Inscrições abertas para cursos de Pós-graduação em Fonoaudiologia

Pós-graduação em Fonoaudiologia

Até o dia 7 de dezembro de 2018, estão abertas as inscrições para 3 diferentes cursos de pós-graduação na área de Fonoaudiologia. Todas as especializações contam com docentes que possuem ampla experiência e com o trabalho de experientes coordenadores que asseguram a atualização constante dos cursos. Conheça um pouco mais sobre essas especializações.

Audiologia Clínica
O curso de pós-graduação em Audiologia Clínica busca o desenvolvimento profissional e o aprofundamento teórico-prático na área de avaliação audiológica, possibilitando atendimento supervisionado, vivência em equipe multiprofissional e vivência hospitalar. Inscreva-se pelo Portal FCMSCSP.

Audiologia Educacional
O curso de pós-graduação em Audiologia Educacional visa o desenvolvimento profissional e o aprofundamento teórico-prático na área de audição, tornando-os qualificados para procedimentos de maior complexidade, podendo acompanhar exames complementares e auxiliar na prática clínica. Inscreva-se pelo Portal FCMSCSP.

Fonoaudiologia em Voz
O curso de pós-graduação em Fonoaudiologia em Voz tem como objetivo oferecer aprofundamento teórico-prático para fonoaudiólogos em terapia fonoaudiológica na área de voz e na área de reabilitação de pacientes oncológicos de cabeça e pescoço, além de desenvolver pesquisa científica. Inscreva-se pelo Portal FCMSCSP.

Estes programas têm como principal diferencial sua carga horária extensa, além da possibilidade de acompanhamento de exames complementares e participação na prática clínica. Por estar inserida no Complexo Hospitalar da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, referência em saúde na área central do município, a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São possibilita que o aluno tenha vivência no diagnóstico e tratamento de casos de todas as regiões do Brasil, sendo muitas vezes casos raros e de difícil abordagem.

Anúncios

FCMSCSP promove seminário sobre “Sticking to acidic Ca2+ stores”

Dr Sandip Patel, professor da University College London

Amanhã, dia 28/11, das 12h às 13h30, o Departamento de Ciências Fisiológicas da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo realizará a palestra “Sticking to acidic Ca2+ stores”, ministrada  pelo Prof. Dr. Sandip Patel, professor da University College London. Serão apresentados resultados da sua linha de pesquisa  que envolve sinalização de Ca2+, o processo de autofagia e receptores da família “two-pore channels”, que são estimulados por segundos mensageiros intracelulares, como o NAADP.

O encontro será realizado na Sala 3C, localizada no 4º andar do Prédio Novo e é coordenado pela Dra. Fabiana Henriques Machado de Melo, professora do Departamento de Ciências Fisiológicas da FCMSCSP.

Novembro Azul

Artigo de Prof. Dr. Luis Gustavo Morato de Toledo

O câncer de próstata é conhecido como uma doença do envelhecimento masculino, ou seja, aumenta a sua incidência com a idade. Após os 50 anos, um em cada 6 homens apresentará a doença e esta frequência aumenta com o avanço da idade. Todo homem que chegar aos 100 anos de idade será acometido pelo câncer de próstata, porém a neoplasia, nesta idade, geralmente não traz repercussões à sua saúde. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), são estimados 68 mil casos novos de câncer na próstata no Brasil em 2018, e cerca de 14 mil mortes por esta doença. Este é o segundo câncer mais frequente no homem, perdendo apenas para o câncer de pele não melanoma. É o quarto mais frequente na população, incluindo homens e mulheres. O rastreamento para o câncer de próstata (PSA e toque retal) é recomendado pela Sociedade Brasileira de Urologia, anualmente, para todos os homens dos 50 aos 75 anos. Homens negros ou com história familiar, pai ou irmão, de câncer de próstata, apresentam maior risco de desenvolver a doença, e por isso devem iniciar o rastreamento à partir dos 45 anos. Um estudo recente, realizado na Califórnia, USA, com mais de 400 mil homens mostrou que o rastreamento anual do câncer de próstata, além de reduzir a mortalidade relacionada a esta doença em 64%, reduziu também, em 24%, a mortalidade por outras causas, ou seja, o homem que faz seus exames de próstata anualmente acaba se cuidando melhor de forma geral.

