Especialidades Médicas: workshop marca encerramento de encontro

Jornada de Especialidades Médicas da FCMSCSPA 2ª Jornada de Especialidades Médicas da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo teve seu encerramento nesta sexta-feira, dia 14/6. Para fechar a programação, foi realizado o “Workshop do Departamento Científico Manoel de Abreu: Gestão de Carreira”, com a participação dos ex-alunos:

  • Dr. Paulo Antônio Chiavone, da Santa Casa de São Paulo e professor da FCMSCSP ;
  • Dr. Paulo Sérgio Zoppi, proprietário do SalomãoZoppi Diagnósticos; e
  • Dr. Henrique Carlos Gonçalves, coordenador do Departamento Jurídico do Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp)

O encontro, iniciado no dia 10, foi uma realização do Centro Acadêmico Manoel de Abreu, com a participação do Departamento Científico Manoel de Abreu  e o apoio da FCMSCSP, Pediatria – Centro de Estudos e Pesquisas Prof. Paulo de Barros França e Psiquiatria – Centro de Estudos e Pesquisas do Departamento de Saúde Mental da Santa Casa de São Paulo.

 

Novo curso: pós em Psicopatologia Fenomenológica

Blog Psicopatologia FenomenológicaCom o objetivo de possibilitar ao aluno adquirir conhecimentos e práticas para a realização do diagnóstico e para a estruturação e condução das estratégias terapêuticas em saúde mental, a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo acaba de anunciar o lançamento de seu novo curso de pós-graduação (lato sensu): Psicopatologia Fenomenológica. Neste programa, sob a coordenação dos professores doutores Quirino Cordeiro Junior e Guilherme Peres Messas, o aluno terá a oportunidade de aplicar o método fenomenológico em Psicopatologia.

A especialização é voltada a médicos, psicólogos, enfermeiros, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos, assistentes sociais e demais profissionais interessados no tema. Ao todo, serão oferecidas 40 vagas e o início das aulas está previsto para o dia 30/8/2013. As inscrições podem ser feitas no site da FCMSCSP a partir de segunda-feira, dia 17/6, até o próximo dia 7/8/2013. O processo seletivo inclui análise curricular e entrevista com o candidato.

Santa Prevenção

Santa Prevenção

A 27ª Jornada do Departamento de Obstetrícia e Ginecologia da Santa Casa de São Paulo – Santa Prevenção, evento da programação comemorativa do cinquentenário da FCMSCSP, teve início nesta quinta-feira, dia 13/6, com a presença de diretores e professores da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e da ISCMSP. Como parte dessa iniciativa, a organização idealizou o projeto “Santa Prevenção”, um espaço exclusivo dedicado à resolução de dúvidas e à distribuição de folhetos explicativos sobre doenças que acometem a saúde da mulher.

O encontro tem como objetivo levar à população importantes informações sobre a prevenção de doenças. As palestras trazem informações sobre amamentação, HPV, endometriose, miomas, menopausa, vida sexual, diabetes gestacional, câncer de mama, câncer do colo do útero e preservação da fertilidade.

“A Faculdade Santa Casa de São Paulo abriu meus horizontes”

Dr. Dino MartiniO Dr. Dino Martini Filho é chefe do departamento de Anatomia Patológica da Santa Casa de São Paulo e diretor do departamento de Ciências Patológicas da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, na qual se formou em Medicina, em 1971. O Ex-Santa conta ao Conectar a importância que o curso teve nas etapas de evolução de sua carreira, além de deixar uma mensagem aos atuais alunos da Instituição.

Conectar – Como o senhor descreve a época em que cursava a graduação na Faculdade Santa Casa de São Paulo?
Dr. Dino – A graduação na Faculdade foi um dos momentos mais importantes e felizes da minha vida. Eu tive a sorte de conhecer professores que marcaram minha trajetória. Essa Instituição sempre me proporcionou um ambiente muito agradável e construtivo, abrindo meus horizontes. Aqui, eu adquiri uma nova identidade, sou o “Dino da Santa Casa”, algo maravilhoso.

Conectar – O curso tomava muito tempo de sua rotina?
Dr. Dino – Sim, o curso requer muita dedicação. No tempo em que era residente, em tempo integral, tinha hora para entrar, mas não tinha para sair.

