Cinquenta anos de sucesso

Ex-alunos da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo contam suas lembranças ao longo dos 50 anos de existência da Instituição. Confira mais detalhes na reportagem “Santa Casa em cinco décadas – A 7ª melhor faculdade do País e a 1ª entre as particulares“, publicada na edição de julho de 2013, na Revista da APM.

Clique aqui.

Revista da APM

Especialidade de Neurologia: área abrangente e oportunidade para profissionais

Dr. Rubens GagliardiA Neurologia estuda os distúrbios estruturais do sistema nervoso central e periférico, apresentando os diagnósticos e tratamentos. De acordo com o Dr. Rubens Gagliardi, professor titular de Neurologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, acidente vascular cerebral (AVC), epilepsia, cefaleia, Mal de Parkinson, polineuropatias, enxaquecas, meningites, demências (como Alzheimer), entre outras, são doenças que estão incluídas na especialidade.

“O AVC é a principal causa de morte no Brasil. Problemas como o Mal de Alzheimer e os distúrbios do sono apresentam bastante ênfase no país atualmente, e são tratadas pela Neurologia”, afirma.

O professor explica que a área tem inúmeras facetas, como a emergência, intensivismo, intervensionismo, hospitalismo, registros gráficos, além dos diferentes aspectos da clínica. Dessa forma, a especialidade é apresentada de maneira bastante ampla durante o curso de Medicina.

“No terceiro ano da graduação, são dadas as noções básicas sobre os exames neurológicos. A carga horária principal é oferecida no quarto ano do curso, em que são colocadas todas as informações sobre as doenças clínicas e neurológicas. Nesse mesmo período, temos uma parte aliada à neurofisiologia, neurofarmacologia, neuroanatomia e neurocirurgia, em que são abordadas todas as patologias. No sexto ano, junto ao internato, os alunos têm as discussões sobre as doenças específicas”, descreve o Dr. Gagliardi.

Para o professor, o mercado de trabalho nessa área é bom e ainda comporta novos profissionais, visto que a área é abrangente e vasta.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 22, em 23/7/2013. Assine nossa newsletter http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Congresso da Associação Europeia de Anatomia Clínica

Entre os dias 26 e 29 de junho, a Dra. Mirna Duarte Barros e a Dra. Maria de Fátima Pereira de Carvalho participaram do European Joint Congress of Clinical Anatomy, em Lisboa, Portugal. Na oportunidade, as professoras da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo apresentaram três pôsteres:

Dra. Mirna Duarte Barros“Anatomic study of the optical radiation and its relationship in the temporal lobe: definition of a secure approach for amigdalohipocampectomy in epilepsy surgery”, com a autoria de José Carlos Esteves Veiga, Juan Antônio Castro Flores, Luiz Fernando Cannoni e Rafael Carlos da Silva (Departamento de Cirurgia / Disciplina de Neurocirurgia – FCMSCSP) e Mirna Duarte Barros (Departamento de Morfologia – FCMSCSP);

Anatomy study on hand sensitive anastomoses

“Anatomy study on hand sensitive anastomoses”, com autoria de  Antonio Carlos da Costa, Ivan Chakkour, Stefan Dias Zolin, Valdênia das Graças Nascimento e Yussef Ali Abdouni (Grupo de Cirurgia da Mão e Microcirurgia – Departamento de Ortopedia e Traumatologia da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo) e Mirna Duarte Barros  (Departamento de Morfologia – FCMSCSP); e

 Dra. Maria de Fátima Pereira de Carvalho

“Histological Comparison of scar tissue samples of rat’s skin in wound healing treatments: mitomycin Cversus Clobetasol propionate”, com autoria de Celina Siqueira Barbosa Pereira e Maria de Fátima Pereira de Carvalho (Departamento de Morfologia – FCMSCSP), Fernando Quintanilha Ribeiro (Departamento de Otorrinolaringologia – FCMSCSP) e  José Humberto G. Fregnani (Hospital do Câncer de Barretos).

Viagens longas de avião podem aumentar o risco de embolia pulmonar

 Dr. Igor Bastos Polonio, professor instrutor da disciplina de Pneumologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São PauloPermanecer sentado durante longo período no avião pode causar embolia pulmonar. De acordo com o Dr. Igor Bastos Polonio, professor instrutor da disciplina de Pneumologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, isso acontece quando uma pessoa não se movimenta por muito tempo e a circulação sanguínea das pernas fica comprometida, assim, o sangue tende a coagular.

“A embolia pulmonar é causada pela obstrução das artérias dos pulmões por coágulos que, na maior parte das vezes, se formam nas pernas e são liberados na circulação sanguínea”, afirma o especialista.