Existem duas doenças que coexistem na próstata, a hiperplasia, que é benigna e ocorre no centro da próstata ao redor da uretra e o câncer de próstata, que é maligno e ocorre na periferia. O câncer, em sua fase inicial, por estar longe da uretra, não causa sintomas. Quando o paciente apresenta a neoplasia em sua fase inicial e tem sintomas urinários, estes se devem à hiperplasia benigna, que comprime a uretra e dificulta a micção. Assim recomenda-se aos homens que não esperem os sintomas aparecer, pois se não houver compressão uretral pela hiperplasia, não haverá sintomas. A detecção precoce é importante para evitar o diagnóstico em fase avançada, quando não há chance de cura, e facilitar o tratamento, evitando suas complicações e sequelas.

Importante mencionar que o câncer de próstata não é uma doença uniforme. Existem diversos tipos, com diversas apresentações, diferentes índices de gravidade e diversos padrões de agressividade, desde os qualificados como “indolentes” que não progridem e não causam qualquer repercussão à saúde, até os mais agressivos, que por serem muito diferentes do tecido prostático,  não produzem o PSA, dificultando o diagnóstico pelo exame de sangue, portanto, uma doença complexa, cuja classificação, diagnóstico e tratamento vêm sofrendo modificações e atualizações muito frequentes, alvo de intenso debate e pesquisas na sociedade médica.

Neste contexto, o rastreamento populacional do câncer de próstata recebe críticas por fazer diagnóstico de tumores que não necessitariam de tratamento, indolentes, implicando em excesso de tratamento e sequelas ou, no mínimo, impacto emocional ao paciente, e custos ao sistema pelos exames repetidos na vigilância ativa dos casos não tratados. É importante esclarecer e ressaltar que o rastreamento NÃO faz o diagnóstico de câncer na próstata, isto é feito através da biópsia. Então é a biópsia que deve ser indicada com critérios, selecionando os pacientes, discutindo com o paciente e sua família, os prós e contras da biópsia, no sentido de se evitar o diagnóstico de tumor indolente e não deixar passar um tumor clinicamente significante. A ressonância magnética já nos ajuda atualmente nesta decisão e outros exames estão chegando para nos auxiliar a diferenciar os pacientes que precisam ou não de biópsia. Exames genéticos já nos ajudam, depois da biópsia, a diferenciar tumores indolentes dos clinicamente significantes. O rastreamento deve ser feito, e seu principal objetivo é evitar o diagnóstico tardio, por outro lado, a indicação da biópsia deve ser criteriosa para se evitar o “excesso” de diagnóstico de tumores indolentes.

Prof. Dr. Luis Gustavo Morato de Toledo, Chefe do Serviço e Professor Adjunto da Disciplina de Urologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

Professores e alunos da Fonoaudiologia participam de evento em Curitiba

Professores e alunos da Fonoaudiologia participam de evento em Curitiba

De 10 a 13 de outubro ocorreram o XXVI Congresso Brasileiro de Fonoaudiologia, o III Congresso Ibero-Americano e o VI Encontro Sul-Brasileiro de Fonoaudiologia, em Curitiba, PR. O tema central foi “Comunicação e direitos humanos: democratização do acesso às práticas fonoaudiológicas”. Acesse imagens aqui.

Houve participação de vários professores do Curso de Fonoaudiologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP) em palestras, fóruns de discussão, além de apresentações de trabalhos com os alunos.

A professora Ana Luiza Navas, diretora do curso de Fonoaudiologia da FCMSCSP, participou da Conferência Magna com o tema “O desafio da internacionalização da Produção Científica em Fonoaudiologia”.

Além disso, a professora Tania Lago, docente do Curso de Medicina participou na mesa de “Direitos humanos: formação em saúde” a convite da Comissão de Ensino da SBFa que é coordenada pela prof.ª Marina Padovani.

O trabalho da aluna de 4º ano Nathalia Ribeiro de Brito, orientado pela Prof.ª  Ana Luiza Navas, intitulado “A influência do aprendizado da linguagem escrita no desempenho em habilidades fonológicas”, recebeu o prêmio de excelência em Fonoaudiologia na área da Linguagem.

