Faculdade Santa Casa de SP inaugura novas instalações

Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo - Novo PrédioFaculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo inaugurou na sexta-feira, dia 11 de abril, as instalações do novo prédio da Instituição. A solenidade contou com as presenças de alunos, ex-alunos, professores, colaboradores e diretores da FCMSCSP e da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo.

O evento foi realizado no complexo da Santa Casa de São Paulo, na Vila Buarque, que agora abriga o novo edifício. Ao todo, são cinco pavimentos, mais um subsolo. As áreas de Morfologia, Patologia e Ciências Fisiológicas ganham novos e modernos laboratórios, além de salas de aula e um auditório com capacidade estimada de 239 lugares.

A inauguração foi conduzida pelo provedor da Santa Casa de São Paulo, Dr. Kalil Rocha Abdalla, acompanhado do diretor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, Dr. Valdir Golin. Dentre as muitas autoridades presentes, a solenidade contou com a presença do Dr. David Uip, secretário de Estado da Saúde, representando na ocasião o governador Geraldo Alckmin.

Para conferir alguns momentos da inauguração, veja o álbum de fotos na fan page da FCMSCSP no Facebook, clicando aqui.

Doenças da pele devem ser tratadas com atenção

Rosana Lazzarini, professora de Dermatologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São PauloAs dermatoses, conjunto de doenças que acometem a pele, devem ser tratadas com a mesma prioridade dos demais problemas de saúde. Nesse contexto, valem ser ressaltadas doenças mais antigas, como hanseníase e sífilis, que não foram eliminadas na população, além do crescente aumento dos diagnósticos de câncer de pele. É o que explica Rosana Lazzarini, professora de Dermatologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

“Inúmeras dermatoses dependem mais de ações preventivas do que propriamente do tratamento. Quando este se faz necessário, diferentes medidas podem ser tomadas, desde a introdução de medicamentos até procedimentos cirúrgicos. O médico dever ser procurado sempre que alguma condição fuja ao controle do indivíduo”, diz.

De acordo com a professora, há um aumento no número de casos de sífilis, doença sexualmente transmissível que se manteve, anos atrás, em níveis estáveis. Para a especialista, a população parou de se preocupar com esse tipo de problema. “A prevenção baseia-se no conceito do sexo seguro, com uso especialmente de preservativo”, fala. Os sintomas da sífilis englobam pequenas feridas nos órgãos sexuais e caroços nas virilhas.

Outro problema grave é a hanseníase, doença infecciosa que atinge a pele e os nervos. Alguns dos sintomas são: manchas esbranquiçadas, avermelhadas ou acastanhadas, e área da pele com perda ou ausência de sensibilidade. O tratamento dura de seis a 12 meses, dependendo da forma clínica e classificação de cada caso.

“Apesar de datar dos tempos bíblicos, a hanseníase ainda persiste, com o surgimento de casos novos, em suas várias formas. Muito ainda deve ser feito para melhorar as condições de vida e educação da população para chegarmos à erradicação da doença”, afirma.

Micoses

As micoses são dermatoses infecciosas causadas por fungos de diferentes espécies e gêneros, sendo que as mais conhecidas são as formas superficiais presentes entre os dedos dos pés, no couro cabeludo (muito frequente em crianças) e na região inguinal (comum entre os homens), esclarece a professora Rosana.

“As regiões afetadas em geral tornam-se pruriginosas e apresentam algum nível de descamação. O tratamento baseia-se no uso de antifúngicos, tópicos ou sistêmicos, dependendo da extensão da área comprometida. As medidas preventivas devem passar pelos cuidados locais como: manter as áreas secas, trocar frequentemente calçados e meias, e usar roupas leves”, explica a dermatologista.