Conectar – O senhor sempre sonhou em ser médico?
Dr. Dino – Desde os meus cinco anos de idade! Eu sempre me senti atraído pela área biológica, porém gostava muito do universo da mecânica. Desde os sete anos, eu tenho uma oficina em casa, em que construí muitas máquinas. Quando era adolescente fiquei um pouco em dúvida se queria ser engenheiro, mas a Medicina sempre falou mais alto.

Conectar – Quais desafios o senhor enfrenta hoje na área em que atua?
Dr. Dino – Atualmente, o maior desafio da anatomia patológica é o conhecimento do ponto de vista molecular, pois a Medicina quer entender essa questão e suas alterações.

Conectar – A Faculdade está completando 50 anos em 2013. Qual mensagem o senhor gostaria de deixar aos alunos da Instituição?
Dr. Dino – Quero dizer que a Faculdade tem que ser uma diversão, e sempre falo isso em aula. A graduação, com toda sua carga de trabalho e desgaste físico que promove, tem que proporcionar a felicidade. Se isso não existir, desista!

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 18, em 28/5/2013. Assine nossa newsletter:http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Cuidando da Pessoa com Estoma

Nesta terça-feira, dia 11/6, os alunos da disciplina optativa “Cuidando da Pessoa com Estoma”, do curso de Graduação em Enfermagem, receberam as professoras convidadas Roberta Oliveira Barbosa Ribeiro, psicóloga, e Joana D’Arc Dias Souza, musicoterapeuta.

No encerramento da atividade, sob a coordenação da Profª Luzia Nahoyo Oka Horiuchi, os alunos relataram a experiência do uso, por 24 horas, de uma bolsa de colostomia. A Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo agradece a presença das professoras convidadas para esta aula.

Cuidando da Pessoa com Estoma

Dr. Maffei: homenagem ao professor

Dr. MaffeiO saudoso Prof. Walter Edgard Maffei (1905-1991) será homenageado por seus alunos no próximo dia 3 de julho de 2013, quarta-feira, das 17h30 às 19h00. Na oportunidade, será realizado o evento “Última Aula do Prof. Maffei no Juqueri – Uma homenagem de seus alunos“, com a apresentação aos participantes de um vídeo com a aula proferida pelo Dr. Maffei, além da abertura de um espaço para debate.

O encontro faz parte das atividades comemorativas do cinquentenário da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, com a coordenação da Dra. Carmen Lucia Penteado Lancellotti, uma das ex-alunas do Prof. Maffei, e realização da Liga de Neurociências. Local: Auditórios Emilio Athié e Paulo A. Ayrosa Galvão.

Controle neural cardiorrespiratório

Prof.ª Dra.Ana Carolina TakakuraNo próximo dia 20/6, quinta-feira, das 12h às 13h, o Departamento de Ciências Fisiológicas da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo realizará o seminário “Controle neural cardiorrespiratório: importância da superfície ventral do bulbo“.

A palestra será proferida pela Dra. Ana Carolina Takakura, professora do Departamento de Farmacologia do ICB da Universidade de São Paulo (USP).

O encontro será na sala 4 do Complexo Zeferino Veloso.

Grupo de estudos faz testes sem uso de medicamentos em roedores visando melhora da qualidade de vida

Dr Hudson BuckO número de idosos no Brasil está aumentando. São mais de 14 milhões de pessoas com mais de 65 anos no país, segundo dados do Comitê de Estatísticas Sociais. Como forma de analisar o processo de envelhecimento e também as alterações relacionadas a ele, o GENE (Grupo de Estudos em Neurofarmacologia e Envelhecimento) avalia métodos terapêuticos para melhorar a qualidade de vida do idoso sem a utilização de medicamentos.

Os experimentos são realizados em roedores e incluem treino de atenção (treino de memória), exercícios físicos e enriquecimento ambiental para estimular a atividade mental, visto que ratos e camundongos respondem a estímulos farmacológicos e não farmacológicos de forma parecida com os seres humanos.

De acordo com o Dr. Hudson Buck, professor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, e coordenador do GENE ao lado da Dra. Tânia Araújo Viel, da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da USP, os resultados dos experimentos mostram que os estímulos, mesmo realizados em animais velhos, surtem efeitos bastante significativos, e isso pode ser aplicado ao ser humano.