Na ocasião, alunos do curso de Fonoaudiologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa de São Paulo participaram da gincana estudantil ‘Você é quem faz a Fonoaudiologia’, apresentando com vídeo as diversas atividades que promovem a integração entre alunos, professores e profissionais dos cursos de fonoaudiologia, medicina, enfermagem e Tecnologia em Radiologia e Sistemas Biomédicos: Coral Canta Santa, Santa Maluquice, Projeto Colinho, PECA, SALIS, Feira da Saúde, Grupo de pais ouvintes e filhos surdos, Grupo de caminhada de idosos e Elaboração de jogos do curso de fonoaudiologia.

Além disso, foi criado o perfil “Santa em Ação”, no Instagram para compartilhamento de fotos tiradas durante as atividades de integração. A equipe do “Santa em Ação” (alunos da Fonoaudiologia Santa Casa) venceu a gincana em empate com a Universidade Federal de Pernambuco.

Dia Mundial do Coração

28 de setembro – Dia Mundial do #Coração ❤️

 Sexta-feira, dia 28/9, a Faculdade e o Hospital da Santa Casa se uniram para uma atividade de prevenção e orientação em favor da comunidade.

Desde cedo, estiveram com as portas abertas para todos os interessados em fazer exames importantes para verificar a saúde geral e do coração.

Nossos estudantes de Medicina e Enfermagem, orientados por professores, fizeram a medição da pressão arterial e averiguaram os índices de colesterol, triglicérides e Hemoglobina Glicada. Todos saíram com os resultados anotados e, se necessário, foram orientados a procurar uma Unidade Básica de Saúde.

Além disso, profissionais realizaram palestras sobre fatores de risco, a importância dos exercícios físicos, alimentação e qualidade de vida.

 

Vestibular 2019 da FCM/Santa Casa

Vestibular 2019 – FCMSCSP

Os cursos da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP) têm inscrições abertas de 21/8 a 30/9. A instituição oferece cursos de Medicina (integral), Enfermagem (noturno), Fonoaudiologia (matutino), Tecnologia em Radiologia (noturno) e Tecnologia em Sistemas Biomédicos (noturno). A taxa custa R$ 60; mas, para Medicina, R$ 300.

Para o curso de Medicina, serão dois dias de provas. No primeiro dia, 20 de outubro, das 14h às 18h00, haverá uma redação e questões de conhecimentos específicos. No dia seguinte, será a vez de prova de conhecimentos gerais.

Para os demais cursos, o processo seletivo ocorrerá somente no dia 20 de outubro, também das 14h às 18h00. Os inscritos deverão produzir uma redação e responder 60 questões objetivas de conhecimentos gerais.

A previsão é que a lista de aprovados no vestibular 2019 da Santa Casa de São Paulo saia no dia 26 de novembro. Estão previstas mais três chamadas, sendo mais duas para Medicina.

O processo seletivo oferece, nesta edição, 310 vagas nos seguintes cursos de graduação:
Medicina: 120 vagas
Enfermagem: 40 vagas
Fonoaudiologia: 50 vagas
Tecnologia em Radiologia: 50 vagas
Tecnologia em Sistemas Biomédicos: 50 vagas

Inscrições: em https://www.vunesp.com.br/FAVC1802

Edital Medicina

Edital Enfermagem, Fonoaudiologia, Tecnologia em Radiologia e Tecnologia em Sistemas Biomédicos

Ficha Socioeconômica

Relação de Documentos

http://www.fcmsantacasasp.edu.br

FCMSCSP promove seminário sobre “Células Tumorais Circulantes:onde estamos?”

Dr. Ludmilla Thomé Domingos Chinen

Amanhã, dia 1º/8, das 12h às 13h30, o Departamento de Ciências Fisiológicas da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo realizará a palestra “Células Tumorais Circulantes: onde estamos?”, ministrada pela Dra. Ludmilla Thomé Domingos Chinen, pesquisadora da Fundação Antônio Prudente.

O encontro será realizado na Sala 11 da Técnica Cirúrgica e é coordenado pela Dra. Fabiana Henriques Machado de Melo, professora do Departamento de Ciências Fisiológicas da FCMSCSP.