Segundo o professor, além da imobilidade prolongada, outras causas do problema são: diagnóstico de câncer, varizes, tabagismo, insuficiência cardíaca, doenças autoimunes e problemas genéticos.

Sobre os sintomas o Dr. Igor afirma: “Os principais sinais são falta de ar súbita e dor torácica”.

O tratamento da embolia pulmonar é realizado com anticoagulantes. O especialista explica que alguns hábitos reduzem o risco da doença.

“Pessoas com varizes devem procurar se consultar com um médico cirurgião vascular para evitar problemas futuros. Também é importante evitar o consumo de cigarro. Recomenda-se que, ao viajar de avião, o passageiro caminhe pela aeronave ou, em casos específicos, utilize meias elásticas ou tome anticoagulantes”, finaliza.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 22, em 23/7/2013. Assine nossa newsletter http://www.fcmsantacasasp.edu.br

Saúde: novas oportunidades de evolução da carreira

HomeroO aumento da utilização e a popularização dos exames de diagnóstico por imagem exigem profissionais altamente especializados. Porém, de acordo com o Dr. Homero Melo, diretor dos cursos de tecnologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, há uma carência de pessoas qualificadas para este segmento no mercado de trabalho, deficiência que pode resultar em diagnósticos imprecisos.

“A área de tomografia computadorizada e a ressonância magnética, assim como as demais áreas da radiologia, apresentaram grande expansão nos últimos anos. Com a atual defasagem de profissionais especialistas, todas as iniciativas que capacitem esta mão de obra serão bem-vindas, pois também abrem novas oportunidades de evolução da carreira no mercado da saúde”, afirma o Dr. Melo.

Dessa forma, a Faculdade Santa Casa de São Paulo lança a pós-graduação lato sensu em Tecnologia em Diagnóstico por Imagem Tomografia Computadorizada e Ressonância Magnética. Com duração de 12 meses, o curso é direcionado a tecnólogos em radiologia, biomédicos, médicos, médicos veterinários e demais profissionais graduados com interesse na área.

O programa fornece os princípios físicos empregados na formação das imagens e de funcionamento dos equipamentos. Além disso, a pós-graduação capacita os profissionais para orientação do paciente quanto aos procedimentos, identificação dos meios de contraste utilizados em tomografia computadorizada e ressonância magnética e suas implicações, conhecimento dos protocolos de aquisição, aplicação do processamento digital das imagens e conhecimento dos fatores que afetam a qualidade dos exames.

“Essa especialização vem com a proposta de aprimorar a qualidade dos exames, principalmente, na aplicação médica, além de facilitar o laudo e a conduta clínica”, enfatiza o Dr. Melo.

O processo seletivo será realizado por meio de análise curricular e entrevistas. As inscrições podem ser feitas pelo site da Faculdade: www.fcmsantacasasp.edu.br.

Serviço:
• Curso: Especialização lato sensu em Tecnologia em Diagnóstico por Imagem Tomografia Computadorizada e Ressonância Magnética
• Período de inscrição: de 20/6/2013 a 7/8/2013
• Processo Seletivo: 12/8/2013 a 15/8/2013
• Divulgação dos aprovados: 20/8/2013
• Período de matrícula: 21/8/2013 e 22/8/2013
• Início das aulas: 29/8/2013
• Duração do curso: 12 meses
• Investimento: 12 parcelas mensais de R$ 596,00
• Vagas: 30

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 21, em 10/7/2013. Assine nossa newsletter http://www.fcmsantacasasp.edu.br

Disciplina de endocrinologia é vasta e requer sólido conhecimento dos alunos de Medicina

Dra. Nilza ScalissiO campo de atuação do endocrinologista é bastante amplo, uma vez que os hormônios regulam quase todas as funções orgânicas do nosso corpo. De acordo com a Profª Dra. Nilza Scalissi, chefe da disciplina de endocrinologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, a área engloba praticamente todas as frentes da clínica médica, pois as doenças que envolvem as glândulas endócrinas podem levar à disfunção do organismo.

“Um exemplo importante é o hipotireoidismo em crianças, que compromete o desenvolvimento do cérebro e pode resultar em sequelas pelo resto da vida. Na fase adulta, a doença tem potencial para causar a morte, pois interfere na capacidade do corpo de manter a temperatura, principalmente, em idosos”, diz a acadêmica.

A Dra. Nilza explica que muitas pessoas acreditam que a endocrinologia trata somente da obesidade. A especialista destaca que esta é apenas uma das patologias da área, porém uma das mais frequentes.