“Os camundongos com 15 meses de vida correspondem aproximadamente a um ser humano de 60 anos. Em um artigo recentemente publicado mostramos que, mesmo com a idade avançada, após os estímulos esses roedores apresentaram alterações significativas no cérebro que levaram a melhoras na memória. Isso mostra que, em idosos, deixar o ambiente mais atrativo pode levar a melhoras nas funções cognitivas e na qualidade de vida sem utilizar medicamentos. Logicamente, se essas mudanças acontecerem desde quando o individuo é jovem, os resultados serão mais efetivos”, afirma o pesquisador.

Dr. Buck explica que o GENE também realiza experimentos em animais com Alzheimer, em que são aplicados testes de atenção e treinamento de memória durante o estabelecimento da doença no roedor. Os resultados mostram que o rato foi capaz de apresentar manutenção da memória, diferente daqueles que não foram estimulados.

“Isso ainda não foi aplicado em seres humanos, pois o tempo para esse procedimento é maior. Porém, esse resultado com os roedores mostra que muito em breve poderemos aplicar esse método em pessoas com Alzheimer. Esse tratamento não utiliza medicamentos, que na maioria das vezes tem efeitos colaterais”, enfatiza.

O professor declara ainda que todos devem manter o cérebro sempre ativo, principalmente na fase idosa. “É muito importante se exercitar, fazer palavras cruzadas, ler livros, dançar e realizar qualquer outra ação que estimule a mente”, conclui.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 18, em 29/5/2013. Assine nossa newsletter:http://www.fcmsantacasasp.edu.br.

Atividades de extensão em debate

“Extensão Universitária: possibilidades da FCMSCSP” está entre os eventos comemorativos do cinquentenário da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. O encontro será realizado no dia 19/6, quarta-feira, das 9h45 às 16h30.

O objetivo é reunir professores e alunos da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo que se envolvem em atividades de extensão e os Centros Acadêmicos para debater perspectivas para as atividades de extensão universitária na FCMSCSP.

Extensão UniversitáriaNa parte da manhã, está previsto um painel com a participação de docentes convidados, responsáveis por atividades de extensão nas universidades representadas. À tarde, haverá uma oficina envolvendo professores, os programas de extensão atualmente disponíveis, representantes discentes e da direção da Faculdade, com o propósito de discutir a política de extensão universitária da FCMSCSP.

Paralelamente ao evento, será apresentada uma mostra de trabalhos de extensão já desenvolvidos na Instituição. Para se inscrever,  conhecer e acompanhar a atualização desta programação, acesse o site da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, neste link.

Local do evento: Auditório Prof. Dr. Emilio Athié – Rua Dr.Cesário Mota Jr., 112, Vila Buarque – São Paulo (SP).

Se não tratado, glaucoma pode levar à cegueira irreversível

Dr. José Ricardo ReggiDados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que 1 a 2% da população acima de 40 anos é portadora de algum tipo de glaucoma, o que representa a segunda causa de cegueira no mundo. De acordo com o Dr. José Ricardo Reggi, professor instrutor de Oftalmologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, o paciente com glaucoma raramente apresenta sintomas. Isso acontece pelo fato da doença acometer inicialmente a parte periférica da visão. Nas fases mais adiantadas, quando a região central fica comprometida, o paciente começa a sentir a diminuição visual. “O glaucoma pode levar à cegueira permanente. Nos países desenvolvidos, é a principal causa de perda total da visão nos indivíduos acima de 50 anos”, diz.

Dr. Reggi explica que a única maneira de prevenir a doença é realizar a consulta anual com um oftalmologista. Por meio do exame de fundo de olho, o profissional avaliará o nervo óptico e medirá a pressão intraocular. Esse procedimento diagnosticará se a pessoa apresenta a doença. “Estudo realizado com os colaboradores da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP) revelou que 2% dos funcionários acima de 35 anos têm glaucoma”, aponta.

Pessoas com histórico familiar, principalmente irmãos, têm mais chances de desenvolver a doença. Segundo o especialista, o tratamento é realizado com medicamentos para diminuir a pressão intraocular. “É importante que as pessoas com mais de 40 anos façam uma consulta regular com seu oftalmologista. Ele é o único profissional capacitado para diagnosticar a doença no começo”, conclui.

Texto originalmente publicado no boletim Conectar, edição 18, em 28/5/2013. Assine nossa newsletter: http://www.fcmsantacasasp.edu.br.