Dermatite de contato

A doença está relacionada à sensibilização do indivíduo a algum produto ou substância. De acordo com a professora, o tratamento consiste na identificação e afastamento do agente causador. “A forma mais comum é a irritativa, porém a mais exuberante é a forma alérgica. Esta última tem alguns vilões clássicos, como o níquel, presente nas bijuterias, a parafenilenodiamina, nas tinturas de cabelo, e o cromo, no cimento e no couro, entre outros”, finaliza.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 38, em 8/4/2014. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

As complexidades da questão das drogas ilícitas

Será realizado nos dias 30 e 31/5/2014, sexta-feira e sábado, o Simpósio “As complexidades da questão das drogas ilícitas”. O evento conta com a organização da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP). Conheça, a seguir, a programação e confira também como se inscrever para este evento.

Local: Anfiteatros Prof. Dr. Emilio Athié e Paulo Ayrosa A. Galvão: Rua Dr. Cesário Motta Jr. 112, Vila Buarque, São Paulo (SP)

 

Programação*

30/5, sexta-feira

19h30 – 20h:  Abertura

  • Representantes da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e da ISCMSP
  • Dr. Quirino Cordeiro Júnior e Dr. Guilherme Messas

Conferências de abertura

20h – 20h45 : Maconha e transtornos mentais – 2 séculos de observações psiquiátricas (Dr. Valentim Gentil Filho)

20h45 – 21h30: Ponderações sobre os valores contidos na questão legal da Cannabis sativa (Dr. Mauro Aranha Lima)

21h30 – 22h: Discussão e encerramento


31/5, sábado

Mesa-redonda: As políticas públicas do crack

Moderador: Dr. Guilherme Messas

9h30 – 10h15: Representante da SENAD (Leon de Souza Lobo Garcia)

10h15 – 11h: Representante da Secretaria Estadual de Saúde (Rosângela Elias, coordenadora de Saúde Mental do Estado de São Paulo)

11h – 11h45: Representante da Prefeitura Municipal de São Paulo (Myres Cavalcanti, compreensão/reflexão sobre o cuidar na cracolândia. O programa “De Braços Abertos: limites e conquistas e desafios”)

11h45 – 12h30: Discussão

Mesa-Redonda: As ciências e os cuidados relacionados ao uso de substâncias

Moderador: Dr. Quirino Cordeiro

14h – 14h45: A genética da dependência química (André Negrão)

14h45 – 15h30: A psicopatologia diferencial dos transtornos relacionados ao uso de drogas (Dr. Guilherme Messas)

15h30 – 16h15: O manejo de caso no tratamento de pacientes com dependência a drogas (Dra. Lílian Ratto)

16h15 – 17h: Discussão e encerramento

 

Inscrições: em breve, pelo site www.fcmsantacasasp.edu.br

Investimento:

  • 80 reais (participantes Internos / FCMSCSP e ISCMSP)
  • 100 reais (participantes Rede Pública)
  • 120 reais (demais participantes)

 

Pagamento das inscrições via depósito ou transferência bancária:

  • Favorecido: CEPESAM – Centro de Estudos e Pesquisa do Departamento de Saúde Mental da Santa Casa de São Paulo
  • Banco Bradesco, agência 3450, C/C 2590-9

Envie seu comprovante de depósito para:


Obs.:
 os certificados só serão disponibilizados para os participantes inscritos pelo site do evento (em breve).
*Sujeito a alterações, sem prévio aviso.

Copa do Mundo 2014: Estratégias para Catástrofes

Voltado a profissionais e estudantes da área da saúde e emergência, em 26/4/2014, sábado, das 8h30 às 13h, será realizado o encontro “Copa do Mundo 2014 – Estratégias para Catástrofes”. As inscrições estarão disponíveis a partir do dia 14/4, próxima segunda-feira, no site http://www.fcmsantacasasp.edu.br. O local do evento, previsto para ocorrer nas imediações da Santa Casa de São Paulo, será confirmado em breve.