Segundo a professora, no curso de Medicina, a disciplina requer do estudante uma sólida base de conhecimento adquirida desde o primeiro ano da graduação. “Sem esse embasamento, ele não conseguirá acompanhar a matéria que é apresentada no quarto ano. O aluno deve conhecer embriologia, anatomia e fisiologia. Em endocrinologia, terá contato especificamente com as patologias e a farmacologia”, conclui.

Aluno da graduação em Enfermagem da FCMSCSP ingressa em concorrido curso

O aluno Nelson FrancProf. Dr. Jair Guilhermeisco Correa Neto, que cursa o 7º semestre da graduação em Enfermagem da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, foi um dos selecionados para participar do 19º Curso de Inverno de Farmacologia da Faculdade de Medicina da USP.

Com duração de 15 dias, o concorrido programa tem como principal objetivo mostrar técnicas utilizadas em pesquisas. O aluno passou por uma análise curricular, na qual foram avaliados requisitos como formação, estágios, pesquisas desenvolvidas, participação em congressos e histórico escolar.

De acordo com o estudante, a Faculdade Santa Casa de São Paulo o incentivou a participar do programa, além de ter colaborado para a concretização de seu ingresso. “O curso é bastante concorrido e conceituado, e conta com a participação de candidatos do país inteiro. Com certeza, ele irá contribuir muito no desenvolvimento de minha carreira. Vou adquirir conhecimentos teóricos e práticos de temas extremamente importantes, além de conhecer profissionais de todo o Brasil e trocar inúmeras experiências”, afirma.

Atualmente, Nelson participa do grupo de iniciação científica “Potencialização do sistema endocanabinóide e a reconsolidação da memória associativa de reforço positivo induzida por etanol em camundongos”, da Faculdade Santa Casa de São Paulo.

De acordo com o Dr. Jair Guilherme dos Santos Junior, professor adjunto de Farmacologia da Instituição e coordenador do projeto, a pesquisa aborda a dependência de drogas, com testes realizados em camundongos. “A dependência pode ser considerada uma memória de longa duração que está em constante reconsolidação, o que a torna cada vez mais potente. Portanto, a inibição do processo de reconsolidação tem um grande potencial terapêutico. Nosso objetivo é interferir nesse processo através da potencialização do sistema endocanabinóide”, afirma.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 21, em 10/7/2013. Assine nossa newsletter http://www.fcmsantacasasp.edu.br

Conjuntivite alérgica pode ser causada por medicamentos de uso oral e ocular

Dra. Maria Cristina Nishiwaki DantasMuito comum durante o inverno, a conjuntivite pode não ser ocasionada apenas por vírus ou bactérias, mas também por reações alérgicas contra poeira, poluição e até medicamentos de uso ocular e oral. De acordo com a Dra. Maria Cristina Nishiwaki Dantas, professora adjunta do departamento de Oftalmologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, esse tipo da doença é classificada como infecciosa e não infecciosa. “Conjuntivite é a inflamação da conjuntiva, membrana transparente e fina que reveste a parte da frente do globo ocular e a parte posterior das pálpebras.

A forma infecciosa da doença é classificada como bacteriana ou viral, sendo a última a mais frequente entre as pessoas. “A conjuntivite viral é mais comum no verão, mas pode ocorrer em todas as épocas do ano”, afirma a Dra. Maria Cristina.

Segundo a especialista, se não tratada adequadamente, a inflamação pode até cegar o paciente. “Não é usual, porém o agravamento da conjuntivite é capaz de deixar cicatrizes na córnea e esse indivíduo pode precisar de cirurgia para recuperação visual. Não devemos tratá-la como um problema banal”, enfatiza.

Para o tratamento da conjuntivite viral, a professora indica compressa gelada e colírios lubrificantes, já a bacteriana pode ser combatida com colírios a base de antibióticos. “Os principais sintomas são olhos avermelhados, dor, fotofobia e lacrimejamento. Porém, nem todo olho vermelho é conjuntivite. O paciente deve procurar um profissional da saúde para realizar o diagnóstico correto”, explica.

Algumas ações que contribuem para evitar a conjuntivite:
– Evitar aglomerações
– Lavar as mãos com frequência
– Evitar coçar os olhos
– Usar toalhas de papel para enxugar o rosto e as mãos
– Trocar as fronhas dos travesseiros diariamente (enquanto perdurar a conjuntivite)
– Não compartilhar rímel, delineadores ou qualquer outro produto de beleza
– Não se automedicar

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 20, em 25/6/2013. Assine nossa newsletter:http://www.fcmsantacasasp.edu.br.