complexos em saúde mental, no dia 30 de maio, sábado, das 9h30 às 16h15, a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo em parceria com a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo promove o curso “O Tratamento dos Casos Complexos em Saúde Mental: a Terapêutica e suas bases na Psicopatologia Fenomenológica”.

Destinado aos profissionais da área de saúde, educação e rede pública, além de interessados no tema, o curso aborda, a partir de análise psicopatológica acurada,  temas como: Casos de condução complexa; Novas Terapêuticas; Psicoses na dependência química e outros.

Local: Rua Major Maragliano, 241, Vila Mariana – São Paulo – SP.

Programação:

9h30 – 10h               Abertura

Prof. Dr. Quirino Cordeiro Jr. (FCMSCSP)

Prof. Dr. Guilherme Messas (FCMSCSP)

10h – 10h30             Condução de casos complexos no CAISM da Santa Casa

Prof. Dr. Quirino Cordeiro Jr. (FCMSCSP)

10h30 – 11h             As psicoses na dependência química

Prof. Dr. Guilherme Messas (FCMSCSP)

11h – 11h30             Os casos complexos em saúde mental infantil

Daniela Ceron-Litvoc (Mestra pela Unifesp)

11h30 – 12h             Debate e perguntas

12h – 14h                 Intervalo

14h – 14h30             Articulação da rede pública de saúde mental na clínica dos casos complexos

Ana Maria Thomé (Coordenadora de Saúde Mental de Jundiaí)

14h30 – 15h             Como pensar uma clínica que atenda às demandas dos usuários que não aderem aos serviços de saúde mental?

Laura Vitucci (Especialista pela FSP-USP)

15h – 15h30             Os casos de condução complexa no Hospital Geral

Leonardo Peroni de Jesus (Psiquiatra do Instituto de Psiquiatria do HC-FMUSP)

15h30 – 16h             Avaliação da sintonia social e a experiência do Eu no processo de inserção dos pacientes no Caps

Julio Cesar Menéndez Acurio (Psiquiatra do CAISM)

16h – 16h15             Encerramento

Coordenação:
Prof. Dr.  Guilherme Messas (Coordenador do curso de Esp. em Psicopatologia Fenomenológica da FCMSCSP)

Prof. Dr. Quirino Cordeiro Jr. (Chefe do Depto. de Psiquiatria da FCMSCSP)

Investimento:

  • Profissionais da Rede Pública, Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e alunos da FCMSCSP: R$ 120,00
  • Demais participantes: R$ 150,00

Inscrições e mais informações: www.fcmsantacasasp.edu.br

 

Queda de idosos: traumas podem acarretar lesões com graves consequências à saúde

Prof. Dr. Osmar Pedro Arbix de Camargo, professor adjunto do  Departamento de Ortopedia e Traumatologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

Prof. Dr. Osmar Pedro Arbix de Camargo, professor adjunto do Departamento de Ortopedia e Traumatologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

Com alto índice de ocorrências, as quedas acidentais de pessoas idosas são mais frequentes do que em outras faixas etárias. A ocorrência de queda se intensifica, em média, em torno dos 60 anos de idade, quando começa a ocorrer uma perda mais acentuada da massa muscular, redução das atividades físicas no trabalho e no esporte, além do enfraquecimento dos ossos (osteoporose). É mais frequente em mulheres, pelo declínio hormonal,  com a chegada da menopausa.

“Com o tempo, o organismo tem uma desaceleração nas suas atividades,  perda da agilidade e dos reflexos de defesa diante de uma queda eminente, que se associam a afecções que fragilizam o idoso, como alterações visuais, equilíbrio e a falta de atenção ao ambiente que o cerca”, afirma o Dr. Osmar Pedro Arbix de Camargo, professor adjunto do  Departamento de Ortopedia e Traumatologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

Entre as principais regiões lesionadas pelas quedas acidentais em idosos, destacam-se as fraturas na região do quadril, atingindo principalmente o fêmur, que necessita de um tratamento cirúrgico para  fixação interna do osso, para que o paciente possa se sentar e caminhar precocemente.  A permanência no leito por período prolongado pode provocar complicações respiratórias, cardíacas, escaras de pressão (lesões na pele), aumentado o risco de evolução para óbito. “Dados estatísticos mostram que 50% de pacientes tratados de forma inadequada falecem no primeiro ano após a ocorrência da fratura. São frequentes as fraturas do punho e do ombro, que sofrem o primeiro impacto contra o solo durante uma queda, devendo ser tratados adequadamente para se obter a recuperação dos movimentos nos membros superiores, essenciais para as atividades diárias”, explica o professor.

A ocorrência de fraturas de idosos em quedas acidentais é 2  a 3 vezes mais frequente do que entre os indivíduos mais jovens, e a energia necessária para provoca-las é muito menor; assim, é imprescindível prevenir tais acidentes.
“Essa prevenção deve fazer parte de programas de manutenção da saúde e educacionais. O estado nutricional adaptado às condições de saúde individual, controle adequado dos indicadores da função dos órgãos e sistemas,  e terapias adotadas, são tarefas perfeitamente gerenciadas por meio da avaliação periódica do  médico geriatra”, explica o Dr. Osmar.

O estímulo para a prática de exercícios de musculação, alongamentos e aeróbicos, adaptados à idade, diminui os riscos de queda e traz o bem-estar que todos almejam. Programas educacionais devem mostrar os riscos que se corre durante a locomoção no escuro, em um solo irregular, em um  piso escorregadio, com tapetes sem aderência e no uso de escadas de trabalho doméstico.  “Tais programas devem ser difundidos não só pelo geriatra, como também pelos órgãos de Saúde Pública”, finaliza o professor.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 62, em 7/4/2015. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.