Copa do Mundo 2014 - Estratégias para Catástrofes

Confira a programação*

Palestras

  • World Cup Mania
  • Plano de preparo da Santa Casa
  • Plano de preparo da cidade de São Paulo
  • Plano de preparo do Distrito Federal
  • Papel do Resgate no atendimento a vítimas de catástrofes em São Paulo
  • A experiência de Santa Maria (RS)
  • Preparo para atender vítimas de catástrofes
  • O papel da Telemedicina na coordenação da resposta a catástrofes

Convidados

  • Alberto Starzewski Jr. – SAMU – SP
  • Gustavo Pereira Fraga – SBAIT / Unicamp
  • José Caruso – SAMU – SP
  • Luciano Eifler – SAMU – RS
  • Ricardo Galesso – Resgate – SP
  • Roberto Stefanelli – Resgate – SP
  • Rodrigo Caselli – SAMU – DF
  • Sandro Scarpelini – SBAIT / USP-RP

Convidados internacionais

  • Antonio Carlos Marttos Jr.
  • Carlos Mesquita – Coimbra – Portugal
  • Juan Carlos Puyana – Pittsburgh – USA
  • Maurício Lynn – Miami – USA

Coordenação e organização

  • Dr. Tercio de Campos
  • Dr. José Gustavo Parreira
  • Dr. José Cesar Assef

Realização

  • Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo
  • Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo

Apoio

  • Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado (Sbait)

Investimento

  • Público interno (FCMSCSP e ISCMSP): 35 reais
  • Público externo: 50 reais
  • Membros Sbait: isento

* Sujeito a alterações, sem prévio aviso

Alergias respiratórias e alimentares são as principais observadas na população brasileira

De acordo com relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS), 35% da população brasileira sofrem com algum tipo de alergia. Dentre as doenças alérgicas predominantes no Brasil, segundo informações do Banco de Dados do Sistema Único de Saúde (Datasus), estão as respiratórias – com destaque para a asma e rinite alérgica -, além das reações a alimentos e a medicamentos.

Dra. Wilma Carvalho Neves FortePara a imunologista e professora titular da disciplina de Imunologia do departamento de Ciências Patológicas da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, Dra. Wilma Carvalho Neves Forte, alergias ou reações de hipersensibilidade são respostas imunológicas exacerbadas, que se desenvolvem após exposição a determinado antígeno (substância estranha ao organismo do indivíduo), ocorrendo em especial em pessoas geneticamente suscetíveis. “As alergias são muitas vezes subestimadas, como a rinite alérgica. Entretanto, interferem diretamente na qualidade de vida e até na sobrevida, como as respiratórias graves, alimentares, ao látex, a Hymenoptera e a medicamentos. Uma crise alérgica pode culminar em anafilaxia, com grande risco de morte”, alerta a professora.

A Dra. Wilma ainda comenta que há alergias que apresentam involução e outras não. “A alergia alimentar à proteína do leite de vaca, que se manifesta em crianças, pode desaparecer com o evoluir da idade. Já em casos de alergias a peixe, camarão e outros frutos do mar, desenvolvidas com o tempo e que surgem em adultos, excepcionalmente desaparecem”, afirma.

A imunologista fala sobre os sintomas e cuidados básicos relacionados às alergias:

• Renite alérgica: os sinais e sintomas mais frequentes são coriza, espirros sequenciais e prurido e obstrução nasal, a qual prejudica diretamente a qualidade do sono. É fundamental a retirada da causa, que geralmente são ácaros da poeira doméstica. Para tanto, devem-se evitar bichos de pelúcias em quarto e o acúmulo de panos e papéis, forrar colchão e travesseiro com material pouco poroso (tecidos apropriados ou napa), além de expor roupas ao sol. O tratamento realizado por um profissional da área médica é de suma importância para melhorar a qualidade de vida e evitar a evolução para asma.

• Asma: caracterizada principalmente por “chiado no peito” repetitivo e tosse. Quando de causa alérgica, deve ser retirado o agente causador, sendo o mais frequente o ácaro da poeira doméstica. São agravantes: tabagismo, poluição e infecções.

• Alergia alimentar e a medicamentos: pode causar urticária aguda e até anafilaxia, sendo que nesses casos, é necessário procurar o Serviço de Saúde imediatamente. O agente desencadeante deve ser excluído e substituído.

• Látex: pode se apresentar de várias formas, desde alergia localizada, até anafilaxia. Além de evitar materiais contendo látex, o tratamento depende do tipo de reação alérgica.

“Em todas as situações referidas, é importante a retirada do agente causal e a procura de orientação médica, que irá propor o tratamento mais adequado”, finaliza a Dra. Wilma.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 38, em 8/4/2014. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Jornada de Fonoaudiologia: dias 3, 4 e 5 de setembro

Jornada de Fonoaudiologia 2014 Nos dia 3, 4 e 5 de setembro de 2014, quarta, quinta e sexta-feira, das 8h às 16h, será realizada a 12ª edição da Jornada Acadêmica de Fonoaudiologia – I Encontro do Mestrado Profissional em Saúde da Comunicação Humana da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo – Da Ciência Básica à Clínica Fonoaudiológica.

 

 

Confira a programação*:

Dia 3/9/2014, quarta-feira

8h – 8h30 Abertura
Prof.ª Dra. Ana Luiza Navas

8h30 – 9h30 Conferência de abertura Da Ciência Básica à Clínica Fonoaudiológica.
Profa. Dra. Eliane Schochat

9h30 – 10h45 Mesa Redonda I – Método Therapy Taping da fisiologia a aplicação clínica
Coordenador: Prof. Dr. Paulo Melo
1. Nelson Morini Junior
2. Andrea Pereira da Silva

10h45 – 11h15 Coffee Break

11h15 – 12h45 Mesa Redonda II – Competências e habilidades para atuação interdisciplinar no SUS
Coordenadora: Prof.ª Dra. Adriana Gurgueira
1. Selma Anequine
2. Ana Cláudia Fiorini

13h – 14h Almoço

14h – 16h Oficina I – Gagueira
Profa. Dra. Daniela Zackiewicz

14h – 16h Oficina II – Disfagia – Fga. Ms. Camila Barcellos

 

Dia 4/9/2014, quinta-feira

8h – 9h45 Mesa Redonda III – Da fisiologia coclear à reabilitação com dispositivos de amplificação sonora
Coordenadora: Kátia de Almeida
1. Mauricio Kurc
2. Flavia Ribeiro
3. Cristiane Couto
9h45 – 11h Coffee Break Científico: Apresentação dos POSTERES

11h – 12h45 Mesa Redonda IV – Neurofisiologia do desenvolvimento e aquisição de língua(gem)
Coordenadora: Profa. Noemi Takiuchi
1. Carla Tieppo
2. Celia Giacheti

13h – 14h Almoço

14h -16h Oficina IV – Uso de aplicativos na terapia de linguagem –
Profa. Noemi Takiuchi e Profa. Amalia Rodrigues
14h – 16h Oficina V – Treinamento Auditivo Musical – Profa Dra. Katya Freire

Dia 5/9/2014, sexta-feira

8h – 9h Video Conferencia Internacional: Neuroimagem no tratamento das perturbações da fluência
Palestrante: Gonçalo Leal
Moderador: Prof. Paulo Melo

9h15 – 10h45 Mesa Redonda V – As contribuições da Fonoaudiologia para a educação
Coordenadora: Profa. Dra. Ana Luiza Navas
1. Patricia Calheta
2. Lucila Pastorello
3. Renata Mousinho

10h45 – 11h15 Coffee Break

11h15 – 12h45 Mesa Redonda VI – Acústica: nas perspectivas de quem projeta o espaço, de quem analisa e de quem executa
Coordenadora: Profa. Dra. Marta A. de Andrada e Silva
1. Andre Kuhl
2. Nadja Souza
3. Zuleica Camargo
12h45 Encerramento – Coral alunos e ex-alunos
Prof.ª Dra. Ana Luiza Navas

Importante:
Inscrições e demais informações em breve. Para manifestar seu interesse, envie um e-mail para eventos@fcmsantacasasp.edu.br, identificando o campo assunto como “Jornada de Fonoaudiologia 2014” e informando, no corpo da mensagem, o seu nome, e-mail e telefone.

* Sujeito a alterações, sem prévio